Notícia

Sénica deixará cargo de Seleccionador

Nov 18, 2018

No decorrer da apresentação da sua candidatura à Presidência da Federação de Patinagem de Portugal, Luís Sénica distanciou-se do comando técnico da Selecção Nacional.

“O mais importante neste momento é ter a certeza de que a nossa Selecção é estável, é competitiva, é de excelência, e vai estar mais vezes nas horas das decisões. Foi isso que me propus sempre, e foi isso que cumpri enquanto Seleccionador Nacional, e são essas as condições que eu vou dar na totalidade à nova equipa técnica”, afirmou.

De facto, a constituição de nova equipa técnica seria uma inevitabilidade.

No Artigo 37º dos Estatutos da FPP, no tema das “Incompatibilidades”, é frisado que “é incompatível com a função de titular de órgão da Federação de Patinagem de Portugal” quer “o exercício, no seu âmbito, de funções como dirigente de clube, sociedade desportiva ou de associação, árbitro, juiz, ou treinador no activo” (alínea c), quer o “exercício de funções como agente desportivo da patinagem (atleta/patinador, treinador, árbitro, juiz, cronometrista, calculador ou qualquer outra função)” (alínea e). E assim terminará o percurso de Luís Sénica como seleccionador – pelo menos, enquanto for presidente – que fora retomado no Mundial de 2013.

Conquista do Europeu em 2016 foi momento alto

Em jeito de despedida, Sénica fez, informalmente, um balanço positivo. “É necessário posicionar visões. A minha visão, enquanto ainda Seleccionador Nacional, é que fizemos três finais nos últimos anos. Uma delas ganhámos, noutra fomos vice-campeões do Mundo e noutra vice-campeões da Europa”, recordou, referindo-se ao Europeu de Oliveira de Azeméis em 2016, ao Mundial de Nanjing em 2017 e ao Europeu da Corunha, em Julho último. “Se isto é perder, se isto é mau, o que dirão outros?”, questionou. “Se se olhar ao histórico, vai ter de encontrar lá muito lá para trás uma realidade idêntica a esta”, afirmou, aludindo, por exemplo, a que Portugal não estava numa final mundial desde 2003 e numa europeia desde 1998.

Montreux é o primeiro desafio

O próximo desafio da principal selecção portuguesa será apenas em Abril (17 a 21) do próximo ano, com mais uma edição da Taça das Nações em Montreux, dando tempo a Luís Sénica para reflectir sobre os possíveis sucessores.

Seguir-se-á depois o Campeonato do Mundo, em Julho, integrado nos World Roller Games que terão lugar em Barcelona.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade