Notícia

Fase preliminar arranca no Luso

Apr 09, 2021

Arranca esta sexta-feira a primeira fase da mais peculiar edição da Liga Europeia, reduzida a nove participantes de dois países. O novo campeão da mais importante prova europeia só terá de jogar quatro partidas. #LigaEuropeia

Interrompida na pretérita temporada com uma jornada por cumprir na fase de grupos, a Liga Europeia regressa mais de um ano depois num modelo de recurso. Ou o modelo possível.

A edição deste ano teve problemas desde as primeiras inscrições. Sem a participação das equipas italianas, contra o modelo tradicional que apontavam ser impossível de cumprir (e o tempo dar-lhes-ia razão), o prazo de inscrições foi alargado e foi permitido a outras equipas passarem da Taça WSE para a Liga Europeia. O Óquei de Barcelos aproveitou para regressar ao palco maior do Hóquei em Patins.

Em Outubro, quando os jogos estavam para arrancar, a vaga e as restrições que assolaram a Europa deram razão aos italianos e nenhuma partida foi realizada.

No arranque de 2021, o comité técnico europeu (WSE-RH) questionou os participantes sobre a vontade e possibilidade de ainda se disputar a prova. Apenas nove responderam afirmativamente. Cinco de Portugal e quatro de Espanha. No fundo, as equipas inscritas cujos campeonatos internos não tinha sido suspensos. Mas também as mais fortes, desportivamente e financeiramente.

Com a ameaça da pandemia no ar, foi definido um modelo que só obriga a dois fins-de-semana de competição e de "ajuntamento". Numa primeira fase, as nove equipas estão divididas em três grupos e disputam entre si o primeiro lugar no grupo, que vale o apuramento para a Final Four. O quarto apurado será o melhor segundo classificado entre os três grupos. A Final Four obedece ao modelo tradicional, com "meias" e final.

Mas, até ao Luso, muita água correria. Pouco flexível nas suas condições, a WSE-RH não teve propostas para a organização da primeira fase. Os clubes uniram-se, sob a égide da Associação Europeia de Clubes (EHCA), e chegaram a uma proposta consensual, enfim aceite. Já uma proposta para que o quarto apurado fosse encontrado numa fase intermédia, entre os segundos de cada grupo, acabaria por ser recusada, agudizando a ruptura entre a associação, que promete uma "superliga" para a nova temporada, e o organismo europeu.

Desta sexta-feira e até domingo, Barcelona, Liceo, Noia e Reus (Espanha) e Benfica, Oliveirense, Óquei de Barcelos, Porto e Sporting (Portugal) vão enfim a jogo, numa discussão que será ibérica. Inclusivamente, e pelas restrições de viagens, a nível de arbitragem, com a chamada dos portugueses Joaquim Pinto, Luis Peixoto, Miguel Guilherme e Rui Torres e dos espanhóis Daniel Villar, Jonatan Sanchez, Miguel Díaz e Rubén Fernandez.

A competição arranca com um embate entre Porto e Noia (antecipado das 14h iniciais para as 13h), seguindo-se o duelo entre Sporting e Reus. Os leões defendem o título conquistado em 2019. O primeiro dia fecha com o grande Clássico do país vizinho, entre Barcelona e Liceo.

Jogos

Sexta-feira, 9 de Abril

• Grupo A • Porto vs. Noia • 13h

• Grupo B • Sporting vs. Reus • 17h

• Grupo C • Barcelona vs. Liceo • 20h

Sábado, 10 de Abril

• Grupo A • Noia vs. Óquei de Barcelos • 12h

• Grupo B • Reus vs. Oliveirense  • 15h

• Grupo C • Liceo vs. Benfica • 18h

Domingo, 11 de Abril

• Grupo A • Óquei de Barcelos vs. Porto • 14h

• Grupo B • Oliveirense vs. Sporting • 17h

• Grupo C • Benfica vs. Barcelona • 20h

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade