Notícia

Benfica empata e perde liderança

Mar 05, 2017

O Benfica perdeu este sábado a liderança do Campeonato Nacional da I Divisão.

A 17ª jornada, ainda por concluir, culminará - independentemente dos resultados em falta - com a Oliveirense na frente da classificação. A equipa de Oliveira de Azeméis recebeu e venceu o Turquel por 5-2, com Pablo Cancela em destaque, ao apontar quatro golos.

Na Luz, o Benfica precisava de vencer a Juventude de Viana para garantir uma vantagem de pelo menos dois pontos sobre a Oliveirense, e tudo parecia bem encaminhado para os da Luz quando, aos quinze minutos, venciam já por três golos de vantagem. João Rodrigues bisou a passe de Nicolía e de Diogo Rafael, e Jordi Adroher fez o terceiro, obrigando a um pedido de desconto de tempo pelos vianenses.

João Rodrigues - que terminaria com quatro tentos - apontou os dois primeiros golos da partida

Os conselhos do treinador Renato Garrido, suspenso mas bem perto do seu banco, não tardaram a surtir efeito, com Diogo Fernandes a reduzir para 3-1. O atacante veria depois um azul (o primeiro de cinco que houve na partida), mas Jordi Adroher não conseguiu bater Edo Bosch, que embalava para uma grande exibição. Tó Silva não fez melhor do outro lado, perdendo a oportunidade de transformar a 10ª falta encarnada em golo.

O avançado que já representou o Benfica não marcou sobre o final da primeira parte, mas marcou no início da segunda. Ainda não estavam cumpridos três minutos de uma segunda parte que seria "louca", quando Tó bateu Diogo Almeida - no lugar do castigado Trabal - para a diferença mínima no marcador.

Diogo Fernandes marcou o único golo vianense da primeira parte

A Juventude de Viana reentrava no jogo e esteve perto da igualdade um minuto volvido, mas Tó Silva voltou a não conseguir marcar de livre directo, desta feita após azul a Diogo Rafael. Poderia o Benfica ter então disparado no marcador, porém Carlos Nicolía também não marcou de livre directo. Nem após azul a Gustavo Lima, nem na 10ª falta vianense.

A malapata da marca de sete metros e quarenta só terminou a meio da segunda parte, quando Diogo Fernandes fez o 3-3. E, cerca de meio minuto depois, Nelson Pereira rematava forte para a primeira vantagem da Juventude de Viana no encontro (3-4).

Nuno Santos aponta o 3-5

Pedro Nunes pediu um desconto de tempo, mas a equipa - habituada a uma alta intensidade - acusava a falta de mais um elemento (Tiago Rafael, castigado tal como Trabal) para a rotação. A relativa surpresa da desvantagem do bicampeão nacional na sua pista ganharia outras proporções quando Nuno Santos fez o 3-5 a nove minutos do fim.

Com as "costas" bem guardadas por Edo Bosch, a Juventude de Viana jogava de forma segura, em bloco, e não se limitava a defender a vantagem construída. Diogo Fernandes teve nova oportunidade de livre directo, mas Diogo Almeida levou a melhor. E, a cinco minutos do fim, João Rodrigues fazia de grande penalidade o 4-5. Era um prémio para uma reacção encarnada muito emotiva, quase sempre pouco racional, mas que não pôde ser capitalizado da melhor maneira. Logo após o golo, João Rodrigues viu o azul e Tó Silva, na recarga ao livre directo, fez o 4-6. Ainda com o especialista João Rodrigues a cumprir dois minutos de suspensão, o Benfica dispôs de uma grande penalidade. Chamado, o capitão Valter Neves não conseguiu bater Edo Bosch.

Dois golos de Nicolía deixaram o jogo empatado a seis

A Juventude de Viana tinha o mérito de não perder o seu foco e entrava nos derradeiros três minutos a ganhar por dois. Mas, mal foi reposta a igualdade numérica, os vianenses cometeram a 15ª falta. E, desta feita, Nicolía não falhou e reduziu para 5-6. O argentino assumia o jogo ofensivo dos encarnados de forma cada vez mais vincada, reclamando sucessivamente da forma como os adversários o travavam. Não seria parado a minuto e meio do final, rematando a meia altura para a igualdade a seis.

A repetição da história da quarta jornada, em que o Benfica venceu por 4-5 nos instantes finais após estar a perder por 4-3, era desejo dos encarnados e receio dos vianenses.

Tó Silva fez o 6-7 já no último minuto, mas o Benfica ainda conseguiria empatar

O Benfica apostava tudo no ataque... e deixava Diogo Almeida pouco protegido. Já no último minuto, Tó Silva selou um hat-trick pessoal para vantagem justificadamente celebrada. Mas ao melhor marcador da Juventude - com 19 golos antes desta jornada - respondeu de imediato o mais certeiro do Benfica e do campeonato: João Rodrigues fez o 7-7 a 45 segundos do final. E ficavam, enfim, fechadas as contas.

O empate soube a pouco à Juventude de Viana, que teve a vitória na mão, e ao Benfica, que tinha quase certa a perda de liderança no campeonato, confirmada no final da partida de Oliveira de Azeméis. Na conferência de imprensa, Vasco Rocha, dirigente vianense que com o nível I de treinador fez o "papel" de Renato Garrido no banco, deixou elogios à preparação da equipa ao longo da semana, depois de "injustiça" na derrota da jornada anterior frente à Oliveirense.

Pedro Nunes recordou declarações anteriores em que referia que este campeonato seria discutido até ao fim e que era preciso estar atento para lá dos jogos entre os quatro assumidos candidatos ao título. Sobre a ausência de Guillem Trabal e, em particular, Tiago Rafael - a proporcionar menos opções no banco -, o técnico encarnado referiu que o Benfica adaptou a sua intensidade em função desse handicap.

A jornada prossegue este domingo, com os jogos que faltam para completar a 17ª jornada. O Porto recebe o Tomar a partir das 15h, enquanto o Sporting recebe o Riba d'Ave em jogo agendado para as 17h30. Depois, o Nacional só regressará dia 25, após interregno para competições europeias - aproveitando Riba d'Ave e Valongo para cumprirem jogo em atraso - e Taça de Portugal.

Jogos relacionados

SL Benfica
7 : 7
4 Mar 15h00
A Juv Viana

Provas relacionadas

Campeonato Nacional da I Divisão - Campeonato
Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade