Notícia

Valdagno quer acabar o que ficou a meio

Jul 15, 2021

O Valdagno liderava a Serie A1 com 12 jogos da fase regular cumpridos, mas caiu numa sequência de maus resultados que comprometeram a época. Agora volta a procurar bater os favoritos e contará com Davide Motaran para indicar o caminho. #SerieA1

A última temporada teve um inicio de sonho para o Valdagno. Com apenas um empate e uma derrota e 10 vitórias, seis delas consecutivas, liderava a Serie A1 já com o calendário em 2021, contrariando o favoritismo que era apontado a Forte e Lodi ou mesmo aos "investidores" Trissino e Bassano.

Mas o dia 13 de Janeiro, do 13º jogo na prova (em Forte dei Marmi), marcaria uma viragem dramática. O Valdagno estaria nove jogos sem vencer, contando cinco derrotas, e a ida ao play-off ficaria em risco. De facto, o 7º lugar final não valeria mais do que a presença na pré-eliminatória que em Itália antecede os quartos-de-final, e então seria a CoViD-19 a comprometer o que faltava jogar.

Sem jogadores, o Valdagno teve uma falta de comparência que inicialmente o afastava da prova. Depois, traduziu-se em "apenas" uma derrota por 0-10 e a possibilidade de jogar uma segunda mão, mas as ausências (e a desvantagem) não permitiriam ir mais além.

Nova época

Fechada a temporada, é tempo de olhar para uma nova oportunidade de surpreender e de consolidar o bom trabalho feito. O argentino Diego Mir, no comando desde a temporada que agora termina, continuará ao leme.

Saem Andrea Brendolin para o Montebello, André Centeno, que regressa a Portugal e ao Óquei de Barcelos, e o argentino Mattias Sillero, que teve um temporada ingrata em termos de lesões, mas o Valdagno garantiu três jogadores importantes.

Da OK Liga chegam o argentino Fabrizio Ciocale e o catalão Marc Gonzalez. Ciocale, de 22 anos, que representou o Braga até regressar ao Liceo em Dezembro, não se impôs no grupo de Juan Copa e, tal como há um ano, "emigra" para ganhar minutos. González, de 20, chega cedido pelo Barcelona depois de ter sido uma das revelações do campeonato espanhol, apontando 32 golos que lhe valeram um honroso 8º lugar na lista de melhores marcadores apesar do seu Lloret não ter evitado a despromoção.

O Valdagno conquistou por três vezes a Serie A1, em 2010, 2012 e 2013.

No Valdagno continuarão os guarda-redes Bruno Sgaria e Filippo Fongaro e os jogadores de pista Davide Piroli, Gaston de Oro, Giovanni Clodelli, Mattia Cocco e o jovem Manu Mir que, com 18 anos completados recentemente, já soma muitos minutos na Serie A1. E a estes soma-se o regresso de um histórico.

Davide Motarán, um dos campeões europeus de 2014 e capitão do Forte, deixa os vice-campeões italianos depois de oito temporadas em que conquistou quatro "scudettos" para regressar ao Valdagno, onde esteve entre 2007 e 2010.

Ao serviço dos "valdagnese", Motaran seria um dos heróis do primeiro "scudetto" da "sociedade", em 2010, e mostraria apetência para entrar na História. Esteve na conquista do primeiro "scudetto" do Viareggio, em 2011, e no primeiro do Forte, em 2014, vencendo o título na sua primeira temporada em ambas as equipas.

Para que não se julgue Motaran pelos seus 36 anos, cabe recordar que, na época finda, o defensor que faz da meia distância a sua principal arma, assinou 13 golos no play-off (apenas aquém de Ambrosio e Jordi Mendez) e 19 na fase regular, muitos deles importantes nos pontos somados e na chegada do Forte à final.

Salvo alguma oportunidade de última hora no sempre mutável mercado, o plantel está fechado.

O sonho de Nicolía

Entretanto, esta quarta-feira, uma publicação nas redes sociais fez tremer - no bom sentido - Valdagno. Uma foto de dois dirigentes com o argentino Carlos Nicolia fez despoletar rumores (para alguns, certezas) do regresso do "bom filho", um herói para os "tiffosi" locais.

Seria certamente "um regresso bem-vindo", como legendaram a foto, e Nicolía nunca escondeu o seu amor por Valdagno, onde esteve entre 2007 e 2014, conquistando - por exemplo - os três "scudettos" do emblema da região de Veneto. Mas, para já, o futuro do argentino passa mesmo por Portugal e pelo Benfica.

Valdagno 2021/22

Guarda-redes: Bruno Sgaria e Filippo Fongaro

Jogadores de pista: Davide Motaran (ex-Forte), Davide Piroli, Fabricio Ciocale (ex-Liceo), Gaston De Oro, Giovanni Clodelli, Manu Mir, Marc Gonzalez (ex-Lloret) e Mattia Cocco

Treinador: Diego Mir

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade