Notícia

'Público' em Viana pode valer suspensão de 10 jogos a Nuno Lopes

Dec 31, 2020

Nuno Lopes está sob alçada disciplinar da federação portuguesa, no seguimento das declarações no final do encontro que opôs o Tomar à Juventude de Viana para a I Divisão. Em causa está uma suspensão de 5 a 10 jogos. #Disciplina #PrimeiraDivisão

A Federação de Patinagem de Portugal publicou esta quarta-feira a abertura de um processo disciplinar – da reunião de 2 de Dezembro – a Nuno Lopes, treinador do Tomar. A acusação foi remetida no passado dia 28, em jeito de prenda de Natal e de aniversário do técnico nabantino, que completou 49 anos no dia 26.

O processo refere-se à partida da 11ª jornada entre Juventude de Viana e Tomar, que terminou empatado a três e com algumas “considerações” de Nuno Lopes à Viana TV, que transmitiu o encontro.

Apesar de algumas críticas tecidas à actuação da dupla de arbitragem – que inclusivamente motivou também um comunicado assinado pelo presidente tomarense Ivo Querido Santos –, em causa estarão as declarações sobre a “presença de público” e respectivos regulamentos.

“Permita-me dizer que foi o primeiro jogo com público. Acho que foi importante o regresso do publico aos pavilhões. É lógico que não estava cheio. Aqui se prova a influência do público nos jogos. E hoje foi o caso disto”, ironizou no início das suas declarações.

Regressando ao tema do “público” presente, Nuno Lopes apelaria à regulamentação. “Regulamentem esta história do público, porque se há publico, eu também quero público em Tomar. Há muita gente a querer ver o jogo em Tomar. É lógico que não estava casa cheia, mas temos de regulamentar isto, porque isto está a chegar a um ponto que...”, desabafou. “Fazer de conta que tudo não existe, fazer de conta que tudo está bem e que o tempo vai por tudo no sítio. E se não fizermos barulho, isto corre tudo as mil maravilhas. Isto dói no corpo da nossa equipa. Se não há regulamentos para cumprir, vale tudo. Hoje o público interferiu no jogo”, reforçou

Após o jogo em Viana, o Tomar agilizou a presença de mais pessoas do que o habitual na recepção ao Sporting, merecendo o reparo de Paulo Freitas.

Ainda que em reuniões com os clubes – já em Dezembro –, a própria federação tenha também apontado aos clubes o problema da entrada indevida de pessoas nas partidas, as declarações de Nuno Lopes terão sido vistas pelo Conselho de Disciplina da Federação de Patinagem de Portugal como uma “ofensa” e em causa está agora uma eventual suspensão de 5 a 10 jogos do técnico, estando do lado de Nuno Lopes a resposta à acusação.

Nuno Lopes não se tem coibido nas suas críticas e ainda antes da época – a Liguilha – arrancar visou a federação em entrevista ao diário desportivo A Bola. Já na Taça 1947, depois de críticas à arbitragem por parte da Oliveirense na primeira partida das meias-finais, a segunda meia-final, entre Tomar e Sporting, seria a única das sete partidas da novel prova sem declarações dos treinadores, impedindo quaisquer “considerações” de Nuno Lopes sobre um jogo em que o Tomar até teria alguns motivos para se indignar. Terá sido poupado um outro processo ao treinador…

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade