Notícia

Xavi e o regresso a Saint-Omer

Aug 19, 2020

Foto de capa: SCRA Saint-Omer

Xavier Lourenço já treina em Saint-Omer, onde regressa depois de duas temporadas em Portugal.

O regresso em 2018 a solo luso - primeiramente para Os Tigres e na temporada passada no "seu" Turquel - parecia definitivo após uma "aventura" no estrangeiro que teve paragens na OK Liga (Alcoy, 2016/17) e N1 Elite (Saint-Omer, 2017/18). Mas Xavi volta a "embarcar" rumo a França.

"É um clube onde já estive e que conheço, e é um dos principais clubes em França. Tem uma estrutura forte e com grandes objectivos nas competições do seu país e o facto de poder jogar a Liga Europeia também teve peso na decisão", conta ao HóqueiPT o jogador que completa 26 anos em Novembro.

Em 2017/18, pelo Saint-Omer, Xavier Lourenço jogou a Taça CERS, caindo nos oitavos-de-inal... em Turquel, onde jogara desde a iniciação até 2016, quando emigrou. Apesar de não ter tido o sucesso desejado na Europa, o Saint-Omer protagonizou uma boa temporada. "A minha primeira passagem foi muito positiva, quer pela boa prestação do clube em todas as competições, quer pela importância e confiança que pude ter e ganhar na equipa", recorda. "O que mais me marcou nessa temporada foi termos ganho a Taça de França, mas também o ambiente que se vive em Saint-Omer pelo Hóquei em Patins", lembra, tendo a cidade recebido a Taça Latina em 2018.

Na altura, o Saint-Omer terminou como vice-campeão e garantiu um lugar na Liga Europeia, que Xavi, de regresso a Portugal, não chegaria a jogar. Agora, fazer uma boa figura na principal prova europeia de clubes é um dos objectivos do emblema gaulês. "Antes de mais, espero sinceramente que aconteça a Liga Europeia", suspira o jogador português em tempos em que a pandemia ameaça tudo. "Pelo desafio e sem facilitar, gostava de jogar contra o Sporting e de voltar a jogar contra o Barcelona [que defrontou na OK Liga]", aponta.

Nesta sua incursão pelo Hóquei em Patins gaulês e pelo Saint-Omer, Xavi contará com dois velhos conhecidos: Pedro Chambel e João Silva ("Janeka"). "Considero o Pedro o melhor guarda-redes do Campeonato e o João uma mais valia para o clube no ataque e no seu jogo imprevisível", analisa. Pedro Chambel vai para a sua quinta temporada ao serviço do Saint-Omer e Janeka, conterrâneo de Xavier Lourenço, chega ao agora campeão francês depois de uma temporada no "rival" La Vendéenne. "Estando a jogar no estrangeiro, torna-se sempre mais fácil quando temos jogadores que conhecemos e admiramos junto de nós", sublinha Xavi.

A partida de Xavier Lourenço é inesperada, e acontece quando chegam muitos estrangeiros - em particular da Argentina - aos campeonatos portugueses. "O que está a acontecer é algo que não consigo compreender. O facto de sobrevalorizarem e arriscarem na contratação de jovens jogadores estrangeiros acaba por retirar a oportunidade a muitos jovens portugueses com potencial", observa. "Seria de esperar contratações deste tipo nas grandes equipas nacionais - como o Sporting, Benfica, Oliveirense, Barcelos ou Porto - no entanto, está a estender-se para equipas de outros escalões, o que se torna preocupante. O Campeonato Nacional fica sem espaço para muitos jovens jogadores que querem vingar e crescer, e que, a meu ver, deviam ser a principal aposta", remata.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade