Notícia

Decidido na primeira parte

Jul 12, 2016

Portugal começou o Europeu da melhor maneira, ao vencer a Suíça por 8-0.

O jogo inaugural de Portugal no Europeu em que deposita muitas esperanças encerrou o primeiro dia de competição. Antes, na cerimónia de abertura, com discursos de Hermínio Loureiro, presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, e Fernando Claro, presidente da Federação de Patinagem de Portugal, este último declarou o campeonato oficialmente aberto.

Vitória portuguesa começou num azul a Vizio

E Portugal também não tardou a abrir as hostilidades. Com dois minutos e meio cumpridos, Barreiros foi chamado a converter uma grande penalidade, que seria mandada repetir e culminaria com o azul a Jean-Pierre Vizio. À terceira, já com Roman Langenegger na baliza, Ricardo Barreiros fez o golo e a Charanga da União - claque afecta à Oliveirense que Barreiros representa - fez a festa maior. Não uma, mas duas vezes, dado que o "sete" português bisaria pouco depois.

Federico Garcia foi, a par de Kissling, o melhor da selecção helvética

A Suíça reorganizou-se e terá mesmo surpreendido pelo bom nível, com o regressado Federico Garcia e Pascal Kissling em evidência num grupo com muitos jogadores jovens.

No entanto, mais eficaz, Portugal ampliaria a vantagem até à mão cheia que se viria a verificar no recolher aos balneários. Primeiro, novamente de bola parada, apesar de Gonçalo Alves só ter conseguido marcar na recarga. Depois, em dois ataques rápidos, concluídos por Diogo Rafael e Rafa, este a finalizar já em queda.

A vantagem de cinco golos ao intervalo não tardou a ser ampliada, com Diogo Rafael a marcar com apenas meio minuto decorrido na etapa complementar, matando definitivamente a partida.

Henrique Magalhães e Nélson Filipe foram praxados

Apesar de alguns excelentes pormenores técnicos dos jogadores portugueses - e, em particular, de Rafa -, as acções ofensivas eram inconsequentes. Tal como as acções suíças, que não causaram problemas a Nélson Filipe, guardião da baliza portuguesa na segunda metade do jogo.

O sétimo golo, por Gonçalo Alves a pouco mais de quatro minutos do final, surgiu como uma "pedrada", quer no sentido da potência do remate de meia distância, quer no agitar do "charco". Rafa, pouco depois, concluiu um lance rápido, numa triangulação que teve o primeiro vértice em Barreiros e o segundo em Gonçalo Alves, e fixou o resultado final.

Triangulação entre Barreiros, Gonçalo e Rafa fechou o resultado

Sob arbitragem da dupla Xavier Jacquart (França) e Derek Bell (Inglaterra), as equipas alinharam da seguinte forma:

Portugal com Ângelo Girão (gr), Reinaldo Ventura, Ricardo Barreiros (2), Hélder Nunes e João Rodrigues - cinco inicial - Gonçalo Alves (2), Diogo Rafael (2), Rafa (2) e Henrique Magalhães. Treinador Luís Sénica.

Suíça com Jean-Pierre Vizio (gr), Nino Wyss, Gael Jimenez, Pascal Kissling e Federico Garcia - cinco inicial - Roman Langenegger (gr), Gian Rettenmund, Dominic Wirth, Camillo Boll e Raphael Rettenmund. Treinador Gian-Luca Privitelli.

Registaram-se nove faltas para Portugal e apenas quatro para a Suíça, com Jean-Pierre Vizio a ver o azul.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade