Notícia

«Estes pontos vão ser muito importantes»

Feb 12, 2019

O final da partida entre Benfica e Oliveirense foi marcado por um golo não validado aos visitantes e as questões seriam inevitáveis em conferência de imprensa.

No entanto, António José Leite, director de comunicação da equipa de Oliveirense, antecipou-se e fechou, desde logo a “porta” a qualquer questão. “Qualquer pergunta sobre arbitragem não vai ser respondida por uma questão de postura do clube”, alertou. “Caso tenham dúvidas, eu tenho aqui fotografias ou vídeos que posso partilhar com vocês, mas julgo que todos vocês viram”, aludiu, encaminhado a conferência para o jogo em si. “Vamos falar de Hóquei em Patins, que estamos aqui para falar de Hóquei em Patins”, vincou.

“Dois grandes árbitros, quanto a mim, dos melhores árbitros do Mundo. É a única coisa que quero falar sobre eles”, começou por dizer Renato Garrido antes de abordar – de forma técnica, quase em modo “Clinic” da modalidade – o jogo.

“Acho que não entrámos como nos preparámos durante a semana para entrar. Também há mérito do Benfica, da forma intensa como entrou no jogo e nos obrigou a recuar linhas defensivas. Obrigou-nos a ter as ajudas mais perto do jogador da bola, o que permitiu bastantes ocasiões de meia distância na primeira parte. Portanto, de uma forma agora mais fria, considero que o 3-1 até era um resultado que se ajustava para o Benfica”, disse sobre os primeiros 25 minutos.

“Na segunda parte, rectificámos. Rectificámos bastante”, reforçou. “Aumentámos a nossa intensidade de jogo, subimos um bocado linhas porque estávamos com dois golos de desvantagem. Tivemos de arriscar e subir, nesse momento, as linhas”, explicou.

“Conseguimos construir muito mais, até a nível ofensivo, a nível de bloqueios, a nível de entradas laterais, a nível de criação de remates de meia distância para segundas bolas, e conseguimos realmente começar a ter um domínio superior ao Benfica. E penso que se ajustava perfeitamente, pela segunda parte que fizemos, a sorte de termos ganho”, considerou. “Até porque marcámos quatro golos, um não contou, mas os meus jogadores estão de parabéns pela reacção que tiveram. Porque o Benfica é um adversário complicado, um adversário difícil, com muita qualidade. Tivemos aqui uma resposta daquilo que queremos ser hoje e amanhã: um candidato ao título. Se nos deixarem”, finalizou, antes de serem pedidos mais comentários.

Com o empate registado, a Oliveirense perdeu a liderança para o Porto e foi alcançada pelo Sporting na classificação. São dois pontos perdidos que podem ser decisivos nas contas do campeonato…

Na luta

“Nós tínhamos a expectativa de conseguir aqui três pontos, que eram fundamentais para nós e fundamentais para quem quer ganhar um campeonato, apesar de respeitarmos bastante o adversário. Este jogo vai ser importante. Estes pontos vão ser muito importantes para a decisão do campeonato”, referiu, sem apontar directamente o lance decisivo no último minuto. “Há mérito do adversário. Às vezes, quando não estão outros jogadores que fazem muita falta, as equipas superam-se, unem-se mais. E, às vezes, é muito mais complicado do que quando jogam os planteis completos. Já passei por isso”, frisou.

A um ponto do primeiro lugar, a Oliveirense continua, naturalmente, na luta pelo título. “A nossa ambição é continuarmos a procurar a vitória fim-de-semana a fim-de-semana, jogo a jogo, como temos encarado até agora. Já não perdemos desde a 3ª jornada da primeira volta, portanto é uma luta… todos os jogos são difíceis, todos os jogos têm a sua importância, e o nosso objectivo é continuarmos a lutar por pontos”, concluiu.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade