Notícia

Alô, Portugal? Daqui Viareggio...

May 09, 2017

Foto de capa: Viareggino

A notícia de que Reinaldo Ventura poderia estar a caminho do Viareggio teve ecos em Itália.

Questionado pelo jornal Il Tirreno, Alessandro Palagi, presidente do Viareggio, começou por brincar, referindo que se deveria tratar de "outro Viareggio" (o Capezzano), mas confirmou negociações.

Jepi Selva deixou saudades em Viareggio

Ainda que aponte qualquer decisão ao final da época, o presidente dos "bianconeri" não se escusou a confirmar contactos.

"Mas não só com ele", surpreendeu. "Desde o Natal que estamos a analisar atentamente um vasto leque de jogadores, pelo menos oito, experientes e jovens promessas", contou, avançando outros dois nomes do Campeonato Nacional português.

"Estamos a falar também com o Carlos Nicolia e o Jepi Selva, mas tal não significa que no próximo ano estejam connosco", explicou.

O bom e o vilão

Quer Nicolia, quer Jepi têm vínculo com, respectivamente, Benfica e Oliveirense para a próxima temporada. Embora tal não pareça impedir Palagi de sonhar.

No caso de Jepi Selva seria um regresso. Numa decisão que surpreendeu em Espanha, o Reus não quis renovar com o jogador, actualmente com 31 anos, que decidiu aventurar-se enfim - depois de muitas ofertas no passado - em Itália. Rapidamente conquistou os adeptos de forma arrebatadora, deixando saudades no Palabarsacchi.

Carlos Nicolía afirmou-se em Itália

Já Nicolía, que se afirmou em Itália, sempre foi um rival dos "bianconeri" da cidade do Carnaval. O argentino - que também conta 31 anos - chegou a Itália em 2005, para representar o Bassano. Dois anos depois rumou a Valdagno para sete épocas de ligação, chegando cinco vezes à final do playoff e conquistando três títulos. Entre 2011 e 2013, a final foi sempre entre o Viareggio e o Valdagno de Nicolía. O Valdagno venceu duas vezes e o Viareggio uma, para o único título da sua história.

Em 2014, Nicolía rumou ao Benfica e está no topo da sua carreira. Bicampeão nacional, campeão europeu de clubes e campeão do Mundo pela Argentina, o jogador é apontado por muitos como o melhor jogador do Mundo da actualidade.

Viareggio: afirmação na experiência

O Viareggio tem uma história que vem desde 1969, mas conta apenas com um título nacional italiano, uma Coppa Italia (a Taça) - ambos em 2011 - e uma Supercopa em 2013.

Na histórica dobradinha de 2011 já estavam Leonardo Barozzi e os irmãos Bertolucci. E estavam também os experientes Alberto Orlandi, Davide Motaran e os irmãos Mariotti, sendo que Massimo, actual seleccionador transalpino, era treinador-jogador. A equipa terminou a fase regular em primeiro e venceria todos os sete jogos do playoff a caminho do título.

Desilusão na CERS

No último defeso, o Viareggio perdeu Sérgio Silva - que chegara a meio da temporada - e Jepi Selva, mas reforçou-se com os catalães Xavi Costa e Xavi Rubio (ex-Reus) e o jovem goleador Davide Gavioli (Correggio), melhor marcador na série A2. Tinha terminado a fase regular em quinto - chegando ainda assim às "meias" nos playoffs - e foi relegado para a Taça CERS. A aposta na conquista da segunda mais importante prova europeia era clara.

"Rei" estragou a festa em Viareggio, mas o acordo para rumar aos italianos estará preso por detalhes

Logo na primeira eliminatória, uma espécie de final antecipada com o Vendrell fez sonhar com a conquista. Chegados à Final Four, o Viareggio apresentou uma proposta de 32 mil euros (acrescidos de custos de transmissão televisiva) ao CERS-RH para garantir a organização. Recebeu a fase decisiva da prova, mas o Óquei de Barcelos estragou a festa.

Na próxima época, o Viareggio irá regressar à Liga Europeia depois de ter alcançado o terceiro lugar na fase regular. Nos playoffs, venceu a primeira partida - frente ao Breganze, por 1-3, com bis de Samuele Muglia e um golo de Xavi Costa - mas será muito complicado surpreender os favoritos Forte dei Marmi e Lodi.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade