Notícia

Opiniões para pensar Hóquei em Patins

Mar 16, 2019

A completar o seu quinto aniversário, o HóqueiPT propôs-se divulgar a opinião de quem pode trazer mais-valia ao debate permanente que é o Hóquei em Patins.

A ideia vem dos primeiros tempos de “vida” do projecto. Mas as opiniões de Luís Sénica e Carlos Dantas intimidariam outros convidados. Não intimidaria, por exemplo, Edu Castro, que partilharia um artigo e que, assim (gostamos nós de pensar…), chegaria a treinador principal do Barcelona.

Anos volvidos, continua a ser premente conhecer novas ideias, e algumas figuras não viraram as costas ao repto.

Rui Carvalho, presidente da Associação Nacional de Clubes de Patinagem, lançou as primeiras “achas”, com o rescaldo da experiência na espanhola “Copa del Rey”. E Paulo Rodrigues, vice-presidente para a modalidade ao longo de 10 anos, expressou, em entrevista, a sua vontade de contribuir para que as pessoas se questionem.

A estas duas figuras ligadas ao dirigismo, junta-se alguém mais próximo da pista. Tiago Sousa, guarda-redes campeão nacional pelo Porto e campeão europeu pelo Liceo, tornou-se um treinador reconhecido pelos seus pares e, com um trabalho de mérito, conduziu o Marinhense a uma I Divisão que levanta desafios que abordará no seu primeiro artigo de opinião, a publicar já este sábado.

Ainda no capítulo dos desafios, um que é recorrente é a interpretação dos regulamentos e decisões disciplinares. Para temas mais quentes, o HóqueiPT contará com a opinião avalizada de Mafalda Felgueiras, advogada, licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, com Pós-Graduação em Direito de Desporto Profissional na mesma instituição, contando com a sensibilidade para o tema que lhe confere a prática de desporto desde os quatro anos.

Finalmente, em mais que um sentido, um regresso. Afastada desde que assumiu a ligação à Federação de Patinagem de Portugal em Setembro de 2015, Marina Alves voltará a escrever – na primeira pessoa – para o projecto que fundou na sua primeira versão em 2004 e que “refundaria” dez anos mais tarde, na versão que “vive” actualmente.

Serão opiniões para ler, debater, quiçá aprender. Para sustentar, apoiar ou contrariar. Em HóqueiPT.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade