Notícia

Lleida. Sarzana. Repeat.

Jun 20, 2021

Tal como na Liga Europeia, há "deja vu" na final da Taça WSE, com Lleida e Sarzana a repetirem o embate de 2019. É a primeira final que se repete nas 40 edições da prova. #TaçaWSE

Lleida e Sarzana vão reeditar a final de 2019 da Taça WSE na primeira vez que uma final da mais "democrática" prova europeia se repete.

A Taça WSE, antes Taça CERS, está na sua 40ª edição e nenhuma equipa a venceu em mais de três ocasiões. O Lleida tem oportunidade de igualar o recorde de Novara (1985, 1992 e 1993), Liceo (1982, 1999 e 2010) e Óquei de Barcelos (1995, 2016 e 2017), somando o terceiro título (consecutivo) depois das vitórias em 2018 e 2019, em duas Final Four disputadas em Lleida.

O Sarzana volta a entrar em pista em busca de um título inédito para o clube, mas que já foi para equipas italianas em 10 ocasiões, contra 17 que o vencedor foi espanhol e 12 que foi português, numa distribuição bem mais equitativa que nas demais competições europeias.

Para carimbarem o regresso à final dois anos depois, Lleida e Sarzana venceram, respectivamente, Girona e Caldes.

Hat-trick de Joan Galbas em nova reviravolta

Os italianos entraram primeiro em pista e voltaram a surpreender. Num jogo com arbitragem de João Duarte e Paulo Almeida, Alexandre Acsensi abriu o marcador sobre o apito final da primeira parte, num remate  da linha divisória que sofreu um desvio a trair (e ainda teve Sergi Miras a atrapalhar) o guardião Simone Corona.

Mas, tal como nos "quartos", a equipa de Alessandro Bertolucci virou o marcador. O livre directo falhado pelo chileno Alvaro Osório (a deixar fugir a bola) não parecia bom prenúncio, mas, aos seis minutos, Joan Galbas "traiu" as suas origens catalãs e fez a igualdade, num belo lance individual.

Ao Caldes, como na véspera, faltava velocidade e intensidade, e o rigoroso bloco italiano levava consecutivamente a melhor. Ferran Rosa não conseguiria bater Corona nas 10ª e 15ª faltas e os nervos adensavam-se. Mas os de Galbas pareceram de aço.

Já nos derradeiros cinco minutos, o catalão foi chamado ao livre directo da 10ª falta e a outro após azul a Miras e transformou os dois, colocando um 3-1 no marcador que obrigava o Caldes a abrir. E Francesco Rossi aproveitou para selar o triunfo italiano em 4-1 com uma picadinha de belo efeito.

Campeão avança

Na segunda meia-final, com Ricardo Leão a apitar com o italiano Massimiliano Carmazzi, o bicampeão Lleida - que "folgou" nos quartos-de-final - impôs-se ao Girona.

O francês Bruno Di Benedetto (irmão do portista Carlo) inaugurou o marcador para o Lleida, mas Alex Grau (irmão do ex-portista Carles) igualou para o 1-1 com que se chegaria ao intervalo.

Na etapa complementar, o capitão Andreu Tomàs desequilibrou aos 12 minutos num inesperado remate de meia distância a surpreender Llaverola e só as bolas paradas desperdiçadas foram adiando um triunfo do Lleida que parecia próximo num jogo com muita contestação à arbitragem dos "gironinos". Com Ramon Benito a arriscar jogar sem guarda-redes (apesar de ter menos um jogador por azul a Alex Joseph), o Lleida recuperou a bola e Oriol Vives "matou" o jogo com a baliza deserta.

A final, em Andorra-A-Velha, onde decorre esta Final Eight a sete, está agendada para as 12h30 locais, 11h30 em Portugal Continental.

Quartos-de-final

• Calafell 2-4 Girona

Caldes 6-2 Riba d'Ave

Sarzana 3-2 Igualada

(Lleida isento)

Meias-finais

Lleida 3-1 Girona

Sarzana 4-1 Caldes

Final

• Lleida vs. Sarzana • 20.Jun • 12h30

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade