Notícia

FIRS nega Intercontinental a Benfica e Andes Talleres

Apr 14, 2017

A um mês do decisivo fim-de-semana da Liga Europeia, a realização da Taça Intercontinental relativa a 2016 está completamente fora de questão.

Detentor da Liga Europeia, conquistada em Maio de 2016 perante o seu público, o Benfica expressou logo no início da nova temporada - à FIRS, CERS e FPP - a sua vontade em organizar a prova que tem primado pela irregularidade de realização. Ficava a faltar apenas conhecer o adversário, o campeão sul-americano. A meio de Dezembro, o Andes Talleres ganhou o direito a disputar a Intercontinental com os encarnados.

Polémica na edição referente a 2015

Mas antes que a edição que a Intercontinental referente a 2016 pudesse ter lugar, disputou-se a edição de 2015... a 29 de Dezembro de 2016.

A partida de atribuição desse troféu foi rodeada de polémica. O jogo disputou-se na Catalunha, entre o Huracán, campeão sul-americano de 2015, e o Vic, finalista vencido da edição 2014/15 da Liga Europeia. O Vic disputou (e venceu) o título porque o Barcelona não considerou legitimo participar depois de haver novo campeão europeu, e o Comité Europeu acabaria por não reconhecer a prova.

O medir de forças entre o CERS-RH de Fernando Graça e a FIRS de Harro Strucksberg, e a conseguinte repercussão na opinião pública, acabaria por adiar uma decisão para depois das eleições na FIRS, a 11 de Março.

FIRS negou a data mais consensual

Confirmada a continuidade de Sabatino Aracu na presidência da FIRS, mas a entrada do espanhol Carmelo Paniagua - com Fernando Graça, Daniel Martinazzo e António Aguiar como "braços direitos" - para a liderança do Comité Técnico de Hóquei em Patins, o Benfica encetou negociações com o Andes Talleres, apontando, dado o avançado do calendário, a duas datas: a 29 de Abril (na interrupção para a Final Four da Taça CERS), com a vinda dos argentinos a Portugal, ou a 2 de Julho, findo o campeonato português, indo o Benfica à Argentina. Em qualquer dos cenários, todas as despesas de viagem seriam assumidas pelas águias, que procuravam repetir o êxito de 2013.

Benfica conquistou a Intercontinental em 2013, numa decisão com o Sport Recife em Torres Novas

No entanto, a primeira data "caiu" por falta de disponibilidade do Andes Talleres para viajar até Portugal, e a segunda porque se disputaria após a decisão de nova Liga Europeia (que acontecerá a 13 e 14 de Maio), algo que a FIRS, desta feita, não autorizou, apesar de uma primeira definição de data - que, em Dezembro, na Argentina, era "garantida" em Março - ter sido adiada por eleições alheias aos clubes, e de Carmelo Paniagua, agora responsável máximo do Comité Internacional de Hóquei em Patins, ter sido um dos promotores da organização "fora de tempo" do Vic, então como presidente da Federação Espanhola de Patinagem.

A Taça Intercontinental

A Taça Intercontinental é a única prova de clubes organizada pela FIRS, organismo máximo de tutela da modalidade a nível Mundial. Mas, nem por ser "filho único", tem um tratamento condigno. A prova é realizada desde 1983, mas foi disputada apenas em 16 ocasiões de 34 devidas.

O Benfica conquistou o título em 2013, naquela que foi a primeira conquista de Pedro Nunes ao serviço dos encarnados, tornando-se o segundo emblema português a consegui-lo. Antes, só o Óquei de Barcelos o lograra, em 1992.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade