Notícia

Leões derrotam dragões e ficam sozinhos na frente

Nov 26, 2018

O Sporting venceu o Porto por 5-3 e reassumiu a liderança do Campeonato Nacional, agora isolado, depois do empate do Barcelos na recepção ao Benfica.

Foi uma primeira com muito mais Porto, mas um Girão praticamente intransponível. Os dragões tomaram conta do jogo desde cedo, com pressão alta e a algumas boas oportunidades, mas sem eficácia. Aos nove minutos, Reinaldo Garcia, de uma omnipresença impressionante, saiu e o Sporting conseguiu libertar-se.

Reinaldo Garcia deixou a sua marca nos primeiros minutos, a defender e a atacar

Paulo Freitas lançou Pedro Gil e, pouco depois, João Pinto. E chegou ao golo. Aos 13 minutos, os azuis-e-brancos deram espaço a Gil, entrado dois minutos e meio antes, na zona frontal, e o espanhol não se fez rogado, inaugurando o marcador contra a corrente do jogo. Uma “corrente” que era tão forte, que a vantagem durou apenas 15 segundos. Gonçalo Alves, antes da linha divisória da pista, conseguiu o que não conseguira de bem mais perto, e repôs a igualdade.

Com espaço, Pedro Gil não se fez rogado e inaugurou o marcador

O jogo tinha mudado um pouco de cariz, mas o Porto continuava por cima. Só que permitia que o Sporting saísse com mais perigo para o ataque e caía mais vezes em situação de falta. Até que, a quatro minutos e meio do intervalo, a equipa de Cabestany chegava à 10ª falta. Font não perdoou e, numa execução primorosa do livre directo, fez o 2-1.

Girão esteve impressionante, em particular nos primeiros 25 minutos

Com a lição aprendida do primeiro golo, o Sporting não deu oportunidade ao Porto de restabelecer a igualdade. Com Romero particularmente “chato” a defender, e com o conjunto a prolongar os ataques ao máximo possível, os leões levaram a vantagem para o balneário.

Na etapa complementar, ainda não estavam cumpridos cinco minutos quando Rafa desviou uma assistência de Gonçalo Alves para o fundo das redes, deixando tudo como no início com o 2-2, mas já com o desgaste físico e mental de 30 minutos intensos.

Gonçalo Alves, quase sempre o mais perigoso dos dragões, bisou

O jogo estava mais dividido, com mais espaços de um e outro lado, mas os guarda-redes campeões da Europa de 2016 faziam questão de brilhar com mais intensidade, com dois livres directos a serem paradigmáticos. Primeiro, aos 10 minutos, com Girão a negar o golo a Cocco e, minuto e meio depois, com Nelson Filipe a não permitir novo golo a Ferran Font, depois de um azul a Reinaldo Garcia.

Os leões não aproveitaram o momento de “powerplay” e o Porto reclamaria (em vão) a validação de um golo, num lance de Gonçalo Alves em que a bola terá entrado na baliza à guarda de Girão. E só nos últimos cinco minutos é que o marcador voltou a mexer.

Apesar do jogo ser sempre disputado de forma correcta, houve necessidade de algumas assistências em pista; a de Caio inspirou mais cuidados

Mais balanceado para o ataque, o Porto deu demasiados espaços. E o Sporting veria na 14ª falta dos dragões, um pretexto para sair mais rápido para o ataque, procurando forçar os desequilíbrios ou um novo livre directo.

A cinco minutos do final, Toni Perez fez o 3-2 e, praticamente de seguida, Pedro Gil perdeu uma soberana a oportunidade de alargar a vantagem no desnorte azul-e-branco. Consegui-lo-ia o asturiano Toni Perez, com espaço e um remate colocado para o 4-2, menos de um minuto volvido sobre o terceiro golo leonino.

Toni Perez bisou, passando o resultado de 2-2 para 4-2

Gonçalo Alves, na transformação de uma grande penalidade, reduziu quase de imediato, mas o Porto voltaria a pecar no seu balanceamento ofensivo, permitindo a Gonzalo Romero o 5-3, com pouco mais de dois minutos para jogar.

Nelson Filipe ainda segurou os dragões, defendendo novo livre directo de Font na 15ª falta, mas os três pontos já não escapariam aos anfitriões do último duelo de candidatos da primeira volta.

Romero matou o jogo, com pouco mais de dois minutos para jogar

A classificação do Campeonato, finda a sétima jornada, fica assim ordenada: 1º Sporting (17 pontos), 2º Óquei de Barcelos (15), 3ºs Benfica, Riba d’Ave e Oliveirense (14), 6º Porto (13), 7º Braga (11), 8ºs Valongo e Marinhense (7), 10ºs Turquel e Oeiras (6), 12º Juventude de Viana (5), 13ºs Tomar e Paço de Arcos (4).

O mini-campeonato dos candidatos

A sétima jornada marcou o fim da primeira volta do “mini-campeonato” entre os assumidos candidatos ao título que muitos apontam como determinante na corrida ao título.

O Benfica foi quem se saiu melhor neste particular, somando sete pontos. O Sporting cinco, a Oliveirense dois e o Porto apenas um, no empate em Oliveira de Azeméis.

Sporting sai líder dos confrontos com os outros candidatos, mas beneficiando da perda de pontos do Benfica noutras pistas

Só que, mostrando que a luta pelo título passará por muito mais do que o confronto directo entre os quatro assumidos candidatos, o Benfica perdeu cinco pontos em duas deslocações ao Minho, com derrota em Braga (onde a Oliveirense venceu) e empate em Barcelos (onde ainda mais “ninguém” jogou), o que o deixa atrás na classificação... É que, para já, Sporting, Oliveirense e Porto só perderam pontos frente aos outros candidatos.

Na segunda volta, o Sporting será sempre visitante nos jogos com os outros candidatos, a Oliveirense desloca-se à Luz, o Benfica vai ao Dragão Caixa, onde, de resto, o Porto receberá os seus três mais directos adversários.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade