Notícia

Outro nível

Jul 11, 2016

A Espanha teve uma entrada tranquila no Europeu, vencendo a congénere suíça por 0-12.

O terceiro jogo do Europeu marcou a estreia da equipa portuguesa... de arbitragem. Paulo Rainha e Rui Torres apitaram o encontro entre Áustria - sob o comando de João Meireles - e Espanha e, como esperado, não teriam tarefa complicada.

Roman Mohr voltou a ser um muro na baliza austríaca como no Mundial e só cedeu com praticamente meia parte decorrida e de grande penalidade. O capitão espanhol, que depois de muitos anos não é Pedro Gil mas Jordi Bargalló, inaugurou o marcador. E, menos de meio minuto volvido, o irmão Pau fez o 0-2.

Roman Mohr foi um muro com poucas "brechas" na primeira parte

A Espanha crescia e ganhava velocidade com as entradas sucessivas de Ton Baliu, Cristian Rodriguez, Eloi Mitjans e Jepi Selva. Ton - reforço do Porto para a próxima temporada, tal como o guarda-redes titular neste jogo, Carles Grau - deixou logo a sua marca, apontando o 0-3. Pouco depois, Jordi, que parece assumir não só a braçadeira mas também a veia goleadora de Pedro Gil, bisou e fez o 0-4.

Iniciou com o quarteto - veloz em pista - que começara no banco mas terminara a primeira parte em rinque. A Áustria também promovia alterações, começando na baliza. Entrou Klemens Schussling e fez de Mohr, adiando o golo espanhol. O quinto da equipa de Quim Paüls "apenas" surgiria com mais de seis minutos cumpridos, por Cristian Rodriguez, mas, em cerca de minuto e meio, Jepi Selva - este, tal como Jordi Bargalló, a jogarem na sua futura casa, em Oliveira de Azeméis - e Ton Baliu elevaram o resultado para 0-7.

Jordi Bargalló subiu a parada; depois de Ambrosio marcar três, o capitão espanhol marcou quatro

João Meireles pediu um desconto de tempo e os austríacos voltaram a atinar defensivamente. No entanto, o cansaço era notório nos jogadores às ordens de Meireles e a marcha dos minutos foi impiedosa. Schussling ainda impediu de forma milagrosa um golo que parecia certo a Pau Bargalló, mas não resistiu aos cinco minutos finais da selecção espanhola, a impor um ritmo forte. Bancells e Jordi Bargalló (por duas vezes cada) e Jordi Burgaya dilataram a vantagem para 0-12, este último com uma assistência de Jepi depois de uma recepção mágica no ar.

Esta terça-feira, em segunda jornada do grupo B, a Espanha defronta Portugal num dérbi ibérico que, em fase de grupos, não terá carácter decisivo.

João Meireles armou bem a equipa

Sob arbitragem da dupla Paulo Rainha e Rui Torres (ambos de Portugal), as equipas alinharam da seguinte forma:

Austria com Roman Mohr (gr), Jakob Stockinger, David Huber, Manuel Parfant e Tobias Winder - cinco inicial - Jean Carlos Theurer, Klemens Schussling (gr), Andreas Magister, Robin Wolf e Aurel Zehrer. Treinador João Meireles.

Espanha com Carles Grau (gr), Jordi Burgaya (1), Romà Bancells (2), Pau Bargalló (1) e Jordi Bargalló (4) - cinco inicial - Ton Baliu (2), Cristian Rodriguez (1), Eloi Mitjans e Jepi Selva (1). Treinador Quim Paüls.

Registaram-se 13 faltas para a Áustria e sete para a Espanha, sem qualquer cartão mostrado.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade