Notícia

Gonçalo Nunes chegou mais cedo...

Aug 27, 2017

Foto de capa: Federação de Patinagem de Portugal

No arranque do Campeonato do Mundo de Sub-20, Portugal venceu a Colômbia por 1-4, com um golo madrugador de Gonçalo Nunes em cada parte a ser determinante.

Estavam decorridos apenas dois minutos de jogo quando Gonçalo Nunes, um dos dois vigentes campeões do Mundo de Sub-20 em prova (o outro é o guarda-redes Tiago Rodrigues), inaugurou o marcador, condicionando cedo a partida.

A Colômbia deu boa réplica e manteve-se na discussão do jogo, não desarmando mesmo quando Hugo Santos - a cinco minutos do intervalo - fez o 0-2. Daniel Aristazabal reduziu e as equipas recolheram aos balneários com a diferença mínima no marcador.

Portugal volta a jogar - agora com o Chile - menos de 13h depois do apito final do primeiro jogo.

De regresso, não foi preciso esperar dois minutos por novo golo de Gonçalo Nunes. Nem um, sequer. Aos 40 segundos, de grande penalidade, o jogador que regressa ao "seu" Paço de Arcos na próxima temporada, repôs dois golos de vantagem, uma "punhalada" nas aspirações da equipa de André Torres que António Trabulo ajudou a cravar, assinando o 1-4 aos quatro minutos. E não mais o marcador mexeria.

Da partida inaugural fica uma excelente postura colombiana e a necessidade de gestão de esforço para a qual Luís Duarte já alertara.

No outro jogo do grupo A, o Chile venceu a Inglaterra de José Carlos Amaral por 7-4, com o chileno Felipe Marquez e o inglês Alex Mount (jogador da Sanjoanense) em destaque, ao assinarem hat-tricks.

Na China, Portugal fechou os jogos de domingo e abrirá os de segunda, às 8h30 locais. Em Portugal, o segundo jogo dos Sub-20 portugueses joga-se a partir das 1h30.

Itália surpreendida

No fortíssimo grupo B, a Espanha obteve uma boa vitória frente à França, por 1-4, no jogo que abriu os World Roller Games e que teve arbitragem da dupla portuguesa Joaquim Pinto e Paulo Rainha.

Para o segundo jogo estava reservado um volte-face surpreendente. Depois de uma primeira parte sem golos, a Itália chegou a uma vantagem de dois tentos frente à Argentina que, face à experiência em alta competição do plantel italiano, parecia ser suficiente. Mas os argentinos - dando de um valor que na Europa é desconhecido - viraram a partida.

A dez minutos do final, num ápice, assinaram dois golos e relançaram a partida, passando mesmo para a frente a cinco minutos e meio do derradeiro apito. E, já nos últimos dois minutos, mais dois golos (no espaço de 15 segundos) carimbaram os três pontos. Facundo Bridge liderou a revolta albiceleste, assinando um hat-trick.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade