Notícia

Balança equilibrada em Turquel

Jan 29, 2018

Entre três vitórias caseiras e três vitórias fora de portas, o ponto de equilíbrio total da 14ª jornada do Campeonato Nacional da I Divisão esteve no empate entre Turquel e Óquei de Barcelos.

Turquelenses e barcelenses protagonizaram um jogo repleto de emoções na Aldeia do Hóquei, os golos tardaram em surgir. Pese poucas reais oportunidades nos primeiros minutos, a maior acutilância do Turquel seria premiada. Duplamente premiada.

Aos nove minutos, André Moreira colocou para o seu capitão Vasco Luís, a meia altura, rematar para o fundo das redes da baliza à guarda de Ricardo Silva. E aos 18, Pedro Vaz lançou para o desvio para golo - num grande gesto - de Daniel Matias.

Vasco Luis inaugurou o marcador

Paulo Pereira - sem poder contar com Juanjo López - já tentara responder ao primeiro tento, fazendo entrar Marinho e Afonso Lima para dar maior dinamismo a um ataque que não conseguia ultrapassar a muralha defensiva turquelense. O golo surgiu quando a "muralha" se desviou um bocadinho...

Dois minutos após o segundo tento dos anfitriões, Rúben Sousa aproveitou o mau posicionamento da barreira para reduzir de livre. E, menos de um minuto volvido, Hugo Costa fez o empate com que as equipas recolheram ao balneário.

Rúben Sousa esteve em destaque com um hat-trick

A segunda parte foi mais... partida, vertiginosa em alguns momentos. Logo nos primeiros cinco minutos, um golo para cada lado. Hugo Costa deu a primeira vantagem - a única - aos visitantes, num contra-ataque em que combinou na perfeição com Marinho. Na resposta, também em velocidade, o Turquel restabeleceu a igualdade por André Pimenta enquanto Rúben Sousa protestava depois de ter ficado no solo na transição.

Empatadas a três e com Marco Barros e Ricardo Silva a protagonizarem excelentes exibições, a história dos números do jogo seria escrita de bola parada.

Luís Silva voltou a colocar os turquelenses na frente, de livre directo, depois de azul a Joca. Luís teve, pouco tempo depois, oportunidade de repetir o feito, mas - de novo com um remate directo - Ricardo Silva levou a melhor.

Luís Silva - tal como Vasco Luís - bateu Ricardo Silva com um remate forte no livre directo

O tempo passava e os ânimos aqueciam...

A oito minutos e meio do apito final, Ruben Sousa - em noite inspirada de bola parada - empatou de grande penalidade a quatro, batendo Samuel Santos que entrara para tentar para o remate do melhor marcador do Barcelos. Um minuto depois, Ricardo Silva também não conseguiu evitar que, de livre directo (após azul a João Almeida), Vasco Luís - num fortíssimo remate directo - fizesse o quinto.

Com muitas decisões contestadas de parte a parte, as provocações entre as claques das duas equipas levaram mesmo a intervenção policial. Apesar de não ficarem alheios ao que se ia passando em particular no topo para onde atacavam, os jogadores do Óquei carregavam em busca do empate.

Ânimos aqueceram na bancada e também na pista, após o apito final

A igualdade, que parecia estar escrita, escapou num livre directo de Marinho, mas não escaparia a Rúben Sousa. De grande penalidade, fazendo jus ao número "66" que enverga, Rúben selou um hat-trick e fixou a igualdade final numa partida que não terminaria sem alguma confusão em pista, resolvida pelos próprios jogadores.

Na análise ao desfecho do jogo, Paulo Pereira lamentou (mais) uma oportunidade perdida de se aproximar mais da Oliveirense e dos quatro primeiros, enquanto Jorge Godinho vincou uma aparente dificuldade em fazer mais do que um empate. Este foi o quinto em oito jogos em Turquel...

Oliveirense em queda livre

Não se esperavam facilidades para a Oliveirense em Valongo, mas também não se esperava a hecatombe que viria a acontecer. A vencer por 2-3 ao intervalo, a Oliveirense parecia determinada em afastar a pesada derrota por 9-1 no João Rocha. Mas uma segunda parte com oito golos sofridos e nenhum marcado destroçaram - novamente - a equipa orientada por Tó Neves, que agora fica a 11 pontos do topo da tabela e, mais do que isso, com muitas feridas para sarar que um resultado adverso de 10-3 naturalmente deixa.

Oliveirense só venceu uma vez nas últimas nove partidas, sete delas para o Campeonato.

A este resultado que deixou o mundo do Hóquei em Patins boquiaberto não se pode retirar mérito à equipa do Valongo. A equipa de Miguel Viterbo inicia a segunda volta a isolar-se no quinto lugar e está agora a apenas dois pontos da Oliveirense e dos quatro lugares que muitos apontavam como intocáveis.

Vitórias minhotas

No Minho, Valença e Viana venceram na recepção a Braga e Paço de Arcos.

Em dérbi, o Valença venceu o Braga por 6-5, numa vitória que vale a subida ao nono lugar e que foi garantida apenas nos derradeiros instantes por Luís Viana, autor de um "poker". Os bracarenses estiveram a vencer por 0-3 e, já no último minuto, pareciam ter o "pássaro na mão" quando o marcador marcava 4-5. Mas, com (mais) dois golos em poucos segundos, o veterano goleador de 41 anos virou o resultado.

Luís Viana assinou um "poker", com dois golos no último minuto a virarem o jogo.

Em Viana do Castelo, o Paço de Arcos - desfalcado de Tiago Losna (castigado) e Diogo Silva - levou a discussão da partida até aos minutos finais. Num jogo em que o resultado esteve sempre equilibrado, Gonçalo Nunes teve oportunidade de fazer o 4-4 a sete minutos do fim, mas perdeu o duelo - de livre directo - com Jorge Correia. E a Juventude de Viana embalou para a vitória, fixando um resultado final de 7-3 para o qual voltou a ser decisivo Emanuel Garcia, desta feita com quatro golos. O atacante argentino soma já 21 golos no Campeonato, sendo apenas superado por Gonçalo Alves, com 23 depois desta jornada.

Três da frente cumprem fora

Na frente, Benfica, Sporting e Porto mantiveram as distâncias (mínimas) entre si, aproveitando para cavar o fosso para a Oliveirense.

Anunciava-se tarefa mais complicada para o líder Benfica, com uma deslocação a Tomar, e os nabantinos partiram mesmo na frente, com um golo logo no primeiro minuto por Paulo Passos. No entanto, os encarnados viraram o marcador e ao intervalo já venciam por 1-3, garantindo os três pontos com uma vitória por 2-5.

Benfica (agora com 38 pontos), Sporting (37) e Porto (36) estão ainda mais sós na corrida ao título.

Frente aos recém promovidos Infante e Grândola, que ocupam os dois últimos lugares da classificação, Sporting e Porto também cumpriram. Os leões com mais tranquilidade - chegaram ao 1-6 e só nos derradeiros minutos é que o Infante reduziu - e os dragões a sentirem dificuldades para virar o jogo depois do tento inaugural do Grândola. Ao intervalo registava-se um empate a um e só na segunda parte é que os campeões nacionais "dobraram" um lanterna-vermelha que vai protagonizando boas exibições, mas sem conseguir amealhar pontos.

14ª Jornada

SC Tomar 2-5 SL Benfica

C Infante Sagres 3-6 Sporting CP

HCP Grândola 2-7 FC Porto

AD Valongo 10-3 UD Oliveirense

HC Turquel 5-5 OC Barcelos

Valença HC 6-5 HC Braga

A Juv. Viana 7-3 CD Paço de Arcos

Classificação

Zona da Liga Europeia

1º SL Benfica, 38 pontos

2º Sporting CP, 37

3º FC Porto, 36

4º UD Oliveirense, 27

Zona da Taça CERS

5º AD Valongo, 25

6º A Juv. Viana, 24

7º OC Barcelos, 23

8º SC Tomar, 18

9º Valença HC, 13

Zona de manutenção

10º HC Turquel, 12

11º CD Paço de Arcos, 8

Zona de despromoção

12º HC Braga, 8

13º C Infante Sagres, 7

14º HCP Grândola, 3

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade