Notícia

Uma dúzia de equipas já apuradas para os 'oitavos'

Mar 11, 2019

Com Sesimbra e Sporting apurados para os oitavos-de-final, o fim-de-semana de Taça deu a conhecer mais 10 equipas que estarão na próxima fase da prova rainha.

As equipas primodivisionárias, a aparecerem pela primeira vez nesta ronda, não tiveram vida fácil frente às equipas da II Divisão. Riba d’Ave e Óquei de Barcelos até venceram por três golos, mas a Juventude de Viana teve de ir às grandes penalidades e Valongo e Turquel ficaram mesmo pelo caminho.

Nas pistas dos líderes das zonas Norte e Sul, a possibilidade de saída precoce da Taça já não era propriamente uma surpresa…

José Almeida (Sanjoanense) e Tomás Pereira (Riba d’Ave) assinaram quatro golos nos jogos do fim-de-semana. Tal como Tiago Jorge já fizera pelo Sesimbra.

O Valongo caiu em São João da Madeira, por 5-3, com José Almeida, autor de um poker, a brilhar na vitória da Sanjoanense, ao passo que o jovem Carlos Ramos bisava de forma inglória para a equipa de Miguel Viterbo.

O Turquel, frente a muitos velhos conhecidos, despedir-se-ia da prova em Almeirim. “Os Tigres”, orientados por André Luís, venceram por 4-2 com dois golos de Paulo Passos e um de Xavier Lourenço, ambos com formação nos alvinegros. Filipe Bernardino marcou o outro golo dos almeirinenses, enquanto João Souto e André Moreira marcaram para a equipa de João Simões.

No Pico, num jogo que já foi grande há alguns anos, Edgar Pereira inaugurou para o Candelária, mas a Juventude de Viana virou para 1-4, destacando-se Luís Viana a bisar. A eliminatória parecia resolvida, mas o brio de internacionais portugueses levaria o jogo para tempo extra. Pedro Afonso (ex-Paço de Arcos, Benfica e Liceo) bisou e assistiu Tiago Resende, jogador referência dos picarotos nos seus tempos áureos, para a igualdade a quatro nos instantes finais do tempo regulamentar.

No Pico reviveram-se os tempos do Candelária no escalão maior, e a Juventude de Viana só garantiu o apuramento nas grandes penalidades.

Sem golos no prolongamento, o jogo seguiu para a lotaria das grandes penalidades. Só Alan Fernandes, internacional português e brasileiro, marcou para o Candelária, sendo a eliminatória resolvida com tiros certeiros de Nelson Pereira, Gustavo Lima e Luís Viana.

Nas vitórias “tranquilas”, o Riba d’Ave venceu o dérbi minhoto com o Famalicense por 5-8, com Tomás Pereira a rubricar quatro golos. Tantos como o Óquei de Barcelos em Vale de Cambra, vencendo o Académico por 1-4, num jogo em que Rúben Sousa e Alvarinho bisaram.

Paço de Arcos apurado nos instantes finais

No único jogo entre primodivisionários do fim-de-semana (Braga e Sporting jogaram na quinta e Oeiras e Oliveirense defrontam-se próxima quarta), Paço de Arcos e Tomar levaram a emoção até aos instantes finais.

Nuno Lopes levou o Sporting à final da Taça de 2015 e às “meias” em 2016, mas agora não foi talismã para os leões de Tomar

Entre as duas equipas que lutam pela manutenção no escalão maior, havia muita gente a reconhecer caras do “outro lado” quando se apitou para o início de jogo. Dos 10 jogadores em pista nesse momento, oito passaram pela formação do Benfica – Daniel Machial, Pedro Vaz, Filipe Fernandes e Tiago Gouveia (Paço de Arcos) e Diogo Alves, Guilherme Silva, Pedro Martins e João Sardo (Tomar) – com muitos deles a coincidirem na mesma equipa.

Houve mais Tomar no início, mas sem que a equipa de Nuno Lopes traduzisse a sua superioridade em golos. E, em contra-ataque, Tiago Gouveia abriria, aos cinco minutos, o marcador para a equipa de Luís Duarte.

Filipe Fernandes, recuperado de uma longa lesão, exibiu-se – tal como Diogo Silva – em bom plano

O golo sofrido mexeu com o Tomar, que não tardou a responder. Apenas minuto e meio após o golo da equipa da Linha, Pedro Martins restabelecia a igualdade.

O jogo estava mais equilibrado, com os regressados de lesão Diogo Silva e Filipe Fernandes (só falta voltar Nelson Ribeiro) a contribuírem para um jogo mais pensado do Paço de Arcos. Na “abundância” de soluções que agora Luís Duarte tem, depois de viver parte da época com menos três jogadores fulcrais, até foi a equipa da Linha a “mexer” primeiro, entrando Rafael Lourenço a meio da primeira parte.

“Rafa” Lourenço fez o segundo para o Paço de Arcos

Nos condicionalismos do plantel às ordens do ex-seleccionador nacional de Sub-20, “Rafa” e Tomás Moreira ganharam protagonismo e os dois campeões da Europa de Pully construiriam o 2-1, com o segundo a arrancar pela direita para o primeiro finalizar. Os dois jovens jogadores, que já tinham jogado juntos no Sporting, voltariam a ser decisivos no final da partida.

Antes, João Paulo Candeias repunha a igualdade ainda na primeira parte, deixando tudo em aberto para a segunda parte.

Candeias marcou a fechar a primeira parte, frente a um clube onde cumpriu parte da sua formação

A etapa complementar foi de cautelas. Muitas.

Aos quatro minutos, Rafael Lourenço viu o azul, mas nem João Sardo aproveitou o livre directo frente a Daniel Machial, nem o Tomar aproveitou o “powerplay”. O conjunto de Nuno Lopes ainda procurou pressionar, mas, quando chegou à nona falta, com cerca de 16 minutos para jogar, conteve-se.

Os nabantinos “sobreviveram” a uma grande penalidade de Tomás Moreira e, depois de largos minutos, em que nem visitados nem visitantes arriscaram, quando caiu a 10ª falta – que o Paço de Arcos não fez muito por procurar -, voltariam a ter em Diogo Alves um garante da igualdade, negando agora o golo a Filipe Fernandes.

Tomás Moreira decidiu o jogo com um “tiro” de meia distância

Quando já muitos esperavam o prolongamento, Tomás Moreira rematou do meio da rua, num lance em que Rafa e o guarda-redes Diogo Alves se enrolaram. Houve protestos do lado do Tomar, mas o golo fora dado logo a Tomás e não a Rafa, este num segundo momento, a voltar a introduzir a baliza depois de fazer falta sobre o guardião adversário.

Mais quatro da “segunda”, para lá dos “tomba-gigantes”

Nos restantes jogos da ronda, desde logo destaque para o jogo entre Gulpilhares e Parede… que não se realizou. A falta de policiamento levou à punição por falta de comparência da equipa gaiense e a equipa da Linha segue para os “oitavos”.

Pelo contrário, com direito a tempo extra, Infante Sagres e Física protagonizaram um jogo emotivo. A equipa de Torres Vedras chegou a estar em vantagem por 1-3 e 2-4, mas os portuenses, em particular com a resiliência de António Rodrigues (marcou três golos), levaram o jogo para prolongamento com uma igualdade a quatro.

O Alenquer, que recebe o Marinhense no dia 20, é sério candidato a “tomba-gigante”. Escola Livre e Sporting de Torres partem com missões hercúleas para as partidas com, respectivamente, Porto e Benfica.

Aí, a Física foi mais forte, marcando por Vasco Martinho ainda na primeira parte e desperdiçando mesmo uma grande penalidade por João Lima e um livre directo por André Gaspar, que até bisara no tempo regulamentar.

Também fora de portas, Valença e CACO agarraram o passaporte para os “oitavos” pela margem mínima. A equipa minhota venceu na Madeira o Marítimo por 2-3, enquanto o histórico emblema lisboeta venceu por 3-4 em Lavra. O CACO vencia por três golos a cinco minutos do fim, mas não escapou a sobressaltos nos instantes finais do encontro.

Feitas as contas, já apuradas estão então já 12 equipas: Juventude de Viana, Óquei de Barcelos, Paço de Arcos, Riba d’Ave e Sporting (I Divisão), CACO, Física, “Os Tigres”, Parede, Sanjoanense e Valença (II Divisão) e o Sesimbra (III Divisão).

Os 16-avos-de-final prosseguem esta terça-feira com a visita do Porto a Azeméis para defrontar a Escola Livre.

Taça de Portugal 2018/19 – 16-Avos

Realizados

• Sesimbra 6-4 Pessegueiro do Vouga

• Braga 3-6 Sporting

• Sanjoanense 5-3 Valongo

• Infante Sagres 4-5 Física (4-4, 0-1 prol.)

• Famalicense 5-8 Riba d’Ave

• Gulpilhares 0-10 Parede (fc)

• Académico de Cambra 1-4 Óquei de Barcelos

• CS Marítimo 2-3 Valença

• Paço de Arcos 3-2 Tomar

• Lavra 3-4 CACO

• Candelária 5-7 Juventude de Viana (4-4, 1-3 gp)

• Tigres 4-2 Turquel

12 de Março

• Escola Livre vs Porto • 21h

13 de Março

• Sporting de Torres vs Benfica • 21h

• Oeiras vs Oliveirense • 21h

20 de Março

• Alenquer e Benfica vs Marinhense • 21h

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade