Notícia

Tiago Rodrigues, o 'mais valioso' da final

Sep 24, 2019

Tiago Rodrigues foi considerado o “Jogador Mais Valioso” (MVP) da final da edição deste ano da Elite Cup.

Não terá sido sem alguma surpresa para o público em geral que Guillem Cabestany apostou no jovem Tiago Rodrigues – 21 anos completos em Agosto – para a titularidade depois de duas boas exibições do também reforço Xavi Maliàn. Mas, com o técnico catalão a mostrar que todos merecem a sua confiança, “arriscou”… e ganhou.

De facto, a aposta em Tiago Rodrigues, campeão do Mundo de Sub-20 em 2015 e 2017, tem muito pouco risco. Reconhecidamente um dos melhores (para muitos, o melhor) da sua geração, Tiago Rodrigues - que se iniciou no Académico de Cambra - terminou a sua formação na Oliveirense que costuma estar longe das decisões nos campeonatos jovens, mas nunca escapou ao radar dos mais atentos.

Esta foi a segunda vez que Tiago Rodrigues esteve presente numa Elite Cup, depois de ter sido chamado em 2017 por Tó Neves, pela Oliveirense, numa edição que decorreu em Coimbra.

Sem oportunidades na equipa de Oliveira de Azeméis, foi em busca de minutos na vizinha Sanjoanense e, seria determinante para garantir a defesa menos batida da Zona Norte da II Divisão e o regresso dos alvinegros ao Melhor Campeonato do Mundo. Mas temporada que agora se inicia, já referenciado pelo Porto, não vai defender a baliza da equipa recém-promovida, vai defender a do campeão nacional.

Admirador confesso de Ângelo Girão, Tiago Rodrigues partilha com o guarda-redes leonino o número 61 na camisola

Xavi Maliàn parte, com naturalidade, à frente na corrida pela titularidade da baliza que era de Carles Grau e Nelson Filipe. Mas Tiago Rodrigues já mostrou, nesta final da Elite Cup, argumentos aos mais distraídos.

Com o “61” – tal como Girão – nas costas, Tiago esteve seguro na primeira parte, e contou com a ajuda do ferro para negar uma grande penalidade a Raul Marin. Sofreria um golo a abrir a etapa complementar, num desvio a meia altura de João Souto, mas, mesmo com maior assédio leonino, não perdeu o foco. O ferro voltou a dar uma ajuda em nova grande penalidade de Marin, e Tiago só voltaria a sofrer um golo a menos de meio minuto do apito final, quando os leões já atacavam com cinco jogadores.

Negado o último livre directo a João Souto, colegas rodearam Tiago Rodrigues

Chamado a defender no desempate por livres directos, negou o golo a Ferran Font – antecipando-se a uma habitualmente letal “picadinha” – e a Marin, mas não conseguiu evitar que João Souto voltasse a marcar. No entanto, depois de Di Benedetto bater Ângelo Girão, sairia vencedor do duelo com Souto e garantia um título inédito para os dragões.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade