Notícia

Óquei de Barcelos desfalcado vence no João Rocha

Nov 10, 2019

No fecho da quinta jornada, o Óquei de Barcelos venceu o Sporting por 4-5 em pleno João Rocha e igualou os leões na classificação.

Apesar de não contar com Miguel Rocha (lesionado) nem com Álvaro Morais e Gonçalo Nunes (ao abrigo do acordo de cedência pela Sporting), o Óquei mostrou – mais uma vez – que tem de ser tido em conta neste Campeonato. Depois de um excelente jogo em Oliveira de Azeméis, onde perdeu com polémica à mistura, a equipa de Paulo Pereira venceu o campeão europeu na sua casa.

O Sporting perde pela segunda vez no João Rocha, desde que é a sua casa. Em ambas as derrotas, Pedro Gil assistiu da bancada…

A primeira parte foi dividida, com ascendente leonino, mas sem grandes oportunidades de golo. O Barcelos procurava ataques rápidos, quase sempre com o cunho das imprevisíveis mudanças de direcção de Mena. E seria o argentino que no ano passado se destacou no Oeiras a inaugurar o marcador, frio na cara de Girão a quatro minutos e meio do intervalo. Mas Gonçalo Meira veria um azul pouco depois e, num livre directo de Ferran Font, o Sporting levou todas as decisões para a segunda parte com um empate a um no marcador.

Após o reatamento, Mena voltou a deixar a sua marca ainda não estavam cumpridos dois minutos, dando nova vantagem à equipa de Paulo Pereira, mas, num jogo muito aberto – e com muito espectáculo à mistura -, a vantagem voltaria a não durar. Ferran Font não conseguiu voltar a marcar de livre directo, mas Toni Perez foi eficaz de grande penalidade. Tinha passado menos de um minuto sobre o segundo do Barcelos.

Ezequiel Mena foi a figura maior do encontro, pautando o jogo do Barcelos na defesa e no ataque, conseguindo mesmo dois golos

Mesmo vendo as suas vantagens anuladas, o Óquei de Barcelos estava muito bem em jogo, espreitando saídas rápidas adornadas com excelentes pormenores técnicos. E foi num enorme “pormenor” que, com cinco minutos jogados na segunda parte, “Tato” Ferruccio colocou novamente os visitantes na frente.

Em desvantagem pela terceira vez na partida, o Sporting acusava algum nervosismo e precipitava-se nas acções atacantes. E cairia na 10ª falta. “Tato” não conseguiu bater Girão – exagerou na tentativa do bonito – mas, pouco depois, Toni Perez também não foi eficaz de grande penalidade como fora anteriormente.

Os minutos passavam e pesavam mais no Óquei de Barcelos, limitado – em relação ao cinco inicial – à rotação com Meira e “Ziga”.

A meio da segunda parte, João Souto “arrancou” uma grande penalidade e, pela terceira vez de bola parada, o Sporting restabelecia a igualdade. Marin bateu Ricardo Silva para o 3-3. Pouco depois, os leões, mais uma vez de bola parada, perderiam a oportunidade de passar pela primeira vez para a frente num livre directo (15ª falta contrária) de João Souto. Ainda faltavam jogar mais de 10 minutos.

“Tato” apontou um grande golo, o terceiro dos barcelenses

O Sporting procurou fechar linhas bem alto, evitando que o Óquei de Barcelos – desgastado – tivesse espaço e embalasse para os seus ataques rápidos. Mas a pressão levaria os leões à 15ª falta e Luís Querido, mesmo não conseguindo bater Girão no remate directo, faria mesmo o quarto, na recarga.

Paulo Pereira tentou que a sua equipa controlasse, com posses largas, e, perante o nervosismo contrário, lograva o seu objectivo. E, quando, já nos cinco minutos finais, Gonçalo Meira se desenvencilhou de Marin e rematou para o 3-5, o que podia parecer uma miragem era cada vez mais real.

Marin perdera o duelo com Meira para o quinto do Barcelos, mas era dos que mais procurava mudar o rumo dos acontecimentos. E, a três minutos do fim, fez quase tudo sozinho. Recuperou na defensiva, arrancou pela direita e serviu com precisão ao segundo poste. Font – também com mérito próprio – encostou para o 4-5 que relançava o jogo.

Raul Marin foi dos mais inconformados dos leões, que estiveram em “tarde não”

Era o jogo do gato e do rato protagonizado pelo leão e o galo. E o galo foi fugindo, sofrendo algumas faltas… até à 20ª leonina, já no derradeiro minuto. Chamado novamente para tentar desfeitear Girão, “Tato” viu-lhe ser negada a oportunidade. Na primeira vez, Girão adiantou-se. Na segunda, a simulação de remate invalidou a tentativa.

No entanto, os verde-e-brancos já não conseguiriam evitar a derrota, a segunda no Pavilhão João Rocha (o único que lograra esse “feito” fora o Paço de Arcos). Curiosamente, Pedro Gil – de fora por precaução – assistiu às duas derrotas na bancada.

Ricardo Silva só sofreu um golo de bola corrida e foi determinante no triunfo da sua equipa

Com esta derrota, o Sporting deixa o Benfica isolado no topo da classificação e os leões são “apanhados” por Oliveirense e o próprio Óquei de Barcelos.

A próxima jornada será “partida” em virtude da participação das equipas portuguesas nas competições europeias, mas desde já com atenções viradas para a Catedral, em Barcelos, onde o Óquei recebe um Porto que está dois pontos atrás dos barcelenses.

I Divisão – 5ª jornada

• Oliveirense 5-3 Física

• Porto 4-3 Braga

• Benfica 6-2 Valongo

• Riba d’Ave 3-1 Os Tigres

• Paço de Arcos 3-5 Sanjoanense

• Turquel 2-2 Juventude de Viana

• Sporting 4-5 Óquei de Barcelos

Classificação

1º Benfica (15 pontos), 2ºs Oliveirense, Sporting e Óquei de Barcelos (12), 5º Porto (10), 6º Riba d’Ave (9), 7ºs Braga, Valongo e Turquel (7), 10º Os Tigres (6), 11º Sanjoanense (3), 12º Juventude de Viana (2), 13ºs Física e Paço de Arcos (0)

I Divisão – 6ª jornada

Sábado, 16 de Novembro

• Valongo vs Turquel • 18h30

• Física vs Paço de Arcos • 18h30

Quarta-feira, 20 de Novembro

• Braga vs Benfica • 21h

• Juventude de Viana vs Riba d’Ave • 21h30

• Os Tigres vs Oliveirense • 21h

• Sanjoanense vs Sporting • 21h

• Óquei de Barcelos vs Porto • 20h

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade