Notícia

Todos prontos para a Latina

Mar 19, 2016

A 28ª edição da Taça Latina tem lugar entre os dias 24 e 26 do mês corrente em Follonica, Itália, e as quatro selecções presentes já tem os seus convocados definidos.

Portugal, detentor do prestigiado troféu disputado também pelas selecções Sub-23 Espanha, França e Itália, irá procurar o seu 14º triunfo com um grupo baseado nos campeões do Mundo de Sub-20 de 2013.

Luís Sénica chamou desse grupo os guarda-redes Diogo Alves e Diogo Rodrigues e ainda Alexandre Marques (“Xanoca”), Diogo Neves, Hélder Nunes e Pedro Cerqueira. A estes juntou Guilherme Silva – que falhou esse Mundial na Colômbia por lesão – e os campeões da Europa de Sub-20 de 2014 Álvaro Morais (“Alvarinho”, também campeão do Mundo de Sub-20 mas em 2015), João Almeida e Xavier Cardoso.

Hélder Nunes

A figura da selecção das quinas é Hélder Nunes. O jogador do Porto capitaneou a equipa no Mundial de Sub-20 de 2013 e voltou a envergar a braçadeira na conquista da Latina em 2014 enquanto pegava “de estaca” na selecção principal desde o Europeu de 2012.

A Espanha

A Espanha surgirá na Taça Latina sedenta de uma conquista. Depois do triunfo no Mundial 2013 em Angola, não mais a outrora Armada Invencível voltou a celebrar uma vitória no masculino. Em nenhum escalão!

E não faltam figuras na selecção espanhola. Com os guarda-redes Adrià Català (que actua em Itália) e Marc Grau e os jogadores César Carballeira, David Torres, Ferran Font, Ignacio Alabart, Jordi Burgaya, Pau Bargalló, Roger Acsensi e Roger Presas, difícil será eleger a figura neste grupo de Quim Paüls.

Pau Bargalló, na Latina de 2014

Dividido entre Ferran Font e Pau Bargalló, o destaque irá para o irmão mais novo de Jordi Bargalló, cuja entrada no Liceo em 2014 mereceu a desconfiança de alguns quadrantes. Mas o internacional jovem espanhol, que capitaneou a Espanha na Taça Latina em Viana do Castelo, não demorou a afirmar-se entre os “crescidos”. E esta época soma 26 golos – tantos como Font – e já tem acordo com o Barcelona para a próxima temporada. Diz-se que Font também poderá ter…

A Espanha já triunfou em 11 edições da Taça Latina, quatro nas últimas seis edições. Em 2006, na última edição em Itália, o título foi espanhol.

A França

Em crescendo no hóquei em patins tem estado a França, fruto de um bom trabalho de base. A selecção absoluta que se apresentou no Mundial de La Vendée tinha muita juventude e os Sub-23 gauleses, depois do terceiro lugar na Latina em 2014, procurarão sob o comando de Fabien Savreux intrometer-se na luta dos eternos candidatos Portugal e Espanha.

Carlo Di Benedetto

O expoente máximo desta geração, e quiçá de todo o hóquei em patins gaulês, é Carlo Di Benedetto, que viaja para Follonica com os irmãos – gémeos entre si, um ano mais novos que Carlo – Roberto e Bruno num grupo valoroso que conta com os luso-franceses Keven Correia (guarda-redes) e Anthony Da Costa e ainda Lilian Debrouver (guarda-redes), Antoine Le Berre, Clément Chedmail, Quentin Podevin e Rémi Herman que, tal como o mais velho dos Benedettos, esteve no Mundial de seniores.

A França terminou em terceiro em 2014 e 2012, sempre à frente da Itália. Em 2001, sem Espanha, conseguiu a melhor classificação, um segundo lugar.

Itália

A Itália é sempre uma incógnita. Campeã da Europa de Sub-17 e de Seniores em 2014 depois de no mesmo ano não se ter conseguido livrar do último lugar na Taça Latina, não confirmou as credenciais ganhadoras em 2015, apesar de no Mundial de Sub-20 ter “caído” após uma excelente partida com Portugal nas meias-finais, decidida por golo de ouro.

Para esta selecção de Sub-23, Massimo Mariotti chamou os guarda-redes Michael Saitta e Mattia Verona e os jogadores de pista Alessandro Verona, Andrea Scuccato, Davide Banini, Davide Gavioli, Filippo Compagno, Francesco Compagno, Giulio Cocco e Stefano Paghi.

Giulio Cocco

Paghi é o único jogador de 1994 (os “mais velhos” permitidos) numa selecção onde Francesco Compagno, de 1999, salta directamente da selecção transalpina de Sub-17 que esteve no Europeu do Luso em Setembro para a selecção Sub-23.

Mas a figura da “squadra azzurra” é sem dúvida Giulio Cocco. Com uma qualidade técnica que tem escasseado no hóquei italiano, o jovem jogador do Breganze tem galgado etapas na sua formação e surge como figura de proa de uma selecção que quer ganhar perante o seu público.

A Itália conquistou a Taça Latina três vezes, a última das quais em 1990. Organizou três vezes a prova mas nunca ganhou em "casa".

Jogos-treino

Entretanto, a selecção portuguesa anunciou dois jogos-treino no plano de preparação para esta Taça Latina. Os portugueses concentram-se este domingo no Luso e recebem no Gimnodesportivo local as visitas de Sanjoanense (segunda, 20h) e do Académico de Cambra (terça, 20h30). Na quarta-feira a selecção das quinas parte para Itália.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade