Notícia

À conversa com Edu Castro

Aug 07, 2019

Em plenos World Roller Games, na mudança de palco de Vilanova para o Palau Blaugrana, Edu Castro, treinador principal do Barcelona, esteve à conversa com o HóqueiPT, numa entrevista conduzida por Marina Alves.

Edu Castro, de 53 anos, completou duas temporadas à frente da equipa principal do Barcelona e já soma a conquista de duas OK Ligas (uma delas sem derrotas), duas Copas do Rei, uma Supercopa espanhola, uma Liga Europeia, uma Taça Continental e uma Intercontinental.

Mas há muito que Edu está ligado ao principal clube da Cidade Condal, com um trajecto de muitos anos no Hóquei formativo. Em ambiente de Mundiais, Edu analisou o modelo de competição e a prova de Sub-19, ganha pela Espanha, deixando elogios ao “seu” Alejandro Edo (guarda-redes da selecção portuguesa), mas também os parabéns aos outros blaugrana, agora campeões do Mundo, Martí Gabarró e Oriol Llenas.

Ganhar formando

Na sua veia de formador, Edu Castro compara as realidades formativas de Portugal e Espanha e como, nos últimos anos, os talentos espanhóis acabaram por ser catapultados para palcos maiores que os jovens portugueses, apesar de terem sido estes últimos a vencer os Mundiais de 2013, 2015 e 2017.

Da final perdida de 2015, Ignacio Alabart e Nil Roca estão agora na equipa principal do Barcelona, e são exemplos da política de empréstimos para mais tarde regressarem. Nesse percurso, defrontariam a “casa-mãe” – causando mesmo dissabores – numa permissão que Edu vê como “lógica e natural”. “Se há algum jogo em que os queremos ver, é contra nós”, vinca.

Muito a ganhar com João e Hélder

Galego de nascimento, Edu é um apaixonado pela literatura portuguesa – citando Fernando Pessoa com um extraordinário à-vontade –, por Portugal e, em particular, por Lisboa.

Na temporada que agora arranca, o plantel blaugrana contará – pela primeira vez na sua História – com dois portugueses. Depois de João Rodrigues, chega Hélder Nunes, que acrescentará argumentos na fase de construção e no remate exterior.

João e Hélder são dois dos grandes valores de Portugal, agora campeões do Mundo, mas, mesmo com a fase final que levou ao título mundial por disputar, Edu destaca também Rafa, Gonçalo Alves, Telmo Pinto ou Ângelo Girão.

Os outros é que têm de ser mais profissionais, não é o Barça que tem de ser mais amador

A capacidade que o Barcelona tem para atrair talentos consagrados, é ímpar em Espanha, sendo muitas vezes acusado de enfraquecer as outras equipas. Mas, orgulhando-se de 30% da “cantera” (Alabart, Roca e… Egurrola), Edu Castro recorda que são as equipas portuguesas – os três grandes do futebol e a Oliveirense – que “tiraram” talento a Liceo ou Reus, no que vê como uma consequência natural do poderio económico para ir buscar os melhores jogadores disponíveis.

Aceitando que uma nova realidade passa por planteis de mais de 10 jogadores, como o caso do Sporting, Edu refere que tal mostra profissionalismo para encarar adversidades ao longo da temporada. No entanto, “o que ouviríamos se o Barça fizesse isso?”, ressalva, optando assim por manter a aposta também numa equipa B forte, de onde possa sair um reforço pontual em caso de lesões (como Panadero, em 2018) ou castigos (Gual, em 2017).

A fechar, ficou a promessa de uma formação pelo HóqueiPT, que só por questões de agenda não teve lugar já neste defeso.

Recordamos que em 2015, ainda adjunto de Ricard Muñoz, Edu Castro disponibilizara “As 18 ideias básicas sobre a defesa individual” – que agora diz que já são mais… -, num artigo que pode ser lido aqui.

Trabalhos arrancam esta quarta-feira

Esta quarta-feira arrancam os trabalhos de pré-temporada do Barcelona, mais uma vez apontado – e candidato – à conquista de todas as provas em que participa. Para tal, há a registar apenas a saída de Marc Gual, que integrará o staff da equipa, e a entrada do português Hélder Nunes.

A estreia acontece já dia 23, com a participação na Lliga Catalana, com a recepção ao Girona, seguindo-se a 27 a deslocação a Calafell ainda na fase de grupos daquela prova da Federação Catalã de Patinagem que marca a pré-temporada.

Conquistado o Mundial, João Rodrigues e Hélder Nunes – único reforço blaugrana – procurarão, juntos, títulos no Barcelona

A 14 e 15 de Setembro há Supercopa, em Igualada. Em formato de Final Four, o Barcelona defronta nas meias-finais o anfitrião Igualada, procurando a 15ª final em 16 edições desde 2004. Na outra meia-final, jogam Liceo, detentor do troféu, e Reus.

A OK Liga arranca na semana seguinte, na Corunha. Tal como no ano passado, a primeira jornada é frente ao Liceo, com o jogo agendado para as 12h de domingo, dia 22.

Afastado da final da Liga Europeia na última edição, o Barcelona não poderá defender a Taça Continental (nem, mais tarde, a Intercontinental), estando agendado o primeiro compromisso internacional para 19 de Outubro, com o arranque da fase de grupos – a sortear a 7 de Setembro – da Liga Europeia.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade