Notícia

Ponto final na primeira volta com Valongo em sexto

Jan 23, 2022

Este sábado, Valongo e Tomar colocaram ponto final na primeira volta, cumprindo jogo que tinham em atraso desde Outubro. O triunfo valonguense por 5-1, num jogo para esquecer dos tomarenses, permite-lhes subir ao 6º lugar. #PrimeiraDivisão

Já com 11 jogos da segunda volta realizados, Valongo e Tomar fecharam este sábado as contas da primeira volta.

O Tomar até marcou primeiro, por Rúben Sousa, mas a equipa de Nuno Lopes eclipsou-se a meio da primeira parte e, ao intervalo, já perdia por 3-1. Ao acerto generalizado dos valonguenses aliava-se uma inexplicável apatia dos tomarenses e o dilatar do marcador aconteceu de forma quase natural.

Depois dos golos de Miguel Vieira, Francisco Silva e Diogo Barata nos primeiros 25 minutos, Facundo Bridge ampliou de livre directo e Facundo Navarro fechou as contas num 5-1 que não foi mais pesado por um punhado de boas intervenções de Francisco Veludo. Na outra baliza, sem muito mais oportunidades por brilhar pela sólida exibição defensiva dos seus companheiros, Bernardo Mendes mostrou segurança no livre directo de Tomás Moreira e na grande penalidade de Guilherme Silva.

Com esta vitória, a equipa de Edo Bosch sobe ao 6º lugar com os mesmos 24 pontos que o Tomar, mas os tomarenses têm uma partida a menos, uma das três em atraso da 14ª jornada.

Jogos em atraso

• Paço de Arcos vs. Braga • 26.Jan • 21h • Miguel Guilherme e João Duarte

• Turquel vs. Tomar • 15.Mar • 21h

• Marinhense vs. Oliveirense • data a definir

Classificação

1º Porto (37 pontos), 2º Óquei de Barcelos (36), 3º Sporting (35), 4º Oliveirense* (32), 5º Benfica (31), 6º Valongo (24), 7º Tomar* (24), 8º Braga* (19), 9º Paço de Arcos* (17), 10º Parede (13), 11º Marinhense* (11), 12º Juventude de Viana (10), 13º Turquel* (4), 14º Sanjoanense (4)

*menos um jogo

Primeira volta fechada

Acertando o calendário do Valongo, a partida deste sábado teve também o condão de encerrar as contas da primeira volta.

A classificação final da primeira metade do Campeonato Nacional da I Divisão - que ditaria, por exemplo, o apuramento para a Taça 1947 - ficou assim ordenada: 1º Porto (34 pontos), 2º Sporting (31), 3º Óquei de Barcelos (30), 4º Oliveirense (29), 5º Benfica (27), 6º Valongo (21), 7º Tomar (21), 8º Braga (18), 9º Paço de Arcos (17), 10º Marinhense (11), 11º Juventude de Viana (10), 12º Parede (10), 13º Turquel (4), 14º Sanjoanense (3).

Nas contas a essas 13 primeiras jornadas, o Sporting, contrariando quem lhe aponta um jogo mais calculado, foi a equipa mais concretizadora, com 76 golos, seguindo-se o Porto com 75 e o Óquei de Barcelos com 70. Já defensivamente, foram os dragões que reclamaram maior acerto, com apenas 33 golos sofridos. Seguem-se Oliveirense com 36 e Óquei de Barcelos e Tomar com 40. Destaque para os tomarenses que, antes do descalabro de Valongo, só tinham sofrido 35 golos e só em duas ocasiões tinham consentido mais de três golos, em Oliveira de Azeméis (quatro) e no João Rocha (sete).

Noutras contas, os 91 jogos realizados viram 50 vitórias caseiras, 34 forasteiras e apenas sete empates, com 373 golos marcados pelos visitados e 331 pelos visitantes.

O jogo com mais golos foi o 15-3 entre Porto e Marinhense, da 3ª jornada, que foi também o que registou maior diferença no marcador. Mais "pobres" em termos de golos foram dois jogos em São João da Madeira, na derrota da equipa de Vítor Pereira com o Braga (0-2) e na vitória sobre o Parede (2-0). Foram duas das apenas cinco "clean sheets" (partida sem golos sofridos) da primeira volta, juntando-se a estas as vitórias do Porto em Viana, do Óquei de Barcelos em Valongo e da Oliveirense em Turquel. Curiosamente, em quatro das cinco ocasiões, foram os guarda-redes forasteiros que mantiveram as suas balizas invioladas.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade