Notícia

Porto vence nos 'penaltis' e está na final... sem Barcelona

May 11, 2019

Um ano depois, o Porto regressa à final da Liga Europeia. Mas, desta vez, o Barcelona já está ultrapassado, depois de uma vitória por 1-2, nas grandes penalidades.

No último ano, os azuis-e-brancos defrontaram por três vezes os blaugrana em finais. Mas a Liga Europa, a Taça Continental e a Taça Intercontinental acabariam no museu do Camp Nou.

Desta feita, no João Rocha, o embate foi nas meias-finais.

Matías Pascual inaugurou o marcador

Ainda não estavam decorridos quatro minutos quando Matías Pascual, num remate cruzado, inaugurou o marcador, obrigando o Porto a assumir mais o jogo. Os dragões criavam perigo, mas não encontravam maneira de ultrapassar Sergi Fernandez.

Com cautelas de parte a parte, faltava alguma espectacularidade a uma partida que ficou aquém dos 750 espectadores.

Nelson Filipe entrou e negou um golo de livre directo a Pau Bargalló

A seis minutos do intervalo, Carles Grau viu o azul e a baliza do Porto ficou entregue – e bem entregue – a Nelson Filipe. O internacional português defendeu o livre directo de Pau Bargalló e garantiu que a equipa não sofreria mais qualquer golo até ao descanso.

E, no derradeiro minuto da primeira parte, seria o Barcelona a ficar em inferioridade – que se prolongou no arranque da segunda metade – por azul a Marc Gual.

Gonçalo Alves foi dos mais persistentes entre os azuis-e-brancos e seria “premiado” com um golo

Na segunda parte, com Grau de volta à baliza, o Porto não logrou marcar com mais um jogador em pista, mas não tardou em restabelecer a igualdade. Aos quatro minutos, em lance individual, Gonçalo Alves, o mais insistente dos jogadores de Cabestany, fazia o 1-1.

O Barcelona procurou responder de imediato, com um Pascual sempre muito activo, mas não havia maneira de surgir novo golo. Nem para um lado, nem para o outro. Nem numa vaga um pouco mais tarde, com Pablo Alvarez em evidência, nem nos últimos minutos, com o Porto mais pressionante e perigoso.

Quase no final do prolongamento, Gual perdeu uma boa oportunidade e viu azul no seguimento do lance… quase deitava, desde logo, tudo a perder

A igualdade levou o jogo para prolongamento, com o Barcelona com nove faltas e o Porto com oito. Os dragões tiveram oportunidade de resolver o apuramento a dois minutos e meio do final, mas, depois de novo azul a Gual, Sergi Fernandez ganhou o duelo a Hélder Nunes e foi adiando o jogo até às grandes penalidades apesar do Porto jogar com mais um.

A “lotaria” começou de forma inesperada. Sergi Fernandez foi avisado por sair antes do remate de Gonçalo Alves e, à segunda infracção, viu o vermelho. “Explodiu” e atirou o stick pelo ar antes de sair, numa reacção inesperada.

Hélder Nunes foi o único a marcar no desempate por grandes penalides

Egurrola assumiu a baliza e negou o golo a Gonçalo Alves. E a Daniel Oliveira (“Poka”), Reinaldo Garcia e Telmo Pinto… mas não a Hélder Nunes, seu futuro companheiro no Barça, à quarta penalidade. Carles Grau defendeu todas as grandes penalidades dos blaugrana.

O Porto fica agora a aguardar o desfecho do dérbi, entre Sporting e Benfica. A segunda meia-final está agendada para as 18h.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade