Notícia

Verdes, mas cada vez mais maduros

Mar 03, 2018

O Valongo tem sido referência recorrente nas últimas temporadas no que na aposta em jovens valores portugueses diz respeito. A equipa agora às ordens de Miguel Viterbo atingiu os píncaros ao conquistar o Campeonato Nacional em 2014 - então sob o comando técnico de Paulo Pereira - e vai-se renovando (do actual plantel, apenas Luís Melo e Xavi Cardoso se sagraram campeões), supreendendo, e voltando a subir degraus.

Luís Melo é, a par de Xavi Cardoso, um dos dois campeões de 2014 que se mantém em Valongo

Depois de um sétimo lugar na pretérita temporada, a aposta foi na continuidade, registando-se as entradas de dois valores seguros: o avançado Diogo Fernandes (ex-Juventude de Viana) e o universal Daniel Oliveira ("Poka", ex-Sporting). A aposta foi ganha, desde logo não fossem os dois reforços os actuais dois melhores marcadores da equipa. Diogo Fernandes soma 17 golos e é o 11º mais certeiro do Nacional, ao passo que Poka, assumindo a batuta da equipa, terá mesmo saído "melhor do que a encomenda" ao mostrar uma veia goleadora que lhe era desconhecida. Já assinou 25 golos e é o terceiro melhor do campeonato.

Miguel Viterbo tem cumprido na tarefa de manter um Valongo competitivo depois da conquista do título em 2014, em que esteve como jogador

Com 17 jornadas cumpridas na I Divisão, o Valongo ocupa o quinto lugar, com 34 pontos, a apenas dois da Oliveirense. Abdicando da Taça CERS pela segunda vez consecutiva (em 2015/16 esteve na Liga Europeia) e focando-se nas competições internas, o Valongo não entrou da melhor maneira no Campeonato.

Na ronda inaugural da presente edição da prova máxima nacional, o Valongo até esteve muito perto de surpreender. À entrada do último minuto, vencia em Oliveira de Azeméis por 2-3, mas a Oliveirense viraria o resultado. Foi o arranque - traumático - para cinco derrotas nas sete primeiras jornadas.

Guarda-redes Leonardo Pais é garante de segurança

Mas, depois das derrotas com Oliveirense, Barcelos, Benfica, Porto e Sporting - embates que o sorteio condicionado do campeonato concentrou num curto espaço de tempo - não mais o Valongo voltou a perder. Em 10 jogos, o Valongo apenas perderia pontos na deslocação a Viana do Castelo (empate a cinco), tendo já vingado na segunda volta as derrotas com Oliveirense e Barcelos de forma categórica. Perante o seu público, onde só o Porto pontuou (os dragões venceram por 3-5), os valonguenses venceram respectivamente por 10-3 e 5-1. E agora "mordem" os calcanhares aos lugares da Liga Europeia, que estariam à partida entregues às quatro maiores "fortunas" do Hóquei em Patins nacional.

Tal como Poka, Xavi Cardoso é uma das jóias que estará de saída no final da temporada, reforçando o Benfica

Quinto melhor ataque do Campeonato (com 72 golos) e quarta melhor defesa (51), o Valongo recebe agora o Benfica, a quem já deixou um sério aviso na Elite Cup. Nos "quartos" do principal evento da pré-temporada, as duas equipas precisaram de grandes penalidades para decidir o encontro (os encarnados seguiriam em frente) depois de um empate a três no tempo regulamentar. Nessa Elite Cup, o Valongo perderia depois, de forma tangencial, com a Juventude de Viana, fechando a vencer, com a maior vitória da prova, o Valença, por 1-7.

Para o Campeonato, na jornada antes do complicado ciclo que agora começa com os três da frente, o Valongo arrecadou em Paço de Arcos os três pontos numa partida jogada a um ritmo altíssimo, espectacular para os adeptos, desesperante para o treinador. No rescaldo a esse jogo, Miguel Viterbo vincou que este não é o Valongo que pretende para defrontar Benfica, Porto e Sporting.

O jogo com o Benfica é este domingo a partir das 16h, com arbitragem de Paulo Rainha e Joaquim Pinto e transmissão directa na TVI24. O Valongo regressará ao seu reduto para defrontar o Sporting, mas antes irá a Lavra - para a Taça de Portugal, onde se perspectiva a presença valonguense na Final Four - e ao Dragão Caixa.

Poka

Um dos grandes destaques na equipa do Valongo é Poka. O jogador que no último defeso deixou o Sporting para regressar ao emblema que representara na temporada de 2012/13 é o melhor marcador da equipa e terceiro melhor do Campeonato com 25 golos (apenas João Rodrigues e Gonçalo Nunes marcaram mais), tendo assinado um "poker" frente ao Paço de Arcos com particular eficácia de bola parada, não desperdiçando duas grandes penalidades - em cuja apetência ajudou o Sporting a conquistar uma Taça CERS - e um livre directo.

Ainda longe do final da época, um dos motores da equipa de Miguel Viterbo já terá garantido o prémio por não ter baixado os braços após a não renovação com os leões, sendo dado como reforço certo do Porto para a próxima temporada.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade