Notícia

Revista de 2017 - A a E

Jan 01, 2018

O ano de 2017 que terminou foi pródigo em momentos e figuras marcantes.

Passamos em revista alguns dos momentos e figuras marcantes, para já, de A, com o tema mais quente do ano, a E, com duas provas não-oficiais que vão dando o exemplo.

A, de Arbitragens

A grafia traz para primeiro destaque o tema que mais celeuma levantou em 2017.

Se as criticas ao longo de todo o campeonato 2016/17 foram a norma, com a arbitragem a ser apontada como o elo mais fraco no Melhor Campeonato do Mundo, a derradeira jornada do Nacional da I Divisão culminou no pináculo dessa contestação.

Paulo Rainha foi o principal árbitro visado nas críticas dos encarnados

Benfica e Porto chegaram à última jornada em igualdade pontual, mas com vantagem no confronto directo para as águias. Enquanto no Dragão Caixa, o Porto vencia o Riba d'Ave por tranquilos 11-4, em Alverca não faltava emoção ao dérbi da capital, em que o Benfica estava obrigado a vencer.

Já com a sua missão cumprida, os dragões assistiram em pista aos minutos finais do dérbi, a torcer por um deslize dos encarnados. A um minuto do fim, o Sporting vencia por 5-4 e o Porto era campeão. Mas João Rodrigues fez o 5-5 e, pouco depois, um remate de Nicolía sofreu um desvio e terminou no fundo das redes de Girão. Rebentavam em euforia as águias, afundavam-se em desânimo os dragões. Mas o tento foi anulado. Euforia - inicialmente contida, extravasada após o apito final - no Dragão Caixa, revolta entre os encarnados.

Protesto do Benfica redundou na ausência na meia-final da Taça

A contestação do Benfica, visando em particular o árbitro Paulo Rainha, retumbou na ausência na meia-final da Taça de Portugal e na entrega de uma exposição à Federação de Patinagem de Portugal. A ausência, e respectiva derrota por falta de comparência, colocou o Porto na final da Taça e da exposição, apesar de a FPP já ter recebido o clube da Luz, ainda não há conclusões tornadas públicas sobre a análise ou eventuais consequências da mesma.

B, de Bolas

A ideia já tinha sido posta em prática na Final Four da Liga Europeia em 2015 (Bassano) e regressou num ano de 2017 pródigo em regulamentações. Com a discussão sobre a cor do pequeno esférico aparentemente posta de lado, o Comité Europeu (CERS-RH) definiu a utilização de "bolas oficiais" para as Final Four de Viareggio (Taça CERS) e Lleida (Liga Europeia), fornecidas pela Reno.

Este tipo de regulamentação e certificação poderá ser alargado a outros equipamentos específicos, como a recente - e polémica - chamada de atenção aos equipamentos dos guarda-redes deixa antever.

C, de Campus ABC

No dia 20 de Dezembro, os seleccionadores nacionais Luís Sénica e Nuno Ferrão largaram os seus cargos formais na Federação de Patinagem de Portugal e voltaram à base, aos fundamentos.

Luís Sénica é o coordenador-técnico do Campus ABC do Hóquei em Patins

Enquanto o projecto do "Mini-OK", pese as virtudes que lhe são apontadas, tarda em vingar, Sénica e Ferrão promoveram em parceria com o HóqueiPT um Campus destinado a jovens dos 6 aos 12 anos. O "ABC do Hóquei em Patins", em Sesimbra, proporcionou a 31 jovens o contacto com exercícios que promovem princípios fundamentais da modalidade e, num momento diferente, também com a manutenção e preparação do equipamento, numa "aula" com o mecânico Hermínio Carrilho.

D, de Dia Nacional do Hóquei em Patins

A 23 de Maio, no dia em que se celebraram 70 anos sobre o primeiro título Mundial (e Europeu) conquistado por Portugal - não só em Hóquei em Patins, mas em qualquer modalidade colectiva - foi lançada uma petição destinada a definir a data como o "Dia Nacional do Hóquei em Patins".

Assine a Petição

Tendo já passado as 750 assinaturas, a petição será submetida a 14 de Março, dia em que o HóqueiPT completa quatro anos de visibilidade, à Assembleia da República. Caso seja atingido um desejável milhar de assinaturas, a mesma será obrigatoriamente publicada no Diário da Assembleia da República e a comissão de apreciação terá pelo menos de promover uma audição com os peticionários.

E, de Elite Cup e Eurockey Cup

São duas provas que não são oficiais, mas que ganham espaço no calendário nacional e internacional.

Entre 5 e 7 de Outubro teve lugar em Coimbra a segunda edição da Elite Cup, organizada pela Associação Nacional de Clubes de Patinagem, com o apoio do HóqueiPT.

A prova, integrada na pré-temporada e com os oito primeiros da temporada anterior, voltou a ser pautada pelo sucesso e a granjear transmissão televisiva - com destaque para a cobertura do Porto Canal -, passando a final na TVI24

No jogo de atribuição do troféu, o Benfica bateu o vencedor da primeira edição, o Sporting, por 1-4, com Jordi Adroher - autor de três dos quatro golos das águias - a suceder a Ângelo Girão como MVP da final.

O Benfica venceu a segunda edição da Elite Cup

A Eurockey Cup compreende uma competição de Sub-17 - que coincidiu no calendário com a Elite Cup - e de Sub-15, realizada no final de Outubro. Reconhecidamente os mais importantes eventos de formação de clubes, juntando campeões e melhores classificados das principais ligas europeias, a Eurockey Cup contou este ano com as presenças portuguesas de Benfica (5º), Sporting (4º) e Porto (3º) nos Sub-17 e de Tomar (11º), Porto (8º), Académica (6º) e Sporting, que se sagrou vencedor, nos Sub-15.

Sporting triunfou em Sub-15 na Eurockey Cup, batendo o Barcelona na final
Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade