Notícia

«Há muita gente a ficar cansada disto»

Dec 03, 2021

No final da partida em Viana do Castelo, João Simões, treinador do Turquel, não poupou críticas ao rumo que a modalidade está a seguir. 'Todos os dias ouvimos falar disto e ninguém faz nada', lamentou. #PrimeiraDivisão

A partida desta quarta-feira arbitrada pelos aveirenses Manuel Oliveira e António Santos, que terminou com a vitória da Juventude de Viana por 7-3, foi uma espécie de "gota de água" para João Simões, treinador do Turquel. Em "flash interview", o técnico alvinegro lamentou o estado actual da modalidade em geral e, em particular, naquele que muitos apelidam de "Melhor Campeonato do Mundo".

"As pessoas têm de começar, de uma vez por todas, a perceber que o Hóquei está a ir por um caminho que não faz sentido nenhum. E, infelizmente, todos os dias ouvimos falar disto e ninguém faz nada", começou por dizer, dando alguns exemplos.

"Nós temos uma modalidade em que o treinador é advertido quando pede um timeout de um minuto, e 15 segundos antes já tem de estar preocupado com qualquer coisa, e é advertido. Nós temos uma modalidade em que cortamos um três-para-dois - que no Hóquei em Patins é ouro, os contra-ataques no Hóquei em Patins, quem perceber o que é o jogo, é ouro - temos uma modalidade que cortamos um três-para-dois num contra-ataque para advertir um jogador. Temos uma modalidade em que conseguimos ter uma bola no ar e ouvir dois sticks a bater nela, e conseguimos descobrir qual é o stick que bateu primeiro e qual é o stick que foi capaz de infringir num lance que dá penalti. Temos uma modalidade em que, do nada, um jogo pode estar controlado e, do nada, fica uma autêntica tourada e houve aqui hoje [quarta-feira] um bocadinho disso", explicou, recusando-se a focar-se exclusivamente na partida que terminara.

"Isto não é do Turquel frente ao Viana, isto é da nossa modalidade. Ou de uma vez por todas acabamos com isto ou eu começo a notar um conjunto de pessoas que gostam muito da modalidade, que trabalham há muitos anos para esta modalidade... e eu começo a notar muita gente a ficar cansada disto", destacou.

"Este é um alerta que já vem sendo dado por muita gente e acho que merecemos o respeito de tentar tornar a nossa modalidade, que tem muito potencial, e não estamos a conseguir, ano após ano, resolver esses problemas", lamentou.

Parabenizando a Juventude de Viana por saber controlar o jogo, estando sempre à frente do marcador, João Simões congratulou-se com a atitude da sua equipa.

"Parabéns à minha equipa que conseguiu ter a capacidade de se manter dentro do jogo e de não perder aqui o 'norte' com determinadas decisões que se tomaram e acho que, apesar de não levarmos pontos, levamos pelo menos esse orgulho: o orgulho de termos lutado contra todas as adversidades e mantivemos sempre o nosso foco e mantivemos o nosso orgulho em representar este emblema, que é o emblema de um clube que merece muito respeito", frisou, antes de garantir que o Turquel sairá da zona perigosa da classificação.

O Turquel somou em Viana a oitava derrota em 10 jogos, contando "apenas" uma vitória frente à Sanjoanense (5-4) e um empate na ronda inaugural, em Tomar (3-3). A equipa da Aldeia do Hóquei conta quatro pontos, a três do Marinhense (que tem menos duas partidas) e apenas à frente da Sanjoanense, que ainda não somou qualquer ponto.

Este sábado, com arbitragem de Miguel Guilherme e João Catrapona, o Turquel recebe o Valongo e, até ao fim da primeira volta, joga ainda em Braga e recebe a Oliveirense.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade