Notícia

Hugo Azevedo 'pendura' os patins

Apr 19, 2020

Hugo Azevedo anunciou este domingo, nas suas redes sociais, o pendurar dos patins no final desta temporada.

Jogador-treinador do Riba d’Ave, Hugo Azevedo completa 37 anos em Julho e, desconhecendo-se o resto da temporada, poderá já ter feito o seu último jogo oficial sobre os patins. A 7 de Março, o Riba d’Ave recebeu a Juventude de Viana no Parque das Tílias, num jogo que terminaria com uma derrota por 3-4.

Confesso apaixonado pelo Riba d’Ave, Hugo Azevedo cumpriu ali toda a sua formação, chegando à equipa principal na temporada de 2002/03, ainda júnior. Em 2006 rumou a Valongo, onde ganhou outra projecção e se afirmou como um dos bons valores do Hóquei em Patins nacional, apesar de nunca ter dado definitivamente “o salto”.

Em 2008/09 ainda representou o Óquei de Barcelos, mas regressou a Valongo, onde, em 2014, foi uma das figuras do histórico título nacional e da conquista da Supertaça António Livramento. Nos festejos, não faltou o cachecol do Riba d’Ave…

Hugo Azevedo vai descalçar os patins e dedicar-se totalmente à função de treinador

Regressaria a “casa” em 2016, já depois de ter iniciado a carreira de treinador – e com títulos – nos escalões de formação do Valongo. Assumiu o comando técnico dos ribadavenses logo em Dezembro, mas foi traído por uma decisão administrativa e relegado para a II Divisão. Regressou apenas passada uma temporada, conseguindo a manutenção entre os maiores do Hóquei em Patins nacional, fazendo sempre da promoção dos jogadores jovens uma marca muito própria. Esta temporada, a sete jornadas do fim, o Riba d'Ave está no 9º lugar, com 20 pontos.

Agora, descalça os patins para se “dedicar totalmente a ser treinador”.

Deixamos a mensagem de despedida – enquanto jogador – de Hugo Azevedo:

Termino onde comecei...

Sabia que este dia chegaria, quis sempre que fosse de forma consciente e convicta, que fosse capaz de olhar para mim enquanto jogador e ainda me reconhecesse. Assim sendo a época de 2019/2020 será a última enquanto jogador.

Não posso deixar de agradecer a todos os que me ajudaram nestes 30 anos de carreira, não conseguiram criar um mago de stick e bola, nem um daqueles jogadores que enchem os pavilhões, mas fizeram-me um atleta orgulhoso, honrado e determinado que lutou sempre no máximo das suas capacidades por cada clube que representou, a todos vocês muito, muito obrigado.

Amo e vivo esta modalidade de tal forma que não me imaginaria fora dela, por isso considero que chegou a hora de descalçar os patins e me dedicar totalmente a ser treinador.

Continuaremos a encontrar-nos por esses pavilhões, bem haja!

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade