Notícia

Oliveirense e Benfica nos 'oitavos'

Mar 14, 2019

Oliveirense e Benfica juntaram-se às equipas já apuradas para os oitavos-de-final da Taça de Portugal, ao passarem com dificuldades distintas os seus adversários dos 16-avos.

Em Oeiras, num duelo entre primodivisionários, a Oliveirense já tinha provado dificuldades para o Campeonato, quando vencera por mínimo 0-1. Agora, com mais golos, a equipa de Oliveira de Azeméis teve de andar atrás do resultado.

O argentino Ezequiel Mena inaugurou o marcador e serviu Joka para o segundo. Marc Torra ainda reduziu, mas a primeira parte seria definitivamente “ganha” pelo grupo orientado por Miguel Dantas e Pedro Feliz ao elevar para 3-1, por Gonçalo Conceição.

Ferruccio, Bargalló, Torra e Jorge Silva bisaram em Oeiras

Na etapa complementar, Jordi Bargalló, de grande penalidade, reduziu, mas “Tato” Ferruccio bisou para colocar o resultado num 5-2 que se afigurava difícil de anular…

No entanto, os pupilos de Renato Garrido não deixavam de estar no jogo, sustentados pela recente recuperação de quatro golos em pleno Dragão Caixa. E, desta feita, a recuperação valeu mesmo a vitória.

Bargalló bisou de grande penalidade, Ricardo Barreiros reduziu para a diferença mínima e Jorge Silva consumou a recuperação, com a igualdade a cinco. Torra e Jorge Silva selaram a passagem com o 5-7 final.

Resistência das Linhas de Torres durou uma parte

Em Torres Vedras, o pavilhão do Sporting de Torres encheu para a recepção ao primodivisionário Benfica. A equipa da casa cerrou fileiras para esbater a natural diferença de valores e a estratégia funcionou quase em pleno… na primeira parte.

Praticamente sem incomodar Pedro Henriques, o Sporting de Torres, segundo classificado na Zona Sul A da III Divisão, fechava bem os caminhos para a sua baliza. Mesmo quando, após dois azuis ao experiente Johe (que representou o Benfica no passado), as águias ficaram em superioridade numérica quatro minutos.

Rogério Silva foi a figura em maior destaque na primeira parte

Num filme visto noutro contexto, frente a quatro leões, os encarnados não conseguiram marcar, ainda que desta vez não tivessem faltado oportunidades. Rogério Silva, guarda-redes da equipa orientada por Rodolfo Santos é que defendia tudo. E até foi neste momento em que o Torres criou algum perigo, em particular pelo jovem Francisco Granadas.

Apesar dos protestos dos leões de Torres Vedras, Lucas Ordoñez inaugurou o marcador, no único tento da primeira parte

“Sobrevivendo” à inferioridade numérica, os de Torres só claudicariam uma vez na primeira parte. E com queixas. A sete minutos do intervalo, Luís Peixoto assinalou um corte com o patim a um jogador verde-e-branco e, marcando rapidamente, Miguel Rocha arrancou determinado e serviu Lucas Ordoñez que, sozinho na área adversária, fez um golo de belo efeito.

A vantagem mínima para os encarnados era um prémio para o esforço torreense. Que ruiu no arranque da segunda.

Bis de Valter Neves no arranque dos segundos 25 minutos decidiu o jogo

Logo nos primeiros dois minutos após o reatamento, em lances consecutivos, Valter Neves bisou e aniquilou qualquer esperança de reacção do Sporting de Torres. Sem a mesma alavanca moral e com o cansaço a acumular-se entre os visitados, os golos encarnados foram paulatinamente surgindo.

Nicolía aumentou para 0-4 aos oito minutos e, aos 16 surgia o 0-5, num grande movimento de Jordi Adroher. Depois, foi hora de Miguel Rocha.

Francisco Granadas foi dos que mais procurou o golo para a equipa da III Divisão, mas sem sucesso

Já com Ricardo Paulino entre os postes, substituindo um merecidamente ovacionado Rogério Silva, o número 44 dos encarnados tomou conta dos minutos finais, tal como no último compromisso para a Liga Europeia frente ao Montreux, em que Miguel Rocha marcou os últimos quatro golos da vitória por 10-2.

O jogador que está de saída das águias no final da temporada assinou os sexto e sétimo tentos da equipa de Alejandro Dominguez e serviu, em bandeja de prata, Adroher e Miguel Vieira para o fecho das contas. Entretanto, o Sporting de Torres tentara, num esforço final, chegar ao tento de honra, mas sem evitar o 0-9 final.

Miguel Rocha, tomou conta dos últimos cinco minutos de jogo, com dois golos e duas assistências

Com o apuramento de Oliveirense e Benfica, fica a faltar conhecer apenas uma equipa dos oitavos-de-final, a decidir entre Alenquer e Marinhense no próximo dia 20.

Apesar dessa decisão em falta, esta quinta-feira realiza-se já o sorteio de “oitavos”, “quartos” e Final Four, em que certos são os nomes de Benfica, Juventude de Viana, Oliveirense, Óquei de Barcelos, Paço de Arcos, Porto, Riba d’Ave e Sporting (I Divisão), CACO, Física, “Os Tigres”, Parede, Sanjoanense e Valença (II Divisão) e Sesimbra (III Divisão).

Taça de Portugal 2018/19 – 16-Avos

Realizados

• Sesimbra 6-4 Pessegueiro do Vouga

• Braga 3-6 Sporting

• Sanjoanense 5-3 Valongo

• Infante Sagres 4-5 Física (4-4, 0-1 prol.)

• Famalicense 5-8 Riba d’Ave

• Gulpilhares 0-10 Parede (fc)

• Académico de Cambra 1-4 Óquei de Barcelos

• CS Marítimo 2-3 Valença

• Paço de Arcos 3-2 Tomar

• Lavra 3-4 CACO

• Candelária 5-7 Juventude de Viana (4-4, 1-3 gp)

• Tigres 4-2 Turquel

• Escola Livre 4-8 Porto

• Sporting de Torres 0-9 Benfica

• Oeiras 5-7 Oliveirense

20 de Março

• Alenquer e Benfica vs Marinhense • 21h

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade