Notícia

O último passo para o palco dos sonhos

Apr 06, 2019

Joga-se este sábado um lugar na Final Four da Liga Europeia.

Configurando-se uma surpresa maior que a vantagem da primeira mão escapasse, Barcelona, Porto e Sporting estão bem encaminhados para repetir a presença no fim-de-semana na decisão, depois de em 2018 terem estado no Dragão Caixa.

Sporting vs Lodi (5-3) – 15h

Num duelo de treinadores portugueses, Sporting e Lodi entram em pista no João Rocha a partir das 15h.

Os leões partem com uma vantagem de dois golos (3-5 na primeira mão) que por um lado sabe a pouco quando a vantagem era de três já no último minuto, mas que sabe a muito perante alguma desconcentração na fase final da partida.

No João Rocha estará Alessandro Verona, que em Itália é apontado aos leões para a próxima temporada

A equipa de Paulo Freitas realizou uma prova quase irrepreensível até ao momento, registando-se apenas um empate a zero (em Forte dei Marmi) numa regra de vitórias.

Frente à defesa menos batida da competição, o Lodi de Nuno Resende terá uma missão muito complicada para inverter o resultado da primeira mão e colocar uma equipa italiana na Final Four, o que não aconteceu nas duas últimas temporadas.

Porto vs Forte (5-1) – 18h30

Na expectativa que uma equipa italiana volte à Final Four, dificilmente se poderá contar com o Forte nesta edição…

A equipa que em 2016 esteve na final a quatro da Luz, sucumbiu por 1-5 na primeira mão frente a um Porto que persegue um terceiro título desde 1990, no que já muitos apelidam de maldição.

Os dragões são presença regular nas decisões, mas, à semelhança de 2018, com derrota na final frente ao Barcelona, fica sempre a faltar “um bocadinho assim”.

Presença regular nas decisões nas últimas décadas, o Porto – com quatro golos de vantagem - já só precisa de carimbo no “passaporte” para a Final Four

Guillem Cabestany, que antes da edição do ano passado já tinha estado na Final Four com os improváveis Vendrell (2014) e Breganze (2015) volta a “atacar” a conquista da “prova maior” e, com quatro golos de vantagem, a jogar no Dragão Caixa, só um cataclisma impedirá a presença no fim-de-semana de todos os sonhos.

Recorde-se que esta temporada, os azuis-e-brancos já estiveram em duas finais internacionais – Taça Continental e Taça Intercontinental -, acabando por deixar sempre fugir o título para o Barcelona, um autêntico Adamastor para o Porto. E a equipa blaugrana perfila-se como provável adversário nas meias-finais…

Benfica vs Oliveirense (3-2) – 19h

O jogo que encerrará em si maior expectativa é o embate luso entre Benfica e Oliveirense, agendado para as 19h.

Os encarnados partem com um golo de vantagem para os segundos 50 minutos que, na conjuntura desta temporada, é curto para qualquer ilação. A Oliveirense, ao contrário do Benfica, está ainda na luta pelo título nacional, e na deslocação que fez – para o Campeonato - à pista do adversário deste sábado, bem pode queixar-se de um golo não validado (e muito badalado), que dava uma vantagem de 3-4 no último minuto de jogo…

Frente-a-frente na Luz estarão o seleccionador espanhol e o seleccionador português, para o segundo duelo entre clubes depois de Renato Garrido ter sido anunciado como timoneiro luso e na antecâmara do primeiro duelo de selecções, que acontecerá na Taça das Nações, em Montreux, este mês de Abril.

Numa série inédita para um jogador, Marc Torra venceu a Liga Europeia quatro vezes consecutivas em três clubes diferentes

Para tentar marcar presença na Final Four pela terceira vez em quatro anos, a Oliveirense conta com um autêntico talismã. Marc Torra venceu a prova em quatro edições consecutivas entre 2014 e 2017, “falhando” apenas em 2018 no Dragão Caixa, caindo com o Reus nas meias-finais.

E o feito do jogador catalão vai para além do número de conquistas, dado que foram conseguidas em representação de três emblemas diferentes. Em 2014 e 2015, Torra venceu pelo Barcelona, em 2016 pelo Benfica e, em 2017, pelo Reus. Faltará agora o título pela Oliveirense, num feito que seria histórico para a equipa de Oliveira de Azeméis. E, ao site do clube, o catalão deu a receita para, para já, chegar à Final Four.

“Temos de impedir que o Benfica saia em contra-ataque porque são muito fortes. Não lhes podemos dar a bola e temos de manter sob controlo os jogadores verticais do Benfica”, referiu, deixando o alerta. “Se eles saírem rápido para o ataque vão ter superioridade numérica e nós não queremos isso. Temos de ser valentes porque eles vão pressionar alto”, avisou.

Valter Neves marcou em Oliveira de Azeméis, mas está consciente que a vantagem é ténue

Do lado dos encarnados, foi Valter Neves, que já ergueu duas vezes a Liga Europeia de águia ao peito, que deu o mote para um jogo importantíssimo no contexto de uma temporada em que Alejandro Dominguez assumiu o comando técnico em Janeiro.

“Estamos à espera de uma Oliveirense na sua máxima força, uma equipa à qual podemos estar adaptados visto já termos jogado com eles algumas vezes nesta temporada, mas vamos tentar explorar aquilo que temos feito menos bem nos jogos anteriores e tentar empolar aquilo que tem sido o melhor", explicou ao site oficial das águias, consciente de que não dá para “dormir” sobre a vantagem amealhada. “Não nos podemos agarrar só à vantagem de que dispomos, temos de encarar este jogo como se não tivéssemos vantagem nenhuma”, frisou.

De facto, este será o quinto encontro entre Benfica e Oliveirense esta temporada. A Oliveirense venceu nas meias-finais da Elite Cup no desempate por grandes penalidades, mas claudicaria, no Salvador Machado, para o Campeonato, por 1-3, então ainda com Pedro Nunes como treinador do Benfica.

Já com Alejandro Dominguez, Benfica e Oliveirense empataram na Luz (3-3) num jogo que alimentou o debate sobre o VAR, e, na primeira mão da Liga Europeia, as águias de Lisboa lograram a vitória por 2-3 que dá (pouca) vantagem para esta decisiva segunda mão.

Barcelona vs Noia (4-3) – 18h

Também às 18h (mas de Espanha, 17h em Portugal continental) tem início a outra eliminatória que está pendente por um golo. Tal como o Benfica, o Barcelona venceu fora pela diferença mínima (3-4) e será essa vantagem que defenderá no Palau Blaugrana.

No entanto, e apesar do Noia ter dado boa réplica sempre que defrontou os catalães, a multititulada equipa orientada por Edu Castro não tem tradição de claudicar na sua casa, ainda para mais frente a adversários da OK Liga.

Entre as equipas dos quartos-de-final da Liga Europeia, o Barcelona soma 22 títulos. As restantes sete equipas, com os seus títulos somados, têm seis…

Para a principal prova do calendário do país vizinho, o Noia impôs um empate a dois em Sant Sadurní e cairia apenas nos instantes finais da partida da segunda volta, no Palau Blaugrana, por 2-1, mas numa fase da OK Liga em que o Barça já joga sem qualquer tipo de pressão, com o ‘hexa’ a ser uma questão de tempo.

O Barcelona, no seu domínio avassalador, persegue o seu 23º título nesta que é a 53ª edição da prova, enquanto o Noia apenas por uma vez conquistou a prova. Tal como o Sporting, sendo que Porto e Benfica conquistaram a prova maior do Hóquei em Patins de clubes por duas vezes cada.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade