Notícia

Paço de Arcos vence na 'guerra' da manutenção

Mar 06, 2017

O Paço de Arcos venceu o Candelária por 6-4 e subiu ao nono posto.

Na desesperada luta pela manutenção, o Paço de Arcos é quem sai com mais razões para sorrir finda a 17ª jornada.

Na recepção ao Candelária, a equipa da Linha inaugurou o marcador aos oito minutos, já depois de Rui Pereira ter desperdiçado um livre directo. Mas os picarotos reagiram e deram completamente a volta ao marcador.

Tiago Resende assinou o terceiro dos picarotos

Com golos de Pedro Afonso, Johe e Tiago Resende (todos com passagens pelo Paço de Arcos), o Candelária chegou ao intervalo a vencer (e convencer) por 1-3.

Todavia, na etapa complementar, o histórico emblema da Linha foi à procura dos preciosos pontos e, com assinatura de Rui Pereira e Tiago Losna, deu nova "virada" no resultado, chegando aos 5-3.

Rui Pereira

O Candelária - muito castigado com cartões - ainda reduziu para a diferença mínima, por Pedro Afonso, mas com Johe a ser expulso pouco depois - a sete minutos e meio do final - a tarefa tornava-se complicada... Ainda assim, foi apenas a minuto e meio do derradeiro apito que Tiago Losna fez o 6-4 que decidia de vez a questão do vencedor.

No final do encontro, Jorge Godinho estava naturalmente satisfeito pela vitória nesta que é uma luta "pelo ponto". Com uma carreira irregular, o técnico aponta alguma falta de confiança aos seus jogadores, que espera seja recuperada agora com duas vitórias consecutivas.

Esta foi a segunda vitória consecutiva do Paço de Arcos no campeonato, depois de ter vencido na ronda anterior em Valença (1-2), o que lhe permite respirar um pouco (mas pouco...) acima da linha de água.

O Paço de Arcos entrou no novo ano com novo treinador. Mas, nos cinco primeiros confrontos, Jorge Godinho conseguiu apenas um ponto, curiosamente num empate a dois frente ao Barcelos que se adivinharia a tarefa mais difícil.

Diego Dias ficou em branco frente ao Candelária, mas marcara em cinco dos seis encontros anteriores.

Muito para jogar...

Com esta vitória, o Paço de Arcos passa a somar 16 pontos numa luta em que Valongo (17 pontos) e Riba d'Ave (13) têm um jogo a menos.

Há ainda nove jornadas para disputar e tudo pode acontecer em relação aos três últimos - e malditos - lugares da tabela, que têm sido marcado por muitas mudanças. Para já, Sanjoanense e Candelária, que se defrontam no Pico na próxima jornada, dia 25 (o campeonato vai parar para competições europeias e Taça de Portugal), seguram a lanterna-vermelha a meias com 11 pontos.

Johe viu vermelho em Paço de Arcos e fará falta nos ao Candelária na luta pela manutenção

A Sanjoanense tinha ganho nova vida com quatro pontos conquistados em dois pontos, mas nesta ronda baqueou no confronto directo com o Valença (4-5), que garantiu três importantes pontos em São João da Madeira e passa a somar 15. A equipa do Alto Minho vinha de quatro jogos sem perder quando foi "parada" na jornada anterior pelo Paço de Arcos. Retoma agora a conquista de pontos e ascende ao 10º posto.

Apenas duas vitórias separam o 8º (Valongo) do 14º (Candelária) e pelo meio há ainda Turquel e Riba d'Ave, que não somaram pontos nesta jornada, com, respectivamente, derrotas em Oliveira de Azeméis (5-2) e Alverca (11-3, frente ao Sporting). Colados à linha de água, os da Aldeia do Hóquei estão acima (11º), com 14 pontos, e o Riba d'Ave está abaixo (12º) com 13. Mas menos um jogo.

Riba d'Ave recebe o Valongo dia 11, em jogo em atraso da 16ª jornada.

No jogo em atraso entre Riba d'Ave e Valongo, as duas equipas tentarão quebrar um ciclo de cinco derrotas consecutivas. Se o Riba d'Ave vencer, salta de 12º para 9º e deixa o Turquel no grupo dos três últimos. Na primeira volta, Valongo e Riba d'Ave empataram a quatro, mas o Valongo irá procurar desde já recuperar o ritmo de vitórias que, antes de defrontar consecutivamente os cinco da frente (redundando em quatro desaires), ia em cinco sempre a ganhar.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade