Notícia

TAD anula pena de interdição ao Benfica

Jul 10, 2020

Diz-se que a Justiça é cega e, no caso particular do Hóquei em Patins, claramente não tem cão-guia, tanto tempo que leva a encontrar o seu destino. Com sucessivos volte-faces, o Benfica viu agora o Tribunal Arbitral do Desporto dar-lhe (novamente) razão sobre o castigo de interdição de dois jogos, aplicado pelo Conselho de Disciplina da FPP no seguimento dos incidentes no dérbi com o Sporting em Janeiro... de 2019.

Em jogo a contar para a 14ª jornada do Campeonato Nacional, a 27 de Janeiro de 2019 (há cerca de ano e meio...), o Benfica recebeu o Sporting num dos primeiros jogos de Alejandro Dominguez à frente dos encarnados.

Os leões venceriam por 1-4, num jogo que ficou marcado pela incapacidade das águias para marcarem em superioridade numérica quando o Sporting jogou largos minutos na segunda parte com menos um jogador em pista por sucessivos cartões azuis. E ficaria marcado também por incidentes entre o banco leonino e os adeptos do Benfica, que levaram à interrupção da partida quando os leões se "refugiaram" em pista.

Azuis sucessivos obrigaram o Sporting a jogar largos minutos em inferioridade numérica... mas venceria o jogo

Os encarnados foram castigados com duas partidas de suspensão, recorreram para o TAD e foi-lhes dada razão, mas a FPP recorreu para o Tribunal Administrativo e, em final de Novembro último - já na nova temporada -, o castigo seria confirmado.

Sem tempo para "movimentações legais", o Benfica cumpriu um jogo de interdição - recebeu e venceu o Turquel em Alverca por 3-2 - mas conseguiu, com novo recurso ao TAD, a suspensão do castigo e receber a Oliveirense (venceria por 8-3) na partida seguinte como visitado.

Agora, já com a temporada dada por terminada, o TAD dá provimento parcial ao recurso e, em consequência, declara anulada a pena de interdição do Pavilhão Fidelidade, mantendo-se "apenas" a sanção pecuniária aos encarnados de 1160 euros.

A bola volta ao lado da Federação de Patinagem de Portugal, que desde já tem o ónus do pagamento de cerca de 3700 euros relativos às custas do procedimento cautelar. Até lá, o Benfica garante que o primeiro jogo como visitado na próxima edição do Nacional da I Divisão pode ser realizado na Luz.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade