Notícia

A voz dos Clubes

Mar 25, 2017

A Federação de Patinagem de Portugal (FPP) reúne-se este sábado com os seus associados em Assembleia Geral para aprovação das contas de 2016.

Entre os "sócios" que poderão votar, a Associação Nacional de Clubes de Patinagem (ANACP) é a que tem mais "poder", tendo no conjunto dos seus delegados 35%. As Associações Regionais somam também 35%, mas, apesar de nesta votação não serem esperadas divergências, noutras assembleias o consenso entre AP's adivinha-se mais complicado de conseguir do que no seio da ANACP.

Tendo também em vista a participação nesta AG da FPP, a ANACP promoveu a sua reunião magna de aprovação de contas no passado dia 11 no Pavilhão Municipal da Mealhada, estando representados 10 clubes, mais um novo associado.

A ANACP conta com cinco dezenas de clubes como associados. Da I Divisão, apenas Candelária, Sanjoanense e Valença não se associaram.

A Académica de Coimbra, Académico da Feira, Alverca, Famalicense, Juventude de Viana, Limianos, Mealhada, Sobreira, Sporting e Porto, juntou-se o Sporting de Tomar na pessoa do seu presidente, Ivo Querido Santos, desde cedo a mostrar poder ser uma mais valia dentro da Associação Nacional de Clubes.

Rui Carvalho, presidente da ANACP, fez o balanço das actividades, num ano de consolidação da associação na Patinagem nacional. A Elite Cup, evento maior - quer em projecção, quer em custos - realizado sob alçada da associação, foi foco de conversa e a segunda edição, planeada para Outubro, deverá ser mesmo uma realidade.

Elite Cup trouxe projecção à Associação

Abordados temas da Patinagem Artística e Patinagem de Velocidade, porque a Associação é de "Clubes de Patinagem" e não "de Clubes de Hóquei em Patins", os assuntos mais quentes acabaram mesmo por ser os do Hóquei em Patins.

Em dia marcado pelas notícias da ida de Paulo Freitas para o Sporting [ndr: o técnico realizaria nesse dia o seu último jogo à frente do Óquei de Barcelos], a lei das transferências - em particular na recompensa aos clubes formadores - e as arbitragens que tanto têm dado que falar estiveram no topo da ordem de trabalhos como assuntos que deverão ser também abordados na AG da Federação de Patinagem de Portugal. Tal como a alteração ao quadro competitivo da I Divisão, elaborada por consenso dos clubes e cuja proposta foi entregue, mas à qual tarda em haver qualquer resposta.

A ANACP mostra ideias, vontade e está apostada em dar outra dimensão aos desportos de patinagem, em particular ao Hóquei em Patins. Para já, vai esbarrando em alguma rigidez processual do organismo maior, a FPP, mas, com o suporte dos clubes, terá de ser necessariamente ouvida.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade