Notícia

Porto triunfa no 40º Inter-Regiões

Mar 21, 2016

Foto "Cinco Ideal": Site do Inter-Regiões 2016 (FPP)

Numa final emotiva, o Porto venceu Lisboa na decisão das grandes penalidades por 6-7 e revalidou o título do Inter-Regiões conquistado em 2015 na Mealhada.

Foi um jogo digno de final. A selecção Sub-15 da AP Porto adiantou-se no marcador por Diogo Abreu, confirmando a vitória – por 0-2 – na fase de grupos frente a Lisboa. Mas a equipa de Nuno Henriques nunca desistiu de procurar recuperar o título que vencera por três anos consecutivos antes de o perder no último ano na Mealhada.

E, num minuto final de primeira parte com quase tudo a correr bem, Lisboa virou o resultado por Bruno Santos e Afonso Severino e ainda podia ter ampliado, não fosse um livre directo desperdiçado.

Lisboa marcou por seis vezes, incluindo grandes penalidades, mas acabou por não ser suficiente

Na etapa complementar, o Porto puxou dos galões e assinou a sua reviravolta, também no espaço de um minuto. Diogo Abreu fez o 2-2 e João Pereira consumou a reviravolta dos “verdes” [ndr: a AP Porto joga de verde e a AP Lisboa de preto]. No entanto, Lisboa tinha uma última palavra no tempo regulamentar e, com um golo do capitão Gustavo Pato a oito minutos do final, levou o jogo para prolongamento.

O prolongamento, depois de uma meia-final jogada ao início do dia, acabou por ser uma formalidade para a decisão nas grandes penalidades. Na série de cinco, João Pereira, Diogo Barata e Diogo Abreu marcaram para o Porto e Gustavo Pato, Afonso Severino e Bruno Santos – os mesmo que tinham marcado de bola corrida – marcaram para Lisboa, deixando tudo igual.

Na segunda série, Diogo Abreu marcou o seu quarto golo no jogo e deu o título à equipa orientada por João Camões.

A “selfie” da vitória

O Porto acabou por não ser tão dominador como em 2015, mas teve um percurso seguro. Entrou com uma goleada sobre Setúbal por 12-0, vencendo depois Coimbra pela margem mínima (2-3) e o Ribatejo por “escassos” 2-0. E a vitória sobre Lisboa no fecho da fase de grupos por 0-2 confirmava em definitivo a candidatura à revalidação do título. Nas meias-finais, a “vítima” foi Leiria (0-3), seguindo-se a decisiva partida com Lisboa.

Terceiro e quarto lugares

No jogo de apuramento dos terceiro e quarto classificados, Minho e Leiria dariam o mote para a final. Empataram a dois no tempo regulamentar e, sem golos no prolongamento, levaram o jogo para as grandes penalidades. Sorriu a vitória ao Minho, com um total de 4-2, que assim, tal como no ano passado, garantiu o pódio.

A tensão das grandes penalidades já tinha assolado o jogo dos terceiro e quarto lugares

Classificação final

A restante classificação ficou assim definida: Coimbra (5º), Aveiro (6º), Ribatejo (7º), Alentejo (8º), Setúbal (9º) e Açores (10º).

Cinco ideal

Numa votação levada a cabo entre as selecções antes dos jogos decisivos, foi escolhido o cinco ideal da competição. Alejandro Edo (AP Porto), campeão da Europa de Sub-17, foi o eleito para a baliza, tendo a seu lado João Pereira, também da AP Porto. Do finalista vencido, a AP Lisboa, foram eleitos Afonso Severino e Gustavo Pato. E do Minho, que terminaria em terceiro, foi escolhido Rodrigo Martins.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade