Notícia

Um empate «justo»

Mar 02, 2021

O empate entre Benfica e Oliveirense não satisfez totalmente nenhum dos técnicos, mas Alejandro Dominguez e Paulo Pereira reconheceram justiça ao resultado. #Reacções #Video #PrimeiraDivisão

Benfica (3º) e Oliveirense (4º) empataram a dois golos este domingo e seguem separados por dois pontos na classificação. No entanto, a equipa de Oliveira de Azeméis tem menos dois jogos realizados do que as águias e Paulo Pereira valorizou o ponto conquistado.

"Queríamos mais, mas vir aqui empatar não é para todos", afirmou o técnico oliveirense, apontando justiça ao desfecho. "Muito equilibrado. Foram duas equipas a procurarem ganhar. Tivemos oportunidades para passar para a frente e o Benfica algumas oportunidades quando esteve a ganhar por 2-1 para dilatar. No computo geral, o empate é o resultado mais justo", vincou.

A Oliveirense tem dois jogos em atraso em relação ao Benfica (3º) e Porto (1º) e três para o Óquei de Barcelos (2º, ex aequo com os dragões). "São semanas complicadas com jogos sábados e quarta, mas estamos preparados para isso", garantiu, sublinhando que a equipa mostra bons índices físicos, como demonstrado neste jogo em que foram plenamente "capazes" e "solidários".

Alejandro Dominguez reconheceu que o seu plano inicial para o jogo não correu como desejado. "O plano era diferente, era subir muito para que tivessem posses muito curtas e não pudessem trabalhar. Eles saíram muito bem da pressão e tivemos de readaptarmo-nos e jogar outro jogo", admitiu, apontando no entanto méritos ao trabalho defensivo realizado.

"Ao nosso jogo ofensivo faltou-lhe fluidez no passe", indicou, ainda que vendo outras virtudes. "A equipa esteve com vontade, muito solidária", referiu, apesar da pecha na finalização. "Com as ocasiões que criámos em transições e em quatro para quatro, muito claras, faltou-nos um bocadinho de tranquilidade para as concretizar", lamentou.

O empate adequa-se. "É super-justo. Eles conseguiram fazer o hóquei que têm pensado, a favorecer as características individuais de cada um. Tentámos tirar-lhes a iniciativa, algumas vezes conseguimos, outras não. É o resultado entre duas equipas que se conhecem bem", afirmou. "Estou descontente porque o resultado não nos serve, mas satisfeito com o esforço de todos", resumiu.

Já olhando para a Liga Europeia, cuja primeira fase se realiza em Abril, Alejandro assume que está preparado para a "guerra", mas que falta regularidade no processo ofensivo. "No modelo defensivo estamos bem, preparados para ganhar. Mas falta-nos trabalho para sermos muito competentes todos os dias. Às vezes somos, às vezes não", vincou.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade