Editorial

Há 73 anos, Portugal despertava no topo do Mundo

May 23, 2020
Pedro Santos

“Bom dia, Portugal é campeão do Mundo”. Poderá ter sido assim que Portugal despertou a 23 de Maio, há 73 anos, pela voz dos locutores da rádio que então levavam a actualidade de lés-a-lés do país.

Em 1947, no primeiro campeonato do pós-Segunda Grande Guerra, e depois de uma inequívoca supremacia britânica em termos de conquistas, o simultâneo Campeonato do Mundo e da Europa teve lugar em Portugal, num Pavilhão dos Desportos (depois Pavilhão Carlos Lopes) cuja utilidade desportiva se perdeu com o passar dos anos.

Às ordens de José Prazeres, e perante bancadas repletas, os atletas Cipriano dos Santos, Emídio Pinto, Olivério Serpa, Sidónio Serpa, Correia dos Santos, Jesus Correia, Álvaro Lopes e António Manuel Soares tornaram-se heróis. Venceram a Suíça (5-2), França (7-1), Itália (3-2), Espanha (2-1) e a Bélgica (7-2). A 22 de Maio, era dia de folga, mas a vitória da Itália sobre a ainda campeã Inglaterra entregou matematicamente o título à selecção das quinas, confirmado a 23 de Maio com nova vitória, sobre os ingleses, por 3-0.

A inédita conquista no desporto português foi celebrada efusivamente, mas com o realizar de novas edições, e com novas conquistas, acabou por tornar-se quase banal Portugal ser campeão do Mundo de Hóquei em Patins. As conquistas perderam valor e mesmo as instituições que regem a modalidade deixam escapar sucessivas oportunidades para as valorizar e para catapultar um desporto que, no coração dos portugueses, só ficará na sombra do futebol das massas.

Em 2017, o HóqueiPT lançou uma petição para a instituição do dia 23 de Maio como o “Dia Nacional do Hóquei em Patins”, mas não vingou junto dos poderes políticos. Ainda. Não embandeiramos com um dia que não está oficialmente reconhecido, mas não queríamos deixar de assinalar mais uma vez o primeiro dia de Portugal como Campeão do Mundo, renovando a nossa promessa de intervenção crítica, que suscite debate, que acrescente. Mais gritos do que ecos.

Entretanto, o Hóquei em Patins perdeu mais uma oportunidade. A Federação de Patinagem de Portugal anunciou em comunicado público uma nova prova, a meio da temporada, ainda sem nome, valorizando mais a competição – sem “ganhar” nada com esse anúncio - do que o momento que pretenderia homenagear. Aos clubes desvendou em comunicado, no início desta semana, que seria a “Taça 1947”, celebrativa do primeiro Campeonato do Mundo e da Europa conquistado por Portugal. Ao público, o nome chegou, sem pompa, “en passant”, numa entrevista do presidente federativo ao diário A Bola. Menos do que uma nota de rodapé, para onde as conquistas na modalidade vão sendo relegadas…

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade