Notícia

Um 'novo ciclo', apontado à 'hegemonia europeia'

Aug 16, 2021

O Benfica oficializou Nuno Resende para um "novo ciclo" a cinco anos que começa com um corte com o passado. Na apresentação do novo técnico, o nome do cessante não é referido e a demora no anúncio é imputada ao Trissino. #Mercado #PrimeiraDivisão

Custou, mas foi. Nuno Resende foi apresentado como novo treinador do Benfica esta sexta-feira, como timoneiro para um "novo ciclo" a cinco anos que visa a "hegemonia europeia".

Da rescisão e saída de Alejandro Dominguez ainda nada foi oficializado. O técnico argentino era visto como o pilar do "ciclo" que se preparava e, no "estado de graça" potenciado por duas vitórias claras frente a Liceo (7-2) e Barcelona (6-2) na primeira fase da Liga Europeia, foi alvo de uma calorosa declaração pública nas redes sociais de Fernando Tavares. Na altura, o vice-presidente do Benfica revelava-se "orgulhoso" num "treinador que jogou com método". "A vitória do Alejandro é a vitória do trabalho, do rigor, do modelo defensivo agressivo e de uma rotação de jogadores que só é possível porque acredita no seu trabalho o no desenvolvimento dos jovens jogadores. É a vitória contra os hoqueiros que tanto o criticaram", escrevia então o vice-presidente para as modalidades dos encarnados.

Depois veio a queda nas grandes penalidades nas meias-finais da prova europeia e o afastamento nas meias-finais do Campeonato Nacional. E um defeso que tudo mudou. Agora, nem houve qualquer referência a Alejandro Dominguez ou ao adjunto Frederico Mascarenhas.

Outro "novo ciclo"

Na apresentação de Alejandro Dominguez, nos primeiros dias de 2019, Domingos Almeida Lima, o então vice para as modalidades dos encarnados, já falava de um novo ciclo, mas em forma de desejo. "Que 2019 seja o ano de abertura de um novo ciclo", ambicionava. Mas, dois anos e meio depois - com uma pandemia pelo meio e um pecúlio de "apenas" uma Taça 1947 - é altura de "reset".

O projecto - ou o ciclo - recomeça.

Fernando Tavares anunciou um plano "a cinco anos", que passa por "consolidar o projeto do Benfica". "Estamos nessa fase de consolidação, depois ajustar a equipa e finalmente liderar", referiria, apontando a um culminar na "hegemonia europeia".

Para já, Pol Manrubia (ex-Noia), Poka (ex-Porto) e Pablo Alvarez (ex-Barcelona) são reforços, para um plantel alargado com a integração dos jovens Rodrigo Vieira (guarda-redes) e Zé Miranda, recém-coroados campeões nacionais da III Divisão pela equipa "B" das águias.

Nuno Resende

O escolhido para ser a face do anunciado novo ciclo é Nuno Resende. Na ruptura com o passado, Fernando Tavares justificou a escolha de Nuno Resende com a necessidade de um técnico com "profundo conhecimento do Hóquei em Patins português", dado que tal será "determinante para conquistar vitórias e títulos".

O técnico de 46 anos fez todo o seu percurso de jogador sénior em Portugal e na I Divisão, representando Académica, Oliveirense, Riba d'Ave, Porto Santo e Óquei de Barcelos. Jogador raçudo, "chato" para os adversários, sem nunca virar a cara à luta, Nuno Resende regressou à Oliveirense em 2008 e, em Novembro de 2011, foi a solução - como jogador-treinador - aquando da saída de José Querido do comando técnico.

Nessa primeira época como treinador, conduziu a Oliveirense à presença na decisão da Liga Europeia (numa Final Eight em Lodi, caindo nos "quartos" frente ao Barcelona) e à conquista da Taça de Portugal, na sua São João da Madeira natal.

Tardando a afirmação da Oliveirense, demitir-se-ia em Abril de 2014. Regressou aos palcos mediáticos em 2015, para orientar os Sub-20 de Angola no Campeonato do Mundo do escalão que decorreu na Catalunha. Logo de seguida, rumava a Itália e ao Matera, que levaria à Final Four da Taça CERS. Saltou em 2016 para o mais estável projecto do Lodi e conquistou dois "scudettos", o segundo com Gonçalo Pinto - que agora reencontrará - na equipa.

Tendo posto fim a um jejum dos "gialorossi" de 37 anos, tinha o total carinho dos adeptos locais, e a sua saída em 2020 para o Trissino seria vista como uma espécie de traição. Estranhamente, ainda mais do que a saída do capitão Domenico Illuzzi neste defeso para o Forte...

Construiu um novo Trissino, no que poderia ser visto como um "ano zero" da equipa, e era aposta para a consolidação. Mas a proposta do Benfica, a aliar o desafio desportivo ao regresso a Portugal, falou mais alto.

Nuno Resende terá como adjunto Eduardo Marques, "Ginja", que no passado foi jogador do Benfica. Na época finda, Ginja finda orientou o CRIAR-T na III Divisão, conduzindo-o à subida. Filipe Pedro transita da anterior equipa técnica como preparador-físico.

Demorou...

Certo nas águias desde meados de Junho, a oficialização de Nuno Resende tardou. "Porque (...) tinha um contrato com o Trissino e só nesta semana foi possível formalizar o contrato de desvinculação e o acordo entre os clubes", referiria Fernando Tavares.

No entanto, a 5 de Julho já o Trissino escrevia nas redes sociais que "a relação com o treinador Nuno Resende terminou hoje: a sociedade e o treinador português chegaram a acordo para a rescisão do contrato", detalhando que o técnico rumaria a um grande do Hóquei em Patins português. E, dois dias depois, reforçando que já não haveria qualquer vínculo com o anterior técnico, os italianos anunciavam Alessandro Bertolucci como novo treinador.

Ao que foi possível apurar, terá sido a desvinculação (ainda não confirmada) com outro treinador - aquele cujo nome não pôde ser dito - a atrasar o anúncio...

Benfica 2021/22

Guarda-redes: Pedro Henriques e Rodrigo Vieira (ex-Sub-19)

Jogadores de pista: Carlos Nicolia, Diogo Rafael, Edu Lamas, Gonçalo Pinto, Lucas Ordoñez, Pablo Alvarez (ex-Barcelona), Daniel Oliveira ("Poka", ex-Porto), Pol Manrubia (ex-Noia), Sergi Aragonés e Zé Miranda (ex-Sub-19)

Treinador: Nuno Resende (ex-Trissino)

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade