Notícia

Viana vai com vantagem à Catalunha

Dec 19, 2016

A Juventude de Viana venceu o Vilafranca por 3-1 e parte em vantagem para a segunda mão dos oitavos-de-final da Taça CERS.

Muito mudou no Vilafranca desde que o emblema catalão visitou Viana do Castelo há apenas um ano, na caminhada que o levou até à final em Barcelos. A equipa foi delapidada com a partida do técnico Jordi Garcia, que levou consigo os principais jogadores da equipa.

Francisco Silva já marcara dois golos ao Vilafranca na temporada passada e, nesta eliminatória, já soma mais um

Do empate a três em Viana e da vitória por 5-3 na recepção aos vianenses de 2015/16 já não há Rocasalbas (dois golos em Viana e um em Vilafranca), nem Edu Fernandez (um em Viana, dois em Vilafranca), nem o guarda-redes Gerard Camps ou Marc Navarro... Nessa eliminatória, pelo Viana marcaram Nelson Pereira, Nuno Félix e André Azevedo (no Minho), Gustavo Lima e Francisco Silva por duas vezes (na Catalunha). E, exceptuando Nuno Félix que não constou nos convocados, todos entraram em pista com vontade de rectificar o afastamento da última temporada.

Na CERS, Josep Delriu terá recordações antagónicas com equipas portuguesas. Ao serviço do Vilanova, venceu em 2007 a prova como jogador frente ao Candelária, e em 2011 perdeu, como treinador, a final com o Benfica.

Mas foi o Vilafranca que se adiantou no jogo e na eliminatória. No conjunto agora orientado por Josep Lluis Delriu, as figuras maiores são o capitão Jordi Galán e Angel Rodríguez - de regresso após um polémico castigo por "doping" - mas foi Marc Palau quem marcou.

A Juventude reagiu e bateu David Arellano, que passou pelo Hóquei em Patins português e é reforço desta época para a baliza "vilafranquense", por três vezes, com Tó Silva, Francisco Silva e Diogo Fernandes a selarem ainda na primeira parte o resultado final.

Angel Rodriguez foi o mais perigoso dos catalães

A segunda parte teve muito de cautelas de parte a parte e nada de golos, também por culpa de Arellano e Bosch, pois ambas as equipas tiveram boas oportunidades de fazer mexer o marcador. A Juventude de Viana esteve largos minutos - até ao apito final - à beira da 10ª falta, mas o Vilafranca preferiu não correr riscos e não forçou.

A diferença de dois golos beneficia os vianenses mas deixa tudo em aberto para a segunda mão. Em particular num pavilhão que viu o Vilafranca chegar à última Final Four da CERS com um golo no derradeiro segundo, frente ao Reus.

No final da partida, Renato Garrido elogiou a organização defensiva da sua equipa, sublinhando o trabalho realizado durante a semana nesse sentido.

Josep Delriu, treinador do Vilafranca, lamentou a dificuldade de adaptação à pista, que complicou a tarefa na primeira parte do jogo. Na segunda parte, os catalães estiveram melhor e vêm a diferença de dois golos como recuperável na segunda mão.

Turquel, Caldes e Igualada com o pássaro na mão

O vencedor da eliminatória entre Viana e Vilafranca irá defrontar nos quartos-de-final o mais forte entre Follonica e Óquei de Barcelos. Nessa eliminatória, também saíram vencedores os minhotos por 1-3, num resultado que ganha outra importância por ter sido conseguido fora. Os italianos jogaram desfalcados, mas a missão de virar a eliminatória na casa do detentor do troféu adivinha-se extraordinariamente complicada.

Nos outros confrontos dos oitavos-de-final da Taça CERS, três equipas têm o apuramento para a próxima fase praticamente garantido. O Turquel venceu o Walsum por 4-0, o Caldes confirmou o favoritismo frente ao Wimmis vencendo por 5-1 e o Igualada destroçou o Reimscheid com uma vitória por 11-1.

Turquel viaja com vantagem de quatro golos para a Alemanha

A apurar-se, a equipa da Aldeia do Hóquei terá um adversário italiano como último obstáculo antes da Final Four. No embate com o Monza, o Sarzana venceu por 6-4. Uma vantagem que não dá qualquer tipo de tranquilidade, mas que trará mais preocupações ao Monza de Francesco Compagno, Lucas Martinez e companhia... O Monza já recebeu o Sarzana para a LegaHockey, tendo vencido... mas por "apenas" 4-3.

O Caldes aguarda para saber se viaja até França ou Itália para confirmar a esperada presença na Final Four. O Saint-Omer bateu o pé aos italianos do Trissino com uma vitória por 4-3 e a eliminatória pode cair para qualquer um dos lados.

Entre os portugueses do Ploufragan está um campeão do Mundo. Rui Cova conquistou o título (de Sub-20) em 2003, no Uruguai.

A expressiva vitória do Igualada deixa-os como meros espectadores na segunda mão, atentos ao desfecho do confronto entre Viareggio e Ploufragan. Os italianos surgem como um forte candidato à final depois de terem eliminado o Vendrell na ronda anterior. Mas não esperariam que os franceses do Ploufragan surgissem nesta eliminatória como um grupo de irredutíveis... portugueses. A equipa dos irmãos Bertolucci venceu por 7-4 e deverá confirmar a passagem, mas os dois golos de David Abreu e um de Rui Cova - para a equipa que conta também com João Patrício - inspiram desconfiança e a necessidade de cautelas na deslocação dos transalpinos à Bretanha.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade