Notícia

Boa segunda parte anulou susto do final da primeira

Oct 09, 2018

Foto de capa: Federação de Patinagem de Portugal

Portugal venceu a Alemanha por 4-1 e, com menos um jogo, mas só com vitórias, persegue a Espanha na classificação.

Para um teste que se adivinhava mais difícil que o da véspera, Carlos Pires apostou no mesmo “cinco” – com Maria Celeste Vieira, Ana Catarina Ferreira, Inês Vieira ("Bé"), Maria Sofia Silva e Marlene Sousa - e, tal como frente a Inglaterra, adiantou-se cedo, com Marlene Sousa a marcar ao minuto e meio.

A Alemanha estreava-se no Europeu com esta partida e, com o passar dos minutos, foi acertando processos, criando – como se esperava – mais dificuldades a Portugal.

A selecção lusa, apesar de ter sempre ascendente sobre as rivais, só voltaria a ter grandes oportunidades para marcar de bola parada. Mas, de livre directo, nem Maria Sofia Silva (aos 12 minutos), nem Marlene Sousa (aos 20) conseguiram marcar, sendo também desperdiçado o total de quatro minutos em superioridade numérica depois de azuis às alemãs.

Portugal não marcou… e sofreu. Já nos 20 segundos finais, depois da 10ª falta lusa, Laura LaRocca bateu Maria Celeste para a igualdade com que se chegou ao intervalo.

O golo podia ter sido um rude golpe no ânimo das portuguesas, mas estas surgiram do balneário renascidas. A pressionar alto, Maria Sofia Silva recuperou a bola e serviu Marlene Sousa no coração da área, para um remate pronto a valer nova vantagem. E as lusas não abrandaram.

Sempre rápidas sobre a bola, a remeterem as germânicas à sua meia pista, as portuguesas só pecavam na finalização, com a veterana guarda-redes alemã Christina Klein, em bom plano. Mas a guardiã, que esteve cinco épocas no Gulpilhares, seria surpreendida num remate de meia distância. A 15 minutos do fim, Maria Sofia Silva rematou forte para o 3-1 no corolário dos melhores minutos de Portugal.

Portugal não deixou de procurar o golo, mas faltava eficácia, sendo paradigmático o capítulo dos livres directos. A cinco minutos do final, Maria Sofia Silva, desperdiçou o livre directo da 10ª falta alemã e o desfecho da partida continuou em suspenso, ainda que Portugal continuasse a não deixar a Alemanha atacar.

A dois minutos e meio do apito final, a partida ficou enfim decidida, quando, de grande penalidade, Ana Catarina Ferreira fez o 4-1.

Depois de um azul a Margarida Florêncio, a Alemanha ainda dispôs de um livre directo e, depois de falhar, de dois minutos de superioridade numérica, mas o resultado não se alteraria.

Espanha na frente, com mais um jogo

Nos outros jogos do dia, a Espanha assumiu desde já uma clara candidatura ao título. Depois de, de manhã, ter vencido a Suíça por 12-0, seria categórica naquele que era apresentado como o jogo grande do dia. Venceu a Itália por 1-7, num jogo arbitrado pelos portugueses Florindo Cardoso e João Duarte.

A Espanha soma assim nove pontos em três jogos, seguida de Portugal, com seis em duas partidas. A Itália soma três pontos, tantos como agora a França, que, depois de derrotada pela Espanha na ronda inaugural, venceu a Inglaterra por 11-5.

Esta quarta-feira, as gaulesas defrontam Portugal, num dia em que a Alemanha completa um ciclo louco. Depois de ter iniciado o jogo com Portugal às 21h desta terça-feira, as germânicas defrontam a França a partir das 9h30 e a Itália a partir das 19h, perfazendo três jogos completos em 24h…

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade