Notícia

Bolas paradas com regras em teste na Elite Cup

Sep 09, 2019

O alinhamento da quarta edição da Elite Cup será conhecido esta segunda-feira, mas são já conhecidos algumas das novidades do evento que desde 2016 marca a pré-temporada no calendário hoquístico nacional.

Estreando-se no Portimão Arena, a edição deste ano da Elite Cup terá duas novidades regulamentares, na linha de outras “experimentadas” e que vingaram, como o marcador dos 45 segundos ou os descontos de tempo de 30 segundos.

Tentando debelar um dos maiores problemas de análise por parte das equipas de arbitragem, as bolas paradas – grandes penalidades e livres directos – serão iniciadas ao apito. Quer isto dizer que, ao invés do guarda-redes se poder apenas mexer quando o executante toca na bola, poderá movimentar-se assim que o árbitro dê ordem de marcação.

Em 2018, a meia-final entre Benfica e Oliveirense foi decidida nas grandes penalidades, mas, este ano, os eventuais desempates serão por livres directos

Na vertente do espectáculo, os eventuais desempates serão por livres directos e não por grandes penalidades. A medida já foi adoptada na Eurockey – torneio internacional de Sub-15 e Sub-17 – e está regulamentada pela World Skate como desempate “preventivo” (como sucedeu no embate entre Portugal e Argentina na fase de grupos do último mundial), mas não como desempate efectivo (como na final desse mesmo mundial).

No regulamento internacional, o desempate por livres directos é feito com uma série inicial de três tentativas para cada equipa, sempre com executantes diferentes. Caso o empate persista, cada equipa – podendo ser sempre o mesmo executante – terá um livre directo até que uma marque e outra não.

Recorde-se que a sorteio para a quarta edição estarão Porto, Oliveirense, Sporting e Benfica como cabeças-de-série, e que os adversários possíveis são Óquei de Barcelos, Braga, Paço de Arcos e Juventude de Viana.

Inline content
Contacte-nos
BackOffice
Privacy Policy