Entrevista

João Silva de regresso aos rinques

Mar 20, 2014

Após 15 meses de suspensão, João Silva está de regresso aos rinques e é finalmente opção para Os Tigres no jogo que este fim-de-semana leva a equipa de Almeirim até Grândola.

A suspensão aplicada pela Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP) – por falta de entrega de um impresso de localização – foi conhecida em Dezembro de 2012.

O HóqueiPT esteve à conversa com João Silva.

HóqueiPT: Como é que foram estes 15 meses?

João Silva: No início senti-me um bocado revoltado com a situação, com o facto de ter sido tratado como um criminoso. A pena foi exagerada. São quinze meses que em termos desportivos se traduzem em duas épocas, quase três. No entanto, este castigo, apesar de exagerado, alertou-me mais para estas burocracias, e reconhecendo que foi um acto irresponsável, a partir de agora vou estar mais atento a estas coisas em termos desportivos mas também pessoais e académicos.

HPT: Antes da decisão da suspensão, a meio de Outubro, tinhas sido dispensado pel’Os Tigres…

JS: Foi uma situação estranha. A pessoa que me dispensou [ndr: Hugo Gaidão] foi-se embora para outro clube e as que ficaram apoiaram o meu regresso. Até porque fui dispensado quando ainda podia ter jogado mais dois meses dado que ainda não havia decisão do castigo. Eu nunca abandono barcos. Não deixo projectos a meio e, mal ou bem, levo as coisas até ao fim.

Hoje com 22 anos, João Silva representou Turquel, Biblioteca, Marinhense, Benfica e Sporting antes de ingressar n’Os Tigres em 2011.

HPT: Ajudou o facto de teres voltado a treinar no início da época?

JS: Estive 11 meses sem clube. Aproveitei para me dedicar mais à minha vida académica e sentia-me revoltado com o hóquei em patins. Pensei em desistir e nunca mais voltar a jogar. O facto de ir treinar ajudou e tenho muito a agradecer às pessoas que me deram a mão e acreditaram em mim nesta travessia do deserto.

HPT: O caso Caio, semelhante ao teu, culminou com uma suspensão de sete meses. Queres comentar?

JS: A ADoP tem dois pesos e duas medidas. O Caio é um colega que respeito, não tem nada a ver com o meu caso.

HPT: Quais são as tuas expectativas para o regresso?

JS: Fazer o meu trabalho e divertir-me nos jogos que faltam. Quero ajudar Os Tigres a subir de divisão e, acima de tudo, dar uma alegria aos Ultras Almeirim que sempre me apoiaram. Para já, espero ser convocado…

HPT: Sonhas voltar à Selecção?

JS: Não! Depois desta situação em que não me senti apoiado pelas entidades desportivas, esse não é o meu principal objectivo. Para já, quero dar tudo pel’Os Tigres.

João Silva foi campeão da Europa de Sub-17 em 2008 e de sub-20 em 2010. Em 2011, em Barcelos, sagrou-se vice-campeão do Mundo de Sub-20.

HPT: E uma aventura no estrangeiro está nos teus horizontes?

JS: Se surgir, aceito! É um objectivo mas para quando acabar o meu curso. O campeonato italiano é o que mais me agrada.

HPT: Tens ídolos no hóquei em patins actual?

JS: Poucos. Para mim o melhor é o Pedro Gil. Mas também admiro muito o Luís Viana que, numa curta conversa, me apoiou e me disse para ter calma, que eu ainda sou muito novo e tenho muito para dar à modalidade.

HPT: No hóquei em patins és conhecido como “Janeka”. Como surgiu essa alcunha?

JS: “Janeka” já vem dos tempos de infância. Foi um rapaz chamado Gonçalo Faustino, que está agora a viver na Suíça. O meu pai era treinador dele nos juniores do Turquel, tinha eu 4 ou 5 anos. Ele chamava-me “Janeka” e pegou.

A oito jogos do final do Nacional da II Divisão, Os Tigres ocupam o segundo lugar da Zona Sul, com menos dois pontos (mas também menos um jogo) que o líder Sintra.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade