Notícia

Os da longa espera

Apr 07, 2021

O grupo A da fase preliminar da Liga Europeia tem o condão de reunir as três equipas em prova que - tirando a Oliveirense, que nunca venceu a prova - há mais tempo não saboreiam a conquista. #LigaEuropeia

Noia (1989) e Porto (1990) e Óquei de Barcelos (1991) venceram a então Taça dos Campeões Europeus em anos consecutivos, mas não mais voltaram a vencer. Agora, Porto e Óquei de Barcelos chegam ao Luso como os dois primeiros da I Divisão. O Noia, oitavo na OK Liga, é o "underdog" da competição.

Porto

O Porto de Guillem Cabestany não começou a época da melhor maneira. Sem Carlo Di Benedetto, lesionado na pré-temporada, perdeu na Luz (7-3) na ronda inaugural e voltaria a perder ao sexto jogo, no João Rocha (4-2), depois de também não ter conseguido vencer em Barcelos (4-4).

À derrota frente ao Sporting seguiram-se três vitórias, mas o empate em Tomar (4-4) estancou a recuperação. Depois, regressou Carlo Di Benedetto. A dinâmica da equipa mudou, com soluções diferentes no ataque. Ficou a ganhar o Porto e Gonçalo Alves, que se libertou para inúmeros golos. Os dragões registaram nove vitórias consecutivas. Empataram na recepção ao Sporting (2-2), mas voltaram à senda vitoriosa, com mais cinco triunfos, para uma série de 19 jogos sem perder. E garantiram, na penúltima jornada da fase regular, o primeiro lugar final e a "vantagem casa" para o decisivo play-off.

Melhor ataque da I Divisão, com perto de 5.5 golos por jogo, o Porto falhou a participação na Taça 1947 devido a um surto de CoViD-19 no início de Dezembro. Seria uma competição bem à medida de Cabestany, que venceu, em modelos semelhantes, duas Taças do Rei (pelo Vendrell) e uma Taça de Itália (pelo Breganze).

O Porto venceu a principal prova europeia de clubes em duas ocasiões, em 1986 e 1990. Depois regressou à final em nada menos que 10 ocasiões, mas não lograria voltar a vencer. Nessas partidas decisivas, seria batido seis vezes pelo Barcelona, numa autêntica e ímpar espécie de maldição.

Noia

O Noia é um autêntico "underdog" nesta Liga Europeia. Presente na prova pela terceira vez consecutiva depois de terminar entre os quatro primeiros da OK Liga, a equipa de Sant Sadurní tem realizado uma prova interna muito abaixo das expectativas.

Actualmente no oitavo lugar, o Noia até tem o sexto lugar - em virtude de dois jogos em atraso - ao seu alcance. Mas o registo de 10 vitórias e outras tantas derrotas e três empates, com um gritante equilíbrio também entre golos marcados (84) e golos sofridos (83), não era de todo esperado. O melhor que o Noia conseguiu foi uma série de três vitórias consecutivas, já neste mês de Março, e vai preparando já a próxima época.

Oficial é já a saída do técnico Ferran López para o regresso de Pere Varias (Calafell), apenas uma temporada depois dos técnicos terem protagonizado "transferências" no sentido inverso. Também já foi oficializada a renovação com os jovens Roc Pujadas, Pol Manrubia e Adrià Ballart e com o experiente Xavi Costa, melhor marcador da equipa com 29 golos.

Com um título europeu em 1989, frente ao Sporting, falharia o "bis" no ano seguinte, caindo na final frente ao Porto. Sem a exigência dos orçamentos dos adversários, procurará surpreender no Luso.

Óquei de Barcelos

No inicio da temporada, o novo treinador Rui Neto assumiu, sem pudores, a candidatura do Óquei de Barcelos ao título, prometendo intrometer-se nas aspirações dos "milionários" planteis de Porto, Sporting, Benfica ou Oliveirense. E, para já, só o Porto fez melhor que os barcelenses.

A revolucionada equipa de Barcelos - mantendo apenas quatro jogadores da temporada anterior - chegou a lograr 11 jogos sem perder (com 10 vitórias e um empate entre 7 de Novembro e 30 de Janeiro) e é segunda na classificação, apenas superada pelo Porto. E tem também o segundo melhor ataque, com 131 golos apontados, apenas menos seis que os dragões. Nesta recta final da fase regular da I Divisão, o Óquei soma cinco vitórias consecutivas, defendendo o seu segundo lugar na derradeira jornada, na Luz.

O auto-intitulado "Maior de Portugal" conta apenas um título na Liga Europeia, em 1991. Regressaria duas vezes à final, perdendo para Igualada e Barcelona. Desde 2008/09 que não disputava a prova máxima de clubes e a participação este ano acontece por convite, inicialmente para colmatar a ausência das equipas italianas. Caberá agora ao Óquei de Barcelos mostrar que está no palco que merece.

Jogos

• Porto vs. Noia • 9.Abr • 14h

• Noia vs. Óquei de Barcelos • 10.Abr • 12h

• Óquei de Barcelos vs. Porto • 11.Abr • 14h

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade