Notícia

O Senhor Dragão e a Dona Águia

Jul 31, 2017

O derradeiro apito nos jogos do Campeonato Nacional de Sub-20, no passado dia 15, marcou o fim da temporada 2016/17 de Hóquei em Patins. E esta segunda-feira acontecem os primeiros sorteios (I Divisão, II Divisão e Supertaça António Livramento) para a nova época.

Antes de se analisar a sorte - ou falta dela - no tirar das bolas do "pote", recordamos quem irá ostentar as quinas de campeão e quem triunfou nas principais provas da Federação de Patinagem de Portugal.

Num olhar geral sobre os vencedores da temporada, o azul-e-branco do Porto está em destaque. Incluindo o mediático triplete da equipa principal, os dragões conquistaram seis dos 12 títulos em disputa, o Benfica quatro e o Grândola e Paço de Arcos um cada.

Para além desse triplete (Supertaça António Livramento, Campeonato Nacional da I Divisão e Taça de Portugal), o Porto conquistou ainda outra prova de seniores masculinos, o Nacional da III Divisão, logo em ano de estreia da equipa "B". No escalão de seniores masculinos, só o Grândola se intrometeu, com a conquista da II Divisão.

No feminino, também houve pleno, mas do Benfica. Num domínio avassalador no escalão de seniores femininos, as encarnadas arrecadaram o triplete (Supertaça, Campeonato Nacional e Taça de Portugal) pela quarta vez consecutiva.

Já na formação, o Benfica ficou com o título de Sub-20, o Porto ganhou em Sub-17 e Sub-15, e o Paço de Arcos em Sub-13.

I Divisão - Futebol Clube do Porto

Na principal competição nacional, o Porto só chegou ao primeiro lugar da tabela classificativa quando mais importava: no fim. A equipa de Guillem Cabestany totalizou 62 pontos, mais dois do que o Benfica, que liderava à entrada para a última jornada. Forçado a deixar de lado o politicamente correcto do "só nos preocupamos com os nossos jogos, não com os dos adversários", o Porto assistiu pela televisão no Dragão Caixa aos momentos finais do empate a cinco das águias em Alverca para celebrar o título.

Os dragões perderam apenas em Barcelos e na Luz e fizeram jus à máxima "o ataque ganha jogos, a defesa ganha campeonatos", garantindo o título - que não venciam desde 2013 - com a melhor defesa (65 golos sofridos), 11 golos mais eficaz que a segunda melhor, a da Oliveirense.

Seniores Femininos - Sport Lisboa e Benfica

Não há muito a dizer sobre o quinto título consecutivo da equipa feminina do Benfica em outros tantos anos de existência. O empate a dois com a Stuart à segunda jornada da primeira fase alimentou um pouco a ideia de mais competitividade, mas não mais a equipa orientada por Paulo Almeida perderia pontos. Venceu os restantes encontros da primeira fase e todos os 14 da fase final, terminando com 12 pontos sobre a vice-campeã Stuart, o melhor ataque, as duas melhores marcadoras do Nacional (Marlene Sousa e Rita Lopes) e a melhor defesa.

Vencer é um "lugar-comum" para a equipa feminina do Benfica

II Divisão - Hóquei Clube de Patinagem de Grândola

Foi só na última jornada da Zona Sul da II Divisão que o Grândola garantiu a presença na disputa do título da II Divisão, saltando nesse derradeiro jogo - pelo empate alheio entre Física e Benfica - do terceiro para o primeiro lugar.

Feita a festa da certeza da subida, a equipa alentejana foi até à Cidade dos Arcebispos defrontar o Braga, dominador na Zona Norte, e perdeu por 6-4. Mas, apesar da maior experiência dos bracarenses - que regressam à I Divisão depois de apenas um ano na II - a equipa em que Quim Zé pegou somente em Março juntou ao útil da subida, o (muito) agradável do título com uma vitória por 6-3 na segunda mão.

III Divisão - Futebol Clube do Porto "B"

Depois de ter terminado a primeira fase com apenas dois pontos sobre Os Limianos (53 pontos contra 51 dos minhotos), a equipa em estreia registou apenas um empate (logo na ronda inaugural) na fase final, jogada a quatro, com todos - Porto, Sporting, Académica de Coimbra e Alcobacense - contra todos. Os pupilos de João Lapo colocaram uma mão no título com uma vitória sobre o rival Sporting, cuja equipa "B" também se estreou, por 4-6, confirmando-o na ronda seguinte, a penúltima, frente à Académica.

Sub-20 - Sport Lisboa e Benfica

Numa fase final a oito, a luta nos sub-20 foi a três entre Benfica, Sporting e Sanjoanense, apesar dos leões - um pouco para trás pontuamente - "correrem" à espera do que fariam os seus adversários.

O Benfica, numa época em que trocou de treinador a meio (Jorge Godinho saiu para o Paço de Arcos em Dezembro, assumindo o cargo Hugo Lourenço) e em que se debateu com muitas lesões, chegou à fase final fruto de um segundo lugar, atrás do eterno rival Sporting, na prova Zonal.

Nos Sub-20, Benfica e Sporting acabaram em igualdade pontual, mas o título foi para a Luz

Invicto, o Benfica falhou o título ao empatar em Valongo à penúltima jornada. E a"maldição" que já parecia perseguir o treinador Hugo Lourenço nos Sub-17 alimentou as esperanças dos rivais. E ainda mais quando, na Luz, esteve a perder 1-4 com o Óquei de Barcelos na derradeira jornada, o que daria o título ao Sporting, que ia vencendo a Sanjoanense. Mas o empate final a quatro seria suficiente, ironicamente graças à vitória do Sporting sobre a Sanjoanense, que a vencer seria campeã...

Os eternos rivais terminaram em igualdade pontual (34 pontos) e o título foi garantido no confronto directo: empate a quatro em Alverca e vitória encarnada na Luz por tangencial 2-1.

Nota ainda para o triunfo do Braga na Taça Nacional, prova que reúne as oito equipas que não se apuram para a fase de apuramento de campeão, com 14 vitórias em outros tantos jogos. A mostrar merecer estar noutra disputa, mas a pagar o ter ficado na zona de Valongo e Óquei de Barcelos na primeira fase.

Sub-17 - Futebol Clube do Porto / Dragon Force

Numa fase final sem um claro dominador, o Porto sagrou-se campeão nacional de Sub-20 com "apenas" 11 pontos em 18 possíveis. Os dragões perderam um jogo na prova zonal e três na regional. E no apuramento de campeão voltariam a sofrer uma derrota (na Luz), mas chegaram à derradeira jornada a precisarem "apenas" de um empate na recepção ao Benfica. E conseguiram-no... fixando o resultado em 4-4 no minuto final.

Sub-15 - Futebol Clube do Porto / Dragon Force

A equipa orientada por Jorge Ferreira que no final de Outubro venceu a Eurockey Cup, fez um Campeonato Nacional em crescendo.

Registou duas derrotas na prova zonal, apenas uma na prova regional e na fase de apuramento de campeão foi perfeita. Terminou com os 18 pontos que poderia somar, o dobro do novo vice-campeão nacional, Académica de Coimbra. Um bicampeonato garantido "sem espinhas".

Sub-15 do Porto festejaram no final de Outubro na Eurockey e no final do Nacional, com o bicampeonato

Sub-13 - Clube Desportivo de Paço de Arcos

O percurso do Paço de Arcos rumo à revalidação do título nacional de Sub-15 foi praticamente um passeio. Praticamente, porque um deslize na fase final poderia ter custado muito caro apesar de números avassaladores...

A equipa da Linha arrancou com 10 vitórias em outros tantos jogos e um "score" impressionante de 121 golos marcados e apenas seis sofridos. E voltou a ser dominadora na prova regional, com seis vitórias em outros tantos jogos e um registo de 36 golos marcados contra escassos oito sofridos.

Na fase final, tudo parecia encaminhar-se para uma revalidação fácil... Mas, no fecho da primeira volta, o Porto venceu em Paço de Arcos e fez perigrar o sucesso na época da equipa orientada por Miguel Dantas.

Segurando esses três pontos de distância, os dragões chegaram à derradeira jornada a até poder perder com o Paço de Arcos... mas não por três golos, como viria a acontecer. A equipa da Linha venceu por 4-7, revalidou o título de Sub-13 e infligiu o grande dissabor da época do Dragão.

Taça de Portugal de Seniores Masculinos - Futebol Clube do Porto

Em Março, a estreia do Porto na Taça serviu também para "apadrinhar" a estreia de Paulo Freitas no comando técnico do Sporting. O Porto venceu os leões por 8-3, deslocando-se depois a Oeiras, onde venceria por 2-10. De regresso ao Dragão Caixa, a equipa que defendia o título conquistado em 2016 venceu a Oliveirense por 7-3 nos quartos-de-final, marcando encontro com o Benfica nas meias-finais. Um final antecipada, vaticinava-se... mas o Benfica faltou.

Garantido o bilhete para a final sem suor, o Porto conquistou a 16ª Taça de Portugal da sua história ao bater em Gondomar o Sporting de Tomar, estreante em finais, por 5-1.

Equipa principal do Porto fechou temporada em festa, na festa da Taça

Taça de Portugal de Seniores Femininos - Sport Lisboa e Benfica

Tal como no Campeonato Nacional, a conquista da Taça de Portugal de Seniores Femininos pelo Benfica só carecia de formalização do claro ascendente das encarnadas sobre as suas adversárias.

A vitória pela margem mais "magra" aconteceu na primeira eliminatória. O Benfica recebeu e venceu o Turquel por "apenas" 4-1, vencendo depois por 15-0 o Alverca, por 2-8 a Sanjoanense e, na final, por 1-5 a Stuart.

Foi a quarta Taça de Portugal consecutiva conquistada pelas encarnadas.

Supertaça António Livramento - Futebol Clube do Porto

A chegada de muitos craques no último defeso prometia um grande espectáculo. E, servido como aperitivo para a temporada, a Supertaça António Livramento foi um autêntico festival ofensivo. Numa prova que historicamente domina - mas que não vencia desde 2013 - o Porto garantiu o 20º triunfo em 34 edições com uma vitória por 13-7, enquanto o Benfica deixou escapar o troféu de inicio de temporada pela terceira vez consecutiva.

No lançamento da temporada, a vitória sobre as águias - terceira em quatro meses - era também um importante tónico moral.

Supertaça foi festival ofensivo

Supertaça de Seniores Femininos - Sport Lisboa e Benfica

A Supertaça abriu a temporada feminina a nível nacional com a incógnita se seria desta que o Benfica de Paulo Almeida "quebrava". Mas a vitória por 1-4, a valer a quarta Supertaça consecutiva às encarnadas, sobre a Académica de Coimbra em Anadia deixou apenas a promessa de "mais do mesmo". Promessa que se viria a confirmar nas contas do final da época, deixando cada vez mais às águias o desafio com a História - da hegemonia de Nortecoope e Fundação Nortecoope - do que com as rivais contemporâneas.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade