Notícia

Óquei de Barcelos sem receio de assumir candidatura

Aug 12, 2020

O Óquei de Barcelos apresentou esta segunda-feira à comunicação social a equipa com que se prepara para atacar a nova temporada.

Com uma pompa de fazer inveja aos quatro "grandes" - com quem pretende ombrear -, o Óquei de Barcelos demonstrou ambição numa apresentação em que ao treinador Rui Neto e ao capitão Luís Querido, se juntaram o presidente Paulo Mendanha (presidente) e o vereador do Desporto Francisco Rocha.

Depois de uma temporada em que terminaram a primeira volta na liderança do Campeonato Nacional, os barcelenses viram partir nada menos que seis jogadores - Ricardo Silva (Valongo), Gonçalo Meira (Braga), Ezequiel Mena (Porto), "Tato" Ferruccio (Oliveirense) e Alvarinho e Gonçalo Nunes (Sporting) - e o timoneiro Paulo Pereira, para a Oliveirense.

Agora, com Rui Neto ao leme, há oito caras novas e vontade de tornar mais pequeno o fosso para Benfica, Sporting, Oliveirense e Porto. Contra um discurso contido, não há em Barcelos receio de assumir a luta pela conquista do título, que o Óquei conquistou em 1992/93, 1995/96 e 2000/01.

O técnico Rui Neto chega do Braga depois de duas temporadas de rasgados elogios, e consigo chegam o guarda-redes "Conti" Acevedo e “Joca”, este num regresso a uma casa que, confessa, nunca deixou de ser sua.

Outro velho conhecido chega de Itália. Reinaldo Ventura já fez história no Óquei de Barcelos e regressa, depois de três anos em terras transalpinas, para acrescentar mais um capítulo à sua ímpar carreira. Também de Itália chega o argentino Dario Gimenez, “mago” das bolas paradas.

Tomás Pereira (ex-Riba d'Ave) terá nos ombros a responsabilidade de dar continuidade às alegrias que o pai, Paulo Pereira, deu aos barcelenses, ao passo que outro jovem, Rafa, procura dar o "salto" depois de duas boas temporadas em Paço de Arcos.

À apresentação faltaram os argentinos Bautista Acevedo, irmão de Conti e também guarda-redes, e Nicolás Gutierrez, ambos à espera que a pandemia permita voar do país das pampas rumo ao Velho Continente e a um grupo em que "Joka", Zé Pedro e Luís Querido são os porta-estandarte de uma mística barcelense que Miguel Rocha, que vai para a sua segunda época em Barcelos, já também encarna.

Ao protocolo da cerimónia e a um treino (puxadinho), vozes do exterior do Municipal deram razão aos receios da ausência de público quando os jogos regressarem, que penalizará de sobremaneira o Óquei de Barcelos. O sexto jogador, a sempre fiel Kaos Barcelense, brindou a equipa com cânticos de incentivo, marcando presença mesmo quando a "presença" tem de ser assumida de outra forma.

O Óquei de Barcelos inicia o Campeonato a 26 de Setembro ora de portas, mas ainda não sabe exactamente onde… O primeiro adversário será o terceiro classificado da liguilha de acesso à I Divisão, que se realiza em Setembro. Segue-se o primeiro jogo em casa, com a recepção ao Turquel, e a deslocação a Braga, a 10 de Outubro, para um sempre apetecível dérbi que, desta vez, marca o regresso de Rui Neto ao Parque das Goladas.

Na Europa, o Óquei de Barcelos participará na Taça WSE, sucessora da Taça CERS que os barcelenses conquistaram em 1995 e, mais recentemente e de forma consecutiva, em 2016 e 2017.

Óquei Clube de Barcelos 2020/21

Guarda-redes

[#1] Constantino Acevedo (“Conti”, ex-Braga)

[#22] Bautista Acevedo (ex-Concepcion, Argentina)

[#92] Bruno Ferreira (“Joka”)

Jogadores de pista

[#4] Zé Pedro

[#5] Tomás Pereira (ex-Riba d’Ave)

[#6] Dário Gimenez (ex-Valdagno, Itália)

[#7] João Guimarães (“Joca”, ex-Braga)

[#12] Nicolás Gutiérrez (ex-Union Estudiantil, Argentina)

[#19] Luís Querido

[#44] Miguel Rocha

[#47] Rafa Lourenço (ex-Paço de Arcos)

[#66] Reinaldo Ventura (ex-Trissino, Itália)

Treinador

Rui Neto (ex-Braga)

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade