Notícia

Biasca teme pela segurança e não vai à Catalunha

Oct 19, 2019

Foto de capa: Roller Club Biasca @Facebook

Foto: Hockey Club Liceo @Twitter

Foto: Girona Club Hoquei @Twitter

O campeão suíço Biasca anunciou em comunicado que não se deslocará à Catalunha para o jogo agendado da primeira jornada da fase de grupos da Liga Europeia.

Inserido no grupo B, o Biasca defrontaria o Noia, num grupo em que estão também Porto e Monza, mas os helvéticos entendem que não estão reunidas as condições para a viagem até Barcelona e Sant Sadurní d’Anoia.

Aludindo a problemas logísticos, com o cancelamento de muitos voos e a greve geral desta sexta-feira, e de segurança, com vários confrontos e uma possível intervenção militar, o Biasca – em que Alberto Orlandi é figura de proa – alega que não há condições para garantir uma viagem tranquila para jogadores, staff e acompanhantes e, apesar de estar em contactos para o adiamento da partida, assume a responsabilidade e o risco de eventuais consequências competitivas e financeiras que, neste momento, considera secundárias.

Contra o Biasca, que já não conta com o guarda-redes português Ricardo Figueiredo (reforçou o Uri), estará o facto dos franceses do Quevert e Nantes não terem colocado questões sobre as suas deslocações a, respectivamente, Reus e Caldes de Montbui.

Liceo e Girona “estagiam” em El Prat de Llobregat

A operacionalidade do aeroporto de El Prat em Barcelona está reduzida em virtude da semana de contestação que se tem vivido e afecta não só quem quer chegar, como quem quer partir… Liceo e Girona passaram por lá, a caminho dos compromissos europeus.

A “história” do Liceo começa ainda na Corunha, com um primeiro voo perdido – o avião foi atingido por um raio… - rumo a Barcelona, o que obrigaria a mudar o segundo voo, que era para Milão e passou a ser para Florença, e a longas seis horas no aeroporto de El Prat.

O Liceo chegaria a Forte dei Marmi esta sexta-feira, perto da meia-noite, e defronta este sábado o Forte dei Marmi num encontro importante do grupo D, que conta ainda com Oliveirense e Saint-Omer. É, quiçá, o grupo mais forte da primeira fase da Liga Europeia.

O “estágio” do Girona em El Prat foi mais prolongado. O emblema de uma das regiões em que o sentimento catalão é mais enraizado, manifestou a sua adesão à greve geral, mas precaveu-se para não perder o voo esta sexta-feira rumo a Dusseldorf.

A equipa orientada por Ramon Benito chegou ao aeroporto pouco depois da meia-noite, partindo depois do treino da noite de quinta e evitando as consequências de mobilidade reduzida em virtude das Marchas pela Liberdade que culminaram numa concentração de mais de meio milhão de pessoas e Barcelona contra a sentença decretada pela “justiça” espanhola aos organizadores do referendo “1-O” de 2017.

O Girona pernoitou no aeroporto e, com cancelamentos de voos sucessivos, teria o seu às 20h40 locais. Este sábado defronta o TuS Dusseldorf na primeira mão dos 16-avos-de-final da Taça WSE.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade