Notícia

As primeiras 'meias' de uma Intercontinental

Dec 15, 2017

O Benfica disputa esta sexta-feira a primeira meia-final da renovada Taça Intercontinental.

Depois do jogo para o Campeonato a meio da semana, os encarnados partiram para Reus como vencedores da Liga Europeia de 2016 e com a ambição de conquistarem a segunda Taça Intercontinental da sua história.

Valter Neves levantou o único título Intercontinental do Benfica, em 2013

Em 2013, no primeiro ano de Pedro Nunes à frente da equipa, o Benfica bateu o Sport Recife em Torres Novas para erguer o primeiro título Intercontinental após ter, enfim, após inúmeras finais sem sucesso, triunfado na Liga Europeia na temporada anterior.

Agora, pela primeira vez num formato de Final Four, os encarnados vão discutir um lugar na final com o Andes Talleres, campeão Sul-Americano de 2016, em que a grande figura é um dos obreiros dos títulos de 2013: Carlos López, jogador das águias entre 2011 e 2015.

Apenas outra equipa portuguesa conquistou a Intercontinental. Foi o Óquei de Barcelos, em 1992.

Em jeito de antevisão, Pedro Nunes não se escusou a destacar a presença do multititulado atacante argentino, num reencontro especial, vincando no entanto que o nível das equipas do país das pampas, por via da intensidade competitiva que (não) têm ao longo da época, não é o mesmo das equipas europeias, perspectivando - como a maioria - uma final entre conjuntos do Velho Continente.

Os encarnados defrontam o Andes Talleres a partir das 19h30 locais (18h30 em Portugal continental), num jogo que terá transmissão na RTP. Caso os encarnados se apurem, a final - sábado, às 17h locais - também será alvo de transmissão.

Velhos conhecidos

Carlos López não foi a única cara conhecida que viajou da América do Sul para contrariar o domínio europeu da competição. Na outra meia-final, o Reus - que venceu a Liga Europeia este ano, afastando o Benfica nas meias-finais - defronta o Concepción que só carimbou a presença nesta Taça Intercontinental depois de garantir o título Pan-Americano no passado dia 29.

David Páez joga no clube onde começou e, ainda que anunciando várias vezes o "pendurar das botas", vai juntando títulos, sempre com muita emoção à mistura, a uma carreira lendária

A equipa de Miguel Belbruno traz à Catalunha, entre outros, Constantino Acevedo, que esteve nos Mundiais de 2015 e 2017, e David Paez, veterano campeão do Mundo que, com 42 anos feitos no passado dia 9, vai juntando títulos a um currículo já riquíssimo. no Concepción, o ex-capitão do Barcelona - onde jogou 14 temporadas! - cruza-se com jovens valores, com ADN de Hóquei em Patins. Danilo Rampulla, que esteve no Mundial de Sub-20 na China, é sobrinho de Panchito e Mariano Velazquez, enquanto Damián Páez é sobrinho de David e "Negro" Paez, filho de Carlos, que teve relevo no menos mediático campeonato gaulês.

O Concepción defronta o Reus, actual terceiro classificado da OK Liga atrás de Liceo e Barcelona, a partir das 21h15 locais.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade