Notícia

Diogo Neves em Itália

Jun 09, 2016

Diogo Neves vai representar o Bassano na próxima temporada.

O jogador de 22 anos, ligado contratualmente ao Benfica, vai iniciar a sua terceira época como sénior e completar o périplo pelos três grandes campeonatos da Europa, depois de ter representado Paço de Arcos (2014/15) e os espanhóis do SHUM (2015/16). "Estou muito contente por ter a oportunidade de puder passar pelas três melhores ligas de Hóquei em Patins", congratulou-se ao HóqueiPT.

Em Bassano, a aposta é num trio que respira talento. Para além de Diogo Neves, os "giallorossi" garantiram os catalães Marc Julià (Manlleu) e Ferran Formatjè (Alcoy). "Será um registo completamente diferente", refere o internacional jovem português, empolgado com as metas delineadas pelo clube italiano. "Integrarei uma equipa com outros tipos de objectivos e ambições, e terei que trabalhar bastante", frisa.

O Benfica anunciou, para além do empréstimo de Diogo Neves, a renovação do empréstimo de Alexandre Marques (“Xanoca”) ao Turquel.

A equipa que continuará às ordens de Pino Marzella vai disputar a Taça CERS. "Jogar nas competições europeias é bastante importante para mim, uma vez que me permitirá vivenciar outro tipo de experiências”, refere, sublinhando que tal também confere “mais visibilidade".

O vínculo de Diogo Neves com o Benfica é de mais dois anos, até 2018.

Quando Diogo chegou a acordo com o Bassano, o sonho ia mais longe. “Quando assinei, havia a possibilidade de jogar a Liga Europeia, mas, infelizmente, não conseguiram ficar nos lugares que dariam acesso”, lamenta, mas sem ficar abalado. “Ingressar numa equipa que tem como objectivo chegar longe na Taça CERS deixa-me muito entusiasmado”, ressalva.

SHUM relegado

Diogo Neves foi um dos destaques do SHUM na OK Liga mas não conseguiu evitar a descida à Primera Division, sentenciada pela derrota em Vic, por 3-1, na penúltima jornada. “Desde inicio que tínhamos noção que não seria fácil devido a sermos uma equipa muito jovem, com muita inexperiência, apesar de termos valor”, começa por explicar. “Fizemos uma boa primeira volta, em que terminámos com 17 pontos e surpreendemos muitas equipas”, analisa. “Ganhamos em casa de adversários que ninguém esperava”, recorda.

No entanto, houve problemas a condicionar a época da equipa de Maçanet.

Com Pedro Cerqueira e Hélder Nunes, na edição deste ano da Taça Latina, que Portugal conquistou... em Itália

“Houve alguns problemas a nível interno. Perdemos uma peça fundamental na nossa equipa, o nosso guarda-redes titular e capitão. A equipa foi abaixo e perdemos jogos muito importantes contra adversários directos e, apesar de termos estado a lutar até ao final, já não foi possível uma vez que tínhamos de ganhar quatro dos últimos cinco jogos, em que dois deles eram contra o Barcelona e o Vic”, expõe, constatando uma missão praticamente impossível. “Tenho pena de não ter conseguido alcançar o objectivo colectivo”, lastima.

Diogo Neves terminou a OK Liga com 21 golos apontados, como terceiro melhor marcador do SHUM, só superado por Lluis Ferrer (24) e Ferran Garcia (30) e granjeando reconhecimento como especialista de bolas paradas. “A nível individual foi bastante positivo. Foi uma época em que tive oportunidade de jogar contra grandes equipas, grandes jogadores e em que, na minha opinião, ganhei muita experiência e me fez crescer muito”, conclui.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade