Notícia

… e no fim ganha Gil

Jun 01, 2016

Fotos: Gabriele Baldi

O Forte dei Marmi conquistou a Legahockey na “negra”, ao vencer o Lodi por 6-3.

Foi um campeonato repleto de emoções. Decidido no play-off, o principal campeonato italiano – a Legahockey – precisou de cinco partidas entre Forte dei Marmi e Lodi para se encontrar o campeão.

Entrou melhor na decisão o Lodi, que esta época já vencera a Coppa Itália. Na ressaca da Final Four de Lisboa, o Forte dei Marmi caiu com estrondo (5-1) perante Ambrosio – de quem se diz poder estar a caminho do rival desta final -, Illuzzi e companhia.

Os jogos da final da Legahockey tiveram honra de transmissão televisiva na RaiSport2.

No segundo jogo e perante os seus adeptos, o bicampeão Forte mostrou a sua força. Pedro Gil abriu e fechou a contagem para um 6-2 que apagava a má imagem do primeiro jogo. Mas, ao terceiro jogo, o Lodi voltava a ganhar vantagem. Com o guarda-redes Adrià Català en destaque, os “giallorosso” levaram a decisão para as grandes penalidades e, depois de um 2-2 no final do tempo regulamentar, Federico Ambrosio e Alessandro Verona marcaram, tornando o golo de Pedro Gil insuficiente.

O Forte dei Marmi jogou os jogos 2 e 3 em casa emprestada, no Palarmeni Follonica por interdição do PalaForte após invasão de campo no jogo decisivo das “meias” frente ao Viareggio.

O primeiro “championship point” chegou ao quarto jogo. De regresso ao PalaCastelloti em Lodi, os pupilos de De Rinaldis tinham uma oportunidade de ouro de conquistar o segundo “scudetto” da história do clube depois da inédita conquista de 1980-81. E a menos de 10 minutos do apito final, tudo parecia apontar nesse sentido, com um 4-2 no marcador. Cancela reduziu para 4-3 mas o Lodi conseguia chegar aos derradeiros dois minutos ainda na frente. Depois, entrou em cena Pedro Gil. Primeiro de livre directo, depois de bola corrida, consumava a reviravolta que levava a decisão para o PalaForte.

A festa do Forte

Na “negra”, perante 1400 “tiffosi”, o tridente espanhol – e em particular Pedro Gil – voltou a fazer a diferença. Enric Torner adiantou a equipa de Pierluigi Bresciani mas Malagoli empatou. O capitão Pedro Gil abriu então o livro… Em momentos ditos chave – a meio minuto do intervalo e apenas com meio minuto decorrido na segunda parte – bisou e deu uma decisiva vantagem de dois golos ao Forte num duelo muito equilibrado.

Alessandro Verona (3-2) e Franco Platero (4-3) – com o terceiro de Gil, de livre directo, pelo meio - ainda mantiveram o Lodi vivo, mas os dois minutos finais voltaram a ser fatais. De livre directo, Pedro Gil, a selar um poker, e Pablo Cancela fizeram o 6-3 que valeu o tricampeonato para o Forte.

O tridente espanhol do Forte assinou os 11 golos dos dois últimos jogos. Enric Torner marcou dois, Cancela três e Pedro Gil seis.

O Forte dei Marmi terminou a primeira fase em primeiro (o que lhe valeu o “factor casa” para a fase decisiva) e na fase final superou consecutivamente Monza (2-0 em jogos), Viareggio (2-1 em jogos) e, finalmente, o Lodi.

Pedro Gil sagrou-se campeão italiano pela quarta vez consecutiva. De saída para o Sporting, foi sempre campeão nas quatro temporadas que passou em Itália, uma no Valdagno e três no Forte dei Marmi. Também de saída para Portugal está um dos “fieis escudeiros” de Gil: o galego Pablo Cancela vai representar a Oliveirense.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade