Notícia

Revista de 2017 - F a J

Jan 02, 2018

Prosseguimos o passeio pelos momentos e figuras que marcaram o ano de 2017. Agora, de F, da primeira formação com a chancela HóqueiPT, a J, do maior dos sonhos da modalidade, do qual se acordou demasiado depressa...

F, de Formação

A 25 de Junho, Gondomar, Cidade Europeia do Desporto e palco da Final Four da Taça de Portugal, recebeu a primeira formação com a chancela HóqueiPT.

Perto de meia centena de treinadores, aspirantes a treinadores ou meramente interessados em saber mais, aprenderam ao longo da manhã com nada menos do que Ricard Muñoz, multi-titulado treinador do Barcelona entre 2013 e 2017. "Da Formação ao Alto Rendimento", segundo o modelo do gigante da Cidade Condal, foi o mote para esta formação que mereceu o reconhecimento do Instituto Português do Desporto e da Juventude.

Sala encheu para ouvir Ricard Muñoz

G, de Guarda-Redes

De "Filipão" (Nelson Filipe) a Girão, passando pelos catalães Grau, Trabal e Puigbi, e o agora regressado Pedro Henriques, - só para citar algumas das figuras do campeonato português - os guarda-redes ganham cada vez mais preponderância no jogo.

Num 2017 que ficará também marcado pelo abandono de Edo Bosch, Pedro Henriques ganhou estatuto com a conquista da Liga Europeia ao serviço do Reus - onde é idolatrado - e regressou ao "seu" Benfica - onde chegou em 2004 - pela porta grande, como o primeiro português a conquistar três edições da principal prova europeia de clubes.

Pedro Henriques tornou-se o primeiro português a vencer três Ligas Europeias

Com o arranque da nova temporada, no início de Novembro, os guarda-redes foram notícia. Ou melhor, os seus equipamentos. O CERS-RH limitou-se a recordar o que está escrito em regulamento - apontando potenciais irregularidades com máscaras, peitilhos e sticks - mas gerou uma onda de indignação que levou mesmo a uma reunião de emergência do seu Comité Técnico. A autoridade europeia cederia nas questões dos capacetes e dos sticks, mas manteria a recomendação aos seus árbitros para confirmarem a correcção dos peitilhos utilizados.

Perto de quatro centenas de jovens marcaram presença na quinta edição do Dia do Guarda-Redes

Entre os guardiões mais jovens, destaque para a quinta edição do Dia do Guarda-Redes, este ano realizada a 8 de Dezembro. Perto de quatro dezenas de jovens Guarda-Redes marcaram presença no renovado pavilhão Ernesto Silva, na Sobreira, para um evento que já é uma referência e que, desta vez, contou como monitores, entre outros, com Leonardo Pais e os campeões do Mundo de Sub-20 Bernardo Mendes e Tiago Rodrigues.

H, de Hélder Nunes

O capitão do Porto é uma das figuras maiores do Hóquei em Patins dos últimos anos e em 2017 foi o único a ser de novo escolhido, por treinadores e capitães, para o Cinco Ideal, numa eleição levada a cabo pelo HóqueiPT.

Depois da primeira escolha em 2016, Hélder Nunes foi mesmo o mais votado de todos este ano, surgindo no Cinco Ideal ao lado de Nelson Filipe e Reinaldo Garcia (seus companheiros no Porto), João Rodrigues (Benfica) e Jordi Bargalló (Oliveirense).

Hélder Nunes

Em 2017, Hélder Nunes levantou os troféus relativos à conquista do Campeonato, Taça de Portugal e Supertaça António Livramento pelo Porto e, há muito "de estaca" na Selecção Nacional, não falhou a presença na Taça das Nações, em Montreux, e no Campeonato do Mundo, em Nanjing. Torna-se difícil de acreditar que o capitão dos dragões e subcapitão da selecção das quinas conta apenas 23 anos...

I, de Intercontinental

Marcada pela irregularidade ao longo dos anos, a Taça Intercontinental conheceu em 2017 novo formato. Em ano de transição - apontando futuramente a ter os campeões de quatro confederações - estiveram presentes os campeões europeus e sul-americanos de 2016 e 2017.

Benfica foi a Reus resgatar uma Intercontinental cuja disputa lhe era devida em 2016

No Olímpico de Reus, a equipa da casa quase ficava fora da partida decisiva, com o Concepción argentino a só cair no prolongamento (7-5). Mas a final seria mesmo, como a maioria apontava, europeia, depois do Benfica ultrapassar, em serviços mínimos, o Andes Talleres na outra meia-final.

Na decisão, Reus e Benfica proporcionaram um jogo emotivo, com o empate a ser definitivamente desfeito apenas a dois minutos do fim. Venceu a equipa portuguesa, por 5-3, conquistando a prova pela segunda vez na sua história.

J, de Jogos Olímpicos

2017 foi ano de várias efemérides. Uma delas, um sonho que Juan Antonio Samaranch realizou... mas a que faltou a desejada continuidade.

A 7 de Agosto celebraram-se 25 anos sobre a final da competição de Hóquei em Patins dos Jogos Olímpicos de 1992, realizados em Barcelona. A Argentina, com uma equipa onde sobressaíam os nomes de Gaby Cairo, "Negro" Paez ou de Diego Allende (que representou o Porto), arrebatou o ouro com uma vitória por 8-6 frente à Espanha. Ganhou a selecção das pampas, mas não o Hóquei em Patins...

O Hóquei em Patins dos Jogos Olímpicos de 1992 passaram pelo Olímpico de Reus

A modalidade, introduzida como modalidade de exibição por vontade do catalão Samaranch, ex-praticante e à data presidente do Comité Olímpico, teve lugar nos pavilhões de Vic, Sant Sadurni (Noia), Reus e Palau Blaugrana, mas reza a história que as partidas em nada dignificaram o desporto ou o espírito olímpico. Resta sonhar com nova oportunidade...

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade