Notícia

João Rodrigues brilha, 22 anos depois de Rui Lopes

Feb 28, 2019

Recorte: Mundo Deportivo

João Rodrigues estreou-se na grande festa do Hóquei em Patins espanhol, a Copa del Rey (Taça do Rei) com uma conquista.

O atacante que no último defeso trocou o Pavilhão Fidelidade pelo Palau Blaugrana marcou nos três jogos realizados – frente a Noia, Caldes e Liceo – e terminaria a competição a ser eleito MVP (“Jogador Mais Valioso”).

João Rodrigues marcou nos três jogos que levaram à conquista da Taça do Rei

Foi um epílogo perfeito para o internacional português – e capitão da Selecção Nacional – que lidera a lista de melhores marcadoras na Liga Europeia com 10 golos e que, com dois terços da OK Liga cumpridos, soma 19 dos 104 tentos conseguidos pelo Barcelona, sendo apenas superado, entre os jogadores às ordens de Edu Castro, por Pablo Alvarez, com 33.

João Rodrigues já conquistara as Taça Continental e Taça Intercontinental, mas a época até arrancou de forma amarga, com a derrota na Supercopa – para o Liceo – a levar a críticas. Porque, para o Barcelona, ganhar é praticamente uma obrigação e, como o jogador de 28 anos nos conta, notícia é quando perde… Valorizando mais a conquista colectiva que a individual, João Rodrigues aponta já a conquistas futuras.

Rui Lopes antes de João Rodrigues

Ao contrário do que, por lapso, foi sendo veiculado [pelo HóqueiPT, e, por tal, ficam as nossas desculpas], a conquista de João Rodrigues na Taça do Rei não foi a primeira para um português.

Antes de João Rodrigues, ganhou Rui Lopes. E de uma maneira que devia ter perdurado na memória, mas os tempos eram bem diferentes no que à propagação de notícias dizia respeito.

Entre os dois atacantes há pontos comuns. Ambos com formação em Paço de Arcos, viriam a confirmar o seu talento no Benfica. E, logo no primeiro ano no país vizinho, arrebataram a “Copa”.

Rui Lopes chegou ao Liceo em 1996, onde estaria duas temporadas. Na primeira, foi determinante num feito inédito e histórico para a equipa galega, um “tri” na Copa del Rey, como inédito e histórico é agora o “tetra” para que João Rodrigues contribuiu.

Tal como João Rodrigues, Rui Lopes também conquistou a Copa na primeira edição em que participou. Foi em 1997, tinha o avançado internacional português 26 anos.

Em Junho de 1997, numa altura em que a Taça do Rei era discutida em Final Four, o Liceo afastou nas meias-finais o Vic por 0-2, com um golo de Rui Lopes (de grande penalidade), e marcou encontro na final com o Igualada, que na outra “meia” venceria o Vilafranca por 6-2.

A final de 1997, em Alcobendas, reeditava a de 1996, que o Liceo vencera por 5-4. O Igualada atravessava o seu período áureo, vindo da conquista de quatro Ligas Europeias nas quatro temporadas anteriores e antes de ganhar mais duas nas seguintes. Apesar de ter falhado nessa temporada de 1996/97, para o Barcelona, a possibilidade de sete conquistas europeias consecutivas, sagrar-se-ia campeão espanhol. Mas Rui Lopes destroçaria a equipa de Jaume Llaverola, Santi Carda, David Cáceres, Ivan Tibau, entre outros.

Na final de 1997, Rui Lopes apontou cinco golos na vitória do Liceo sobre o Igualada por 9-3.

O português apontou dois golos na primeira parte, para um inesperado 4-1, e na segunda somou mais três golos para uma mão cheia, chegando o Liceo a uns impensáveis 9-1. O Igualada amenizou – mas pouco – a derrota para os 9-3 final, num resultado que não deixou de chocar. Tanto que, depois dessa final há 22 anos, ninguém ganhou na decisão da Copa del Rey por mais de três golos…

Para além de Paço de Arcos, Benfica e Liceo, Rui Lopes representaria ainda – depois do regresso ao Benfica em 1998 - Seixal, Sporting, Juventude Salesiana, Oeiras e, novamente, Paço de Arcos. Pela Selecção Nacional, que João Rodrigues agora capitaneia, Lopes conquistou três Campeonatos da Europa (1992, 1994 e 1996) e um Campeonato do Mundo (1993). Em 1997, ano em que conquistou a Copa del Rey, conquistou a Taça das Nações em Montreux.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade