Notícia

Miguel Albuquerque visa (também) FPP e arbitragem

Mar 18, 2019

O Clássico do Dragão Caixa ficou marcado por alguns incidentes no camarote onde estava um dirigente leonino.

Em pista, apesar de um jogo emotivo, não houve picardias de maior entre os jogadores, ficando mesmo bem patente a boa relação entre os jogadores que, rivais nos dragões e nos leões, são colegas nas selecções nacionais.

Mas, alguns desacatos, que terão culminado na agressão a Miguel Albuquerque, director geral das modalidades do Sporting, impedem que o livro sobre a vitória do Porto por 3-1, que vale a liderança do Campeonato a seis jornadas do fim, se feche desde já.

Numa “guerra” que claramente transborda o Hóquei em Patins, aquele que comanda as modalidades leoninas desde que Frederico Varandas assumiu a presidência do clube, emitiu um comunicado através das redes sociais de nove pontos, dedicando em concreto apenas um ao jogo que decorria no momento dos incidentes.

Miguel Albuquerque aponta o dedo a José Magalhães e a Adelino Caldeira, nomes “estranhos” à maioria do universo do Hóquei em Patins, e elogia inclusivamente Fernando Santos, seu homólogo no Porto, esse sim, mais próximo da modalidade. Mas, no ponto 7, Albuquerque vira baterias à Federação de Patinagem de Portugal, questionando a ausência do presidente Luís Sénica.

O dirigente leonino alega que o presidente federativo terá mesmo “desabafado” no seu círculo de amigos que o jogo iria dar “confusão”, mas a FPP até se faria representar, pelo menos, por Nuno Ferrão, Director-Técnico Nacional, os “vices” Manuel Azevedo e Agostinho Silva e ainda Rui Assis e Santos e Ludovino Ferreira, respectivamente presidentes dos Conselho de Justiça e Conselho de Arbitragem, ainda que Ludovino Ferreira estivesse como delegado técnico de arbitragem ao jogo.

Questionando também a arbitragem, que esteve a cargo de Rui Torres e Pedro Silva e sobre a qual promete análise detalhada, Miguel Albuquerque refere-se a um “carrossel telefónico” que terá acossado os seus jogadores. Em ponderação, fica-se à espera da concretização – pública ou institucional – da denúncia.

Comunicado (excerto)

(…)

7 – No que diz respeito ao Hóquei em Patins confesso que há uma situação que me deixa curioso. Gostava de perceber o porquê de o Presidente da Federação Portuguesa de Patinagem não estar presente naquele que todos apelidavam de “jogo do título”. Talvez o seu desabafo no seu ciclo de amigos – “Já sei a confusão que aquilo vai dar, é melhor nem lá ir” – seja uma justificação para a sua ausência.

Quanto à arbitragem do jogo de Hóquei em Patins, irei a partir de amanhã analisar lance a lance. Os meus jogadores sabem bem do que estou a falar e os telefonemas que receberam na última semana! E este é o momento para ponderarmos uma denúncia sobre o carrossel telefónico dos últimos sete dias.

O Campeonato não acabou ontem e as contas fazem-se no fim!

(…)

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade